Nie

GM One Piece
  • Total de itens

    1.563
  • Registro em

  • Última visita

Sobre Nie

  • Rank

  • Data de Nascimento 09/29/97

Informações de Perfil

  • Gênero
    Masculino
  • Local
    Hunter's Dream

Últimos Visitantes

2.449 visualizações

Histórico de Nome de Usuário

  1. [Pthumerias] No olho do furacão

    - Na verdade, eu meio que me encaixo nessa descrição sim. Isso sem contar que eu também tenho os recursos para pagar pelo serviço, é claro. - Abruptamente ele mudava o seu tom para um mais sério. Considerando as palavras do homem, ele duvidava que receberia alguma informação apurada simplesmente se passando por uma criança curiosa, então a melhor decisão lhe pareceu simplesmente jogar as cartas na mesa. Dessa forma, para indicar que estava falando sério, ele mostrou para o homem parte do dinheiro que tinha consigo para demonstrar que realmente estava falando sério. - Enfim, a história é longa, mas eu preciso me encontrar com a pessoa que você citou. Poderia me dizer aonde eu posso encontrá-lo ? - Koichi estava torcendo para o homem não pedir uma quantia em dinheiro pela informação, já que o garoto obviamente recusaria a proposta e usaria de ameaças para conquistar o que desejava.
  2. [Loser's Town] Segunda Dose

    ♠ 15° Turno ♠ - Ah, ele está naquele lugar ? O povo dessa ilha adora ficar em prédios altos e espalhafatosos como vilões de desenho animado, o que é bem estranho. Enfim, essa informação é bastante útil. - Stella respondeu o Representante de Classe, abstendo-se de falar sobre Boggart porque Ye já havia resolvido essa questão. - Bem, eu duvido que Amami seja o tipo de cara que nós trairia já que ele é um Spades de longa data, mas essa não é uma questão que eu posso checar no momento e não quero me distrair com ela, por mais que a segurança da Sayaka seja um assunto importante. E já que as coisas são assim, a melhor opção que você tem é terminar rápido a sua parte do serviço para poder checar você mesmo a segurança dela, não concorda ? - Ela sugeriu antes dele tocar no assunto de matar o traidor. Percebendo que o jovem não tinha a menor intenção de deixar que a Rainha cumprisse a sua promessa com o ruivo vivo, ela revirou os olhos em sinal de "ranço". - Então tá, faça o que você quiser. Lutar se contendo para não matar o inimigo pode ser perigoso, então a lógica está ao seu lado. Terminada as explicações, a líder dos caçadores de recompensas respondeu a pergunta de Yumi com um "sim", que serviu como indicativo para a separação dos Spades. Assim os dois grupos se formaram e Stella seguiu com Amami rumo ao seu objetivo, enquanto a Tecelã das Bestas e seus cachorrinhos seguiam para a rua mais badalada da ilha. Chegando em Paradise Street, uma gigantesca rua marcada por uma grande quantidade de comércios, e aonde, pelo menos à princípio, não era permitido o saque de nenhum tipo de arma. Contudo, como a ilha estava dentro de uma guerra civil interna, por óbvio tão regra não seria respeitada, como poderia ser comprovado pela presença de armas nas mãos dos Spades liderados por Kobayashi e pelos marinheiros e Cipher Pols que estavam do outro lado da rua. - Aqueles idiotas que você passou a perna chegaram ruivinho-chan. - Um par de jovens gêmeos trajando roupas sociais falou com um certo espadachim de cabelos avermelhados que tomava frente em meio aos soldados que lhe rodeavam. - Olha só quem apareceu, o bobo da corte número 1 e a boba número 2. É um prazer rever vocês. - O tom de voz de Boggart estava tomado pelo cinismo. - Se a situação fosse outra eu adoraria fingir que eu sou amigo de vocês de novo e pedir perdão pelos meus pecados dos quais eu estou muuuuuuito arrependido, mas eu tenho outras prioridades no momento, como testar a minha Saijo o Wazomono. - Observando com maior atenção a figura do homem da lua, o trio poderia perceber que além da espada que ele utilizou anteriormente quando estava junto da Spades, ele tinha uma outra lâmina de cor vermelha. - Aliás, cadê a líder dos imbecis ? Por acaso ela decidiu reatar seus laços com o Papa e saiu em uma lua de mel antecipada e mandou vocês para lutarem sozinhos ? - Ele continuou provocando com o seu tom debochado. Em reação a isso, um par de homens enfurecidos com as ofensas contra Stella avançou contra o ruivo, que estranhamente deixou que os mesmos lhe acertassem dois golpes nos seus braços. Em seguida, ainda ferido, o espadachim rapidamente sacou a sua nova espada e decapitou os dois minions. Logo em seguida o sangue presente na lâmina da arma acabou sumindo ao mesmo tempo que as feridas do "falso elfo" também desapareciam. Talvez esse fosse uma das habilidades daquela Meito ? Não dava para saber. - É, trair vocês realmente valeu a pena. - Boggart falou enquanto admirava a sua própria arma. Enquanto isso os soldados do seu lado permaneciam parados, e os Spades entravam em estado de choque diante daquela situação aparentemente sem sentido. Além disso, tirando a dupla de gêmeos e Boggart, um mulher de pele e cabelos alvos se destaca dentre a multidão por ter uma presença mais amedrontadora. Em suas mãos, ela portava algum tipo de arma pontudo e seu rosto indicava que ela não estava para brincadeiras, diferentemente do outros três.
  3. ♠ 7° Turno ♠ - Ah, uma muda. Então ela deve ser mais uma das funcionárias que vieram do programa da Marinha de inclusão para deficientes. Pra falar a verdade eu não sei se trabalhar numa mina dessas seria algo agradável para uma pessoa desse tipo, mas não vou interferir na decisão dela. - O velho acabou aceitando a ideia de que Hime era muda sem muita relutância. A muda, por sua vez, provavelmente por puro cuidado, decidiu apenas confirmar as palavras de sua amiga com um movimento duplo de cabeça. - Sobre as armas a situação é um pouco mais complicada. A questão é que tempos atrás a Marinha permitiu que alguns Spades participassem dos trabalhos aqui em Vertigo, e como vocês já devem ter previsto, eles utilizavam suas próprias armas para isso. Mas fato era que como os seus armamentos eram bastante potentes, alguns escravos acabavam morrendo quando eles tinham que agir, então o diretor daqui decidiu abolir o uso de armas pessoais. Afinal, as vidas dos escravos são dinheiro e queimar sua própria fonte de renda não é algo lá muito inteligente. - Ele justificou a parte sobre recolher as armas com as ordens de um superior seu. Ao lado deles, ainda observando a situação com atenção, o marinheiro corrupto fez um sinal de cabeça que indicava que aquilo realmente era verdade. De qualquer forma, não parecia que o senhor iria permitir que a regra fosse burlada pelos quatro novatos. - Eu tenho que concordar com o seu diretor, se dar ao risco de deixar esses "acidentes" ocorrerem realmente seria um desperdício de capital. Parece que vai ser realmente agradável trabalhar por aqui, já que o líder de vocês é alguém tão sensato. - Largatixa aderia a boa e velha tática de puxar o saco dos outros para conseguir um mínimo de credibilidade. - Aliás, meu nome é Edu e eu recentemente larguei a vida de caçador de recompensas freelancer para virar um funcionário público, já que a carreira é mais estável e eu gosto de mamar nas tetas do governo. - A última parte da frase era uma piada que acabou conseguindo arranjar um riso discreto do senhor. - Enfim, eu não ligo de entregar minhas coisas, mas você poderia me informar que tipo de equipamento nós usaremos para conter revoltas e coisas do gênero ? - Ele questionou de maneira aparentemente despretensiosa. - Boa pergunta. Como aqui é um lugar repleto de Kairoseki, nós lhe emprestaremos um kit de segurança composto por algemas, um cacetete e uma pistola com um cartucho de bala simples. Obviamente tudo é feito de Kairoseki, já que o custo para fazer esses equipamentos aqui é mais barato e nós ajuda a lidar com usuários de Akuma no Mi, embora eles sejam escassos os escravos. Se algum de vocês for um usuário de akuma também, nós também damos à opção de usarem esses mesmos equipamentos feitos de materiais normais. - Ele explanou a situação do armamento de maneira simplificada. Observando o interior do local aonde a extração ocorria, a dupla poderia observar que existia uma espécie de sala própria para o armazenamento dessas armas logo na entrada. - Enfim, maiores informações sobre o serviço lhe serão dadas lá dentro. - O senhor cortava o assunto em prol da celeridade. Restava saber se a dupla estava disposta à entregar seu armamento, já que Javier havia optado por abrir mão das suas coisas temporariamente.
  4. [Transcedental Forest] Harvest

    ☬ 23º Turno ☬ Finalizado o serviço da vez, Athena decide ir embora da ilha sem visitar a tribo mesmo, decisão essa que Kiyo obviamente apoiava. Sobrevoando a área do vilarejo, a mulher criou uma fera de fogo para entreter os habitantes locais. Contudo a reação das pessoas ali presentes foi de adorar o animal, provavelmente por entenderem que aquilo se tratava de algum tipo de dádiva divina ou coisa do tipo. De qualquer forma, juntamente do outro arcebispo, a dupla acabou se encontrando com uma embarcação revolucionário e ali pousaram e seguiram viagem rumo à próxima ilha. Depois de mais de meio ano nós acabamos essa budega lol. Enfim, o lance é que eu estou diminuindo bastante a minha frequência no forum e isso incluiu parar de mestrar tópicos, já que eu estou com algumas coisas para fazer nessa quarentena e não quero ficar mestrando enquanto prejudico minha constância e qualidade das minhas mestragens, como vem acontecendo ( nessa ilha inclusive ). Seguindo essa ideia, eu não vou poder te mestrar mais, então você terá que arranjar outro mestre. De qualquer forma, a avaliação ta aí embaixo. Eu acho que vc tem que jogar as coisa de rivendell na ficha tbm e tirar a coruja dela tbm já que ela morreu.
  5. Este post não pode ser exibido porque ele está em um fórum protegido por senha. Informe a senha
  6. Eu particularmente gosto mais das teorias 3 4 e 6. O role dos D é completamente sem noção, a da trindade me parece meio meh. Considerando o destaque o Oda deu no flashback do Oden para o fato dele não dormir, eu acho que provavelmente a chave da coisa toda está ali.
  7. [Transcedental Forest] Harvest

    ☬ 22º Turno ☬ Decidida à continuar a perseguição já que né, a nossa coleguinha da vez tinha uma missão para cumprir, Athena conjura uma espada super equilibrada para perseguir seu alvo enquanto ela mesma fazia o mesmo. Demorou um pouco para que a garota conseguisse alcançar seu objetivo já que o homem parecia ser mais astuto que o atirador, mas finalmente ela conseguiu congelar seu calcanhar com a lâmina, dando assim à jovem a chance de finalizar a coisa toda com a sua segunda ofensiva. Após finalmente dar cabo dos dois zé ruelas, tudo que restou foi esperar Kiyo, que parecia estar bastante focado, terminar de fatiar os animais que lhe rodeavam, que mesmo após o congelamento de seu mestre continuaram atacando o homem. O motivo ? Provavelmente auto defesa, já que o arcebispo também não cessou seus ataques após isso acontecer. De qualquer forma, não demorou mais do que 10 minutos para o trabalho ser concluído. Com a missão concluída, Athena ficava livre para se juntar à tribo e participar do restante do festival ou ir embora da ilha. Embora tal escolha ainda pudesse gerar dúvidas em Athena, o outro arcebispo não parecia sofrer do mesmo mal, tanto que sua mente nem precisava ser lida para que a protagonista soubesse qual das alternativas ele desejava seguir. último turno, vc que sabe se passa mais algum tempo na vila, mas a ilha termina na próxima mestragem msm
  8. L’odi lluita amb la lujuria

    - Eu não poderia pedir algo melhor. - Ele afirmou quase que inconscientemente ao avistar a briga dos dois lutadores. Ainda decidido à enfrentar alguém forte e porradeiro, como um lutador da top lane e não um maguinho do mid, Wrath decidiu se aproximar do palco aonde tudo ocorria para observar o desenrolar do acontecimento. Seu objetivo ? Aguardar a vitória do mais forte entre os dois para logo em seguida limpar o chão com a cara do desgraçado. Enquanto isso ele apenas permaneceria calado e quieto, admirando o desenrolar da luta enquanto aguardava o seu momento de brilhar. A luz do hospital também acabou lhe chamando certa atenção, mas pelo menos por ora, o Hollow não planejava focar seus esforços em investigar aquilo. Sabendo do que havia testemunhado até então, provavelmente se tratava de algum fullbringer ou shinigami lhe perseguindo, e se esse fosse o caso, que seu inimigo viesse até ele para brigar, já que a sua atenção estava focada em um espetáculo infinitamente mais interessante que lutar contra kidous e hadous.
  9. Como sempre a Nintendo sabendo onde colocar a vara para achar petróleo.
  10. [Pthumerias] No olho do furacão

    - É contagiosa sim, mas só costuma pegar em quem tem tendências à sair em rolês clandestinos durante uma possível pandemia. Felizmente você não parece ser o tipo de pessoa que vai nesse tipo de evento, então não precisa se acalmar. - Só Deus sabia o que Koichi quis dizer com essas palavras. De qualquer forma, com aquela sequência suja de mentiras cabeludas ele havia conseguido ultrapassar a fiscalização de graça. A parte ruim é que o homem não parecia saber nada sobre algum lugar capaz de lhe proporcionar as peças necessárias para virar um ciborgue, mas não dava para se esperar muito de alguém daquele tipinho. Após de atravessar um adorável caminho repleto de coisas obscuras, finalmente o moleque se viu em uma praça bastante decadente. Sem hesitar muito, já que se sentia bem à vontade naquele tipo de cenário, Shinguji se assentou em um dos bancos quebrados e parado ali começou à analisar o cenário que lhe rodeava com olhares atentos. Suas ideias iniciais foram roubar os comércios locais e destruir o prédio que provavelmente era um hotel, mas esses cursos de ação não eram tão efetivos para se tornar um ciborgue. - Depois eu chamo a rapaziada para fazer baderna por aqui. Vamos focar no que é importante agora. - Não cedendo à tentação, Koichi se dirigiu até o ferreiro mais próximo, vestindo novamente a sua máscara de criança inocente e desafortunada. - Senhor, o que você vende por aqui ? Eu sei que você vende espadas e armas, mas eu ouvi dizer que alguém nessa região também era capaz de construir próteses metálicas para substituir partes de humanos. Você seria essa pessoa ? - Com o rosto mais puro que conseguia expressar, o menino se dirigiu até o dono do estabelecimento. Basicamente a sua fala foi um tiro no escuro, mas era bastante direta, o que lhe economizaria tempo e o faria saber de imediato se aquele homem era ou não capaz de produzir o produto que almejava.
  11. [Transcedental Forest] Harvest

    ☬ 21º Turno ☬ Enquanto seu coleguinha se divertia fazendo o trabalho braçal de abater um punhado de animais, Athena muda seu foco para atacar o domador de animais que estava controlando aquelas bestas. Contudo, impedindo aquele ataque, uma versão um menor da aranha gigante que a Bruxa havia se deparado tempos atrás naquela mesma ilha se colocou entre os dois, impedindo que o ataque atingisse o tatuado. Aproveitando-se dessa deixa, já que a situação claramente não estava das melhores para o seu lado, o homem decide iniciar sua fuga floresta adentro. Ele era relativamente ágil, embora não tão rápido quanto Athena, e para compensar isso estava usando das árvores que lhe cercavam para lhe dar "cover". Restava saber se um certo alguém optaria por persegui-lo ou fazer qualquer outra coisa.
  12. [Teoria] Yamato = Momonosuke

    Não confio nisso aí. Já vi algumas teorias dele ser o Oden também, mas acho que tudo não passa de um devaneio coletivo. Pra mim ele é só um filho rebelde que virou fan do Oden posteriormente.
  13. [Pthumerias] No olho do furacão

    - S-sim, eu não lembro de muita coisa, mas eu acabei me perdendo dos meus pais assim que eu cheguei na ilha. - Ele dizia em meio a soluços que antecipavam um possível choro. - O problema é que eu preciso ver eles rápido, já que eles são um par de médico e cientista que pretendiam trocar meu coração por um de metal porque eu tenho uma doença grave que logo irá me matar. - E como já era de esperar, o falso choro estridente do moleque veio. - Você não sabe de nenhum lugar aonde eles podem estar ? Eu lembro de ouvir dizer que essa ilha conta com os equipamentos necessários para fazer a minha cirurgia. Por favor, eu lhe imploro ! Meus pais vão lhe recompensar quando souberem que você me ajudou ! - Koichi continuou seu melodrama enquanto puxava as roupas do homem. Ele esperava conseguir passagem livre por aquele local daquela forma com a promessa de uma recompensa, já que o homem não parecia ter muita compaixão por crianças perdidas. De certa forma, as chances daquilo ali dar certo não eram muito grandes, mas se fingir de idiota era um dos maiores passatempos do pestinha, então ele decidiu tentar assim mesmo. Caso as coisas não acontecessem conforme planejado, tudo que ele precisaria fazer era tentar uma abordagem mais direto usando violência ou ameaças. No final das contas, o importante era não chamar a atenção da vizinhança.
  14. ♠ 6° Turno ♠ - Ah, bem, ela pode ser útil para a Spades sim. Imagino eu que os pais dela ou coisa do tipo estejam dispostos à nós recompensar por salvar a bunda dela dessa enrascada, então não seria interessante abandonar ela se olharmos por esse ponto de vista. - A verdade era que Largatixa não tinha a mínima ideia de que Hime era da realeza, afinal, essa informação não foi lhe passada sabe-se lá o porquê. Além disso Hime não parecia estar confortável em se abrir com aquele tipo de cara por motivos bem compreensíveis, já que o homem não era a encarnação da simpatia. Logo, o que restou para o mercenário foi avaliar o valor da jovem como mercadoria, o que também não era lá muito ético. - Eu acho que as coisas devem correr bem, desde que eu deixe o marinheiro satisfeito com a quantia que vai receber. Eu posso prometer à ele pagar o resto do montante no final da missão também, o que coibiria alguma traição por parte dele, então acho que esse não deve ser um problema. Terminada a discussão, com a princesa permanecendo calada o tempo todo ( piada não intencional, vocês entenderam o que eu quis dizer ), o grupo apagou os rastros de sua presença por ali e aguardou o amanhecer. Como dormir definitivamente não era recomendável quando se estava no território do inimigo, nenhum dos quatro acabou tendo esse direito, permanecendo assim acordados por toda a noite. Durante esse meio tempo até o amanhecer Javier preparou algumas coisas suas para a missão e se comunicou o marine em questão, acordando com ele como seria o pagamento e tudo mais. Terminado de realizar suas tarefas, o homem ficou na escuta das linhas de transmissão da ilha usando o aparelho que usava para tal função, mas tudo que ele acabou descobrindo era que o batente dos escravos era de quatro horas da manhã até as vinte e duas. Enfim, após o sol dar a sua cara, o quarteto aguardou a chegada de seu colaborador, que não demorou muito para chegar trazendo consigo um saco que parecia estar relativamente cheio. Tratava-se de um homem de lá seus 30 anos de pele escura e corpo bem definido. Sua expressão também não parecia ser lá das mais agradáveis. - Sério, vai ser um prazer trabalhar com vocês. Já tem um tempo que eu quero me vingar desses putos por me fazerem comer arroz com uva passa todo santo dia. Se eu soubesse que a Marinha não sabia alimentar seus funcionários direito eu nem tinha entrado nela. - Aparentemente as motivações do marine para fazer aquilo tudo eram mais idiotas que o esperado. - Enfim, aí estão as roupas de vocês e suas carteirinhas de funcionários daqui. A função de vocês lá dentro é vigiar a extração de Kairoseki e manter os escravos na linha, então ajam de acordo com esse trabalho. Já a garotinha aqui vai se passar por faxineira. - Enquanto ele explanava a situação, ele jogou o saco de roupas que levava consigo para o quarteto. Assim que o grupo terminou de se disfarçar, eles seguiram em direção ao local aonde a extração do mineral ocorria. - Aliás, meu nome é Pedro, então me chamem assim daqui pra frente. Como já era de esperar, o lugar era grandioso e tomado por uma atmosfera opressora, mas o que mais se destacava na entrada da mina era a forte vigilância e segurança presente ali, o que era facilmente notável pela grande quantidade de seguranças que organizavam a entrada e saída de trabalhadores e minerais pra lá e para cá. Além disso, o lugar também estava repleto de câmeras e contava com uma espécie de scanner para detecção de metais. - Esses são os novos funcionários. O tatuado é o Edu, o jovem é o Du, e as duas garotinhas se chamam Duda e Eduarda. - O marinheiro respondeu, dando de última hora os nomes falsos mais estranhos possíveis que o mestre achou no momento. - Eles chegaram dias atrás mas acabaram se perdendo no caminho para cá, se é que me entende. - Hmm, entendo. A situação lá dentro está bem agitada, então seria bom se vocês pudesse começar o trabalho o mais rápido possível, mas como regras são regras, eu tenho que fazer o procedimento padrão. - O senhor que parecia ser o líder da segurança falou enquanto tirava um den den mushi de gravação de seu bolso. - Falem pausadamente seus nomes e funções, e depois me digam se estão levando algum tipo de arma consigo. Se tiverem, eu peço para que as entreguem para mim de antemão. - Ele terminou sua fala dando um comando para o quarteto. Enquanto isso o colaborador do grupo fazia alguns sinais de mão por de trás da cena indicando para que o grupo seguisse os comandos do homem, embora uma certa integrante do grupo definitivamente não tivesse a minima capacidade de realizar parte daquela ordem.
  15. [Transcedental Forest] Harvest

    ☬ 20º Turno ☬ Dando prosseguimento ao conflito, Athena decide agir usando o elemento mais desequilibrado da natureza para agir, atacando seus dois inimigos com uma potente descarga elétrica. O golpe acaba conseguindo acertar o grifo, que após ser ferido, acaba perdendo o controle e cai de cara no chão. Já o sniper por estar mais longe e ter mais tempo de reação, conseguiu desviar do mesmo a queima roupa, realizando um disparo contra Athena logo em seguida, que acertou seu braço de raspão. Contudo, ocupado demais atacando, o homem não teve tempo para reagir ao segundo ataque da revolucionária e acabou sendo congelado em definitivo. Enquanto isso, perto dali, a batalha entre Kiyo e o domador prosseguia de forma equilibrada, com o arcebispo conseguindo abater os animais, embora de maneira lenta e gradual. Além disso, vendo que seu companheiro já estava fora de combate, o outro inimigo da dupla ficou notavelmente receoso com aquilo tudo, já que estava em clara desvantagem.