Jump to content
×
×
  • Create New...

Álbum da Semana #30 - Atom Heart Mother


Macar
 Share
Followers 0

Recommended Posts

  • Her Mih One changed the title to Álbum da Semana #30 - Atom Heart Mother
  • Replies 5
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

Álbum da Semana #30: Atom Heart Mother   A história se inicia assim: Dois anos atrás em um quarto qualquer havia um garoto comum usando fones de ouvido a toda altura, o garoto estava deitado enquanto seus olhos repousavam no forro branco que impedia a sua visão de alcançar o telhado de sua casa, uma luz fraca penetrava o quarto pela abertura de sua janela acompanhada de uma leve brisa, entretanto o garoto não estava se importando com esses detalhes afinal de contas algo maior já havia

David Gilmour é muito bom, se alguém sabe como fazer um solo "dramático" esse alguém é ele!

Procurei mas não achei nada concreto, só achei teorias sobre o assunto...  

Cara não digo que não curto Pink Floyd até pq nunca ouvi, ou seja, não tenho opinião formada sobre essa banda,mas agr bateu uma curiosidade: Sabe-se o pq da vaca? Eles já responderam sobre isso?

#anime de 死神

Link to post
Share on other sites
  • Jaque. pinned this topic

Realmente esse álbum é difícil de se compreender, Pink Floyd é uma ótima escolha de banda pra se ouvir mais por outro lado tem músicas muito estranhas kkk mais eu tenho certeza que se eu escutar direto eu vou entender até o pq da vaca no pasto! e tbm eu me amarro nessa guitarra

  • Like 1

 

One piece RPG 

 

nozomu-itoshiki-hanging-by-the-sakura-tr

 
 

 

Link to post
Share on other sites
Em 02/12/2016 at 7:58 PM, Elivelton Carneiro disse:

Realmente esse álbum é difícil de se compreender, Pink Floyd é uma ótima escolha de banda pra se ouvir mais por outro lado tem músicas muito estranhas kkk mais eu tenho certeza que se eu escutar direto eu vou entender até o pq da vaca no pasto! e tbm eu me amarro nessa guitarra

David Gilmour é muito bom, se alguém sabe como fazer um solo "dramático" esse alguém é ele!

  • Like 2

biS7GtR.png

Link to post
Share on other sites
Em 02/12/2016 at 4:13 PM, Tobias Bernstein disse:

Cara não digo que não curto Pink Floyd até pq nunca ouvi, ou seja, não tenho opinião formada sobre essa banda,mas agr bateu uma curiosidade: Sabe-se o pq da vaca? Eles já responderam sobre isso?

Procurei mas não achei nada concreto, só achei teorias sobre o assunto...

Spoiler

pessoas mais velhas, como os pais daqueles que ouviam Pink Floyd. Ao compor uma capa mais “inocente”, desviaria o olhar e os questionamentos que pudessem ocorrer sobre o seu conteúdo. 2. Há ligação do comportamento da vaca como mãe. Por ser considerada uma boa mãe da terra, tomou seu posto no indiscutível “Atom heart Mother” (Coração atômico de mãe), que aliás, este titulo foi concebido após Waters ler uma noticia em um jornal local sobre uma mãe que estaria para receber um marca-passos atômico em seu coração. Ambas dão sentido ao motivo da vaca fazer parte do disco. Thorgerson foi o fotografo da estrela. Ao inspirar-se em um papel de parede de Andy Warhol, saiu pela Inglaterra à busca da musa perfeita.

 

  • Like 2

biS7GtR.png

Link to post
Share on other sites
  • Fixxer unpinned this topic
  • 6 months later...

Pink Floyd sempre foi e sempre será Syd Barrett, o que veio depois foi uma gangue de bichonas oportunistas que se expropriaram do nome da banda dele.

Edited by Africano
Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share
  • Similar Content

    • By Macar
      Álbum da Semana #25: Fragile - Yes
       
      Antes de começar eu quero deixar claro que estou fazendo o possível para conter minha empolgação e não sair escrevendo outro livro, mas pensando nisso eu encontro outro problema: Como conter minha empolgação se vou falar de Yes? Bem, a maioria não entenderá o porquê da empolgação mas calma galera, tudo na vida tem um motivo e se eu fosse explicar acabaria me empolgando e acabaria escrevendo muito, sou um ser empolgado, não me julguem, please!
       
      Bem, a primeira vez que vi algo relacionado a Yes foi nas lojas Americanas (todo mundo vai!), tenho o velho costume de passar na banca de cds e ficar horas e horas procurando por algo que não encontrarei. No meio daquela bagunça de pagode e pop na ala de rock eis que encontro um cd com uma capa que me chamou atenção, na capa tinha quatro homens sentados e uma cabeça de manequim no meio, fiquei olhando aquilo e pensando - "Que raios de capa é essa? E esse nome, Yes? Sim, o nome da banda é sim? Hahahahaha que bosta!" - Pense que hilário, um cabeludo na ala de cds com um cd estranho na mão e rindo sozinho (sim, eu sou assim, louco de jogar pedra). Resolvo ler a contra capa, a essa altura já havia resolvido comprar o cd mas 20 conto era demais, tirei uma foto com o celular e fui para casa.
       
      Chegando em casa pesquiso e escuto a primeira musica, não gostei e nem procurei por outra, nessa época eu estava acostumado a ouvir rock alternativo, punk, e ainda não estava pensando em ser um guitarrista. Dois anos se passaram e depois de ter sentido um frio na espinha ao ouvir Brain Damage, Castle Made Of Sand, etc (não sei se acontece o mesmo com vocês mas cada musica é um tesão diferente), meu ouvido havia mudado de gosto, não queria mais ouvir sons simples, queria algo ousado, louco. Nessas andanças musicais eis que me deparo novamente com o mesmo album, resolvi ouvir e fiquei pasmo, foi amor a segunda audição! Olhado a discografia vi uma lista que listava os albuns em ordem decrescente, do mais vendido para o menos vendido, Fragile estava em primeiro, mas eu ainda não tinha ouvido, procurei um torrent e fiz o download, decidi que só ouviria no meu quarto no escuro para evitar de deixar algum detalhe passar, cheguei em casa e fui direto para o quarto.
       
      Enfim coloco o flac para tocar, ligo o celular no som e deito na cama, o album começa com um som estranho e depois muda para um filho da mãe que começa a dedilhar, nessa hora pensei - "Caramba, quero fazer isso!", no momento que ia me levantando da cama outro filho da mãe começa a tocar o contra baixo, não tive coragem para me levantar, fiquei lá deitado no escuro ouvindo aquele absurdo, antes do album acabar minha mãe entra no quarto e pede pra eu abaixar o som (estava atrapalhando a novela -_-), não terminei de ouvir nesse dia mas o estrago já tinha feito. 
       
      A musica em questão era Roundabout, é possível que vocês já tenham ouvido ela em algum canto ou então seus pais já ouviram (a Globo gostava que usar rock progressivo nos programas, duvida? Pesquise no Youtube!).
      Já contei de forma resumida como conheci essa obra prima do Progressivo ou do Rock Sinfônico, vou me conter e vou logo falar do album.

      (Capa)
      Fragile é um album de 1971, seu lançamento marca o inicio da formação mais foda do Yes, a capa foi concebida por Roger Dean, na guitarra estava Steve Howe, no baixo Chris Squire, no vocal Jon Anderson e na bateria Bill Bruford (baterista de um monte de banda foda de prog.). Bem, não falarei mais nada a respeito do album, estão interessados? Dá o play e sinta a vibe!
      1. "Roundabout" (Jon Anderson/Steve Howe) – 8:33
      2. "Cans And Brahms" (Johannes Brahms, Arr. Rick Wakeman) – 1:38
      3. "We Have Heaven" (Jon Anderson) – 1:40
      4. "South Side Of The Sky" (Jon Anderson/Chris Squire) – 7:58
      5. "Five Per Cent For Nothing" (Bill Bruford) – 0:35
      6. "Long Distance Runaround" (Jon Anderson) – 3:30
      7. "The Fish (Schindleria praematurus)" (Chris Squire) – 2:39
      8. "Mood For A Day" (Steve Howe) – 3:00
      9. "Heart Of The Sunrise" (Jon Anderson/Chris Squire/Bill Bruford) – 11:27
       
      Destaques: Roundabout (aah, jura?), South Side Of The Sky, Mood For A Day (estou tentando tocar ela no violão, tortura pura!).
      Curiosidades:
      O disco foi gravado após oito meses após do The Yes Album (o dito cujo que eu quase comprei). Já imaginou o Lineu chapado?  Enfim, Fragile é um dos meus albuns favoritos, mudou tanto o que eu costumo ouvir com o que eu tento tocar na guitarra, ainda serei um guitarrista de Prog. Obrigado e deixem seus comentários. 
    • By Skyfall
      Álbum da Semana #24 Dark Horse - Nickelback
       
      Lançamento: 15 de Novembro de 2008
      Gênero: Hard rock, Metal alternativo, Post-grunge
      Duração: 43:38
      Formato: CD
      Gravadora: Roadrunner Records
      Produção: Mutt Lange, Nickelback, Joey Moi
       
      Dark Horse é o sexto álbum de estúdio da banda de hard rock Nickelback, lançado no dia 18 de Novembro de 2008.
      Seguido do premiado All the right reasons, lançado em 2005, o álbum foi produzido pela banda e pelo vencedor do Grammy Award, produtor e compositor Robert Jonh Lange, famoso por trabalhar com bandas como AC/DC, Foreigner e cantores como Bryan Adams e Shania Twain.
       
      O primeiro single do álbum foi "Gotta be Somebody", que foi disponibilizado para download gratuito no dia 29 de setembro de 2008. O single inicial era para ser "If today was your last day", mas foi trocado no último minuto. A música "Something in your mouth", se tornou disponível para download no iTunes no dia 28 de outubro, e foi lançado como segundo single nas rádios dia 15 de dezembro. Em janeiro de 2009, "I'd come for you" foi divulgado como terceiro single do álbum, tendo o clipe musical lançado no final do mesmo mês e sendo dirigido por Nigel Dick.
       
      Dark Horse foi certificado como disco de platina pela RIAA no dia 9 de dezembro, apenas 3 semanas apos ser lançado na América do Norte. O álbum tem estado no top 20 da Billboard 200 desde que foi lançado. Na terceira semana de abril, o álbum foi certificado como disco 2x de platina.
       
      Faixas:
       
      1. "Something in Your Mouth" - 3:38
       
       
      2. "Burn It to the Ground" - 3:30
       
       
      3. "Gotta Be Somebody" - 4:13
       
       
      4. "I'd Come for You" - 4:22
       
       
      5. "Next Go Round" - 3:45
       
       
      6. "Just to Get High" - 4:02
       
       
      7. "Never Gonna Be Alone" - 3:47
       
       
      8. "Shakin' Hands" - 3:39
       
       
      9. "S.E.X." - 3:55
       
       
      10. "If Today Was Your Last Day" - 4:08
       
       
      11. "This Afternoon" - 4:34
       
       
      Para o próximo Álbum da semana eu indico o @Sowilo, ele já tinha pedido pra ser indicado . Espero que gostem do álbum, eu particularmente ouço ele todo sem problemas, todas as músicas são legais e diferentes uma das outras, então não cansa de ouvir.
    • By Faker
      Álbum da Semana #23: Bang Bang - Dispatch
       

       
      Artista: Dispatch
      Lançamento: 1 de Setembro de 1997
      Gravadora: Bomber Records
      Gênero: Rock, Jam Band, Indie Folk, Reggae Fusion
       
       
       
      Pra ser sincero eu não lembro como ou quando eu conheci essa banda, tem muuuuito tempo que ouço ela e só conheço uma pessoa que também ouve Dispatch além de mim .-. Esse foi o motivo de eu escolher esse álbum, tentar divulgar um pouco dessa marbabilha. Eu curto todas as músicas desse álbum, mas acredito que as mais conhecidas são "Here we go", "Bang Bang" e "The General". Bom, espero que gostem o/
       
       
       
      1. Here We Go
       
      2. Bats in the Belfry
       
      3. The General
       
      4. Bang Bang
       
      5. Mission
       
      6. Drive
       
      7. Two Coins
       
      8. Railway
       
      9. Whirlwind
       
      10. Out Loud
       
      Caso tenham gostado, o álbum "Silent Steeples" deles é bem massa também, vale a pena conferir o/
       
      Minha nota é 10/10 pq sim
       
      E pro próximo, indico o @Skyfall
    • By Toush
      Album: X (multiply)
      Cantor: Ed Sheeran
      Ano: 20 de Junho de 2014
      Gênero: Pop, R&B, hip hop, blue-eyed soul, soft rock, indie rock, indie
       
      Multiply é o segundo álbum de estúdio do cantor e compositor Ed Sheeran, lançado em 2014 pela Asylum Records e Atlantic Records, três anos após a estréia de seu primeiro álbum em 2011.

       X foi um sucesso internacional na primeira semana de suas vendas, recebendo ótimas criticas positivas pelos críticos de musica e alcançou a marca de primeiro lugar no ranking de doze países, atingindo também o topo tanto no UK Albums Chart quanto na Billiboard 200, alcançando também o top 5 em outros onze países.

      O álbum teve cinco singles de grande repercussão mundial. Primeiro, "Sing", que se tornou o primeiro single número um de Sheeran no Reino Unido, e o segundo a entrar no top 20 da Billboard Hot 100 (atingindo o número 13). O segundo single do álbum, "Don't", também foi um sucesso mundial, atingindo o número 8 no Reino Unido, e tornou-se também o primeiro pico de Sheeran no top 10 da Hot 100, atingindo o número 9. "Thinking Out Loud" teve lentamente sua notoriedade, sendo o segundo single número 1 de Sheeran no Reino Unido, depois de passar 19 semanas da tabela musical. Também tornou-se o maior pico de Sheeran na tabela dos Estados Unidos, atingindo o número dois. A remistura de "Bloodstream", com a participação de Rudimental, atingiu o número 2 no Reino Unido, se tornando o quarto single do disco a entrar no Top 10 do país natal de Sheeran. "Photograph" foi lançada como quinto single e atingiu o número 10 na Austrália e Nova Zelândia.

      Curiosidades:
       
      Em dezembro de 2014, Spotify nomeou x o álbum mais transmitido no mundo para 2014, acumulando mais de 430 milhões de streams para o ano.
        O disco foi nomeado como o mais vendido no Reino Unido com 1.7 milhões de cópias.
        Em fevereiro de 2015, o disco vendeu mais de 5.8 milhões de cópias no mundo todo.
        Para os Grammy Awards de 2015, x foi nomeado para Melhor Álbum Vocal Pop e Álbum do Ano.
        No Grammy Awards de 2016, em 15 de fevereiro, ganhou 2 categorias com ''Thinking Out Loud'' , sendo elas Melhor Performance Pop (solo) e Música do Ano.  
      Faixas do álbum:
       
      N.º Título

      1.    "One"

      2.    "I'm a Mess"

      3.    "Sing"

      4.    "Don't"

      5.    "Nina"

      6.    "Photograph"

      7.    "Bloodstream"

      8.    "Tenerife Sea"

      9.    "Runaway"

      10.    "The Man"

      11.    "Thinking Out Loud"

      12.    "Afire Love"

      13.    "Take It Back"

      14.    "Shirtsleeves"

      15.    "Even My Dad Does Sometimes"

      16.    "I See Fire"

      17.    "All of the Stars" 
       
      Enfim, é isso, espero que gostem. Primeiro album ' + (Plus) ' também possui musicas magnificas. Ouçam os acústicos, são excepcionais. Comentem õ/

       
    • By Macar
      Ebaaaa, minha primeira vez aqui no Albuns da Semana, estou muito empolgado e espero que todos após lerem meu post também fiquem e vá correndo ouvir as músicas e ter vários orgasmos auditivos, sério, se o intuito era deixar a garota (que daqui a pouco vocês saberão quem é) com tesão eu acho que deu certo, tão certo que me arrisco a afirmar que esse esse album é melhor que muito libidol genérico que vocês veem por ai nas propagandas. Quem sabe algum dia eu faça um post com os melhores albums para "aqueles momentos', enfim, vamos deixar de conversar bobagens e vamos direto ao assunto!
       
      Alguns quando discutem sobre música costumam a dizer que músicas sobre amor são chatas, fracas, enjoativas, puro melaço de algum doce enjoativo, etc, eu não gosto muito dessa afirmação por apenas um motivo: "O melhor que fazemos sempre é pensando em alguém!", mesmo quando o sentimento não é correspondido temos o costume de fazer ou criar coisas usando inspirações, vocês já ouviram Marvin Gaye? O cara era muito transudo, pelo menos nas musicas, a vida amorosa do cara era pior que a minha, mas isso não lhe impediu de criar as melhores musicas para se ouvir numa transa (acho que terei que colocar faixa etária no post ), a música não é a extensão dos sentimentos? Então pronto! Viva o amor nas letras e abaixo ao desapego, corajoso é o ser que ama e tem coragem de sofrer por isso.
      Falo tudo isso porque o album que eu apresentarei para vocês teve um processo de criação muito difícil, o músico passava por uma situação muito pesada, a depressão lhe tomava conta, vamos a história.
       
      Cream era uma trio fordístico e como sempre o ego acabou com toda a magia que os uniam, a fama lhe incomodava muito, uma hora todos lhe chamavam de "Deus", outra hora falavam que ele não era nada, e para fugir de tudo isso começou a se esconder atras de drogas, depois de um tempo surgiu a Blind Faith que durou menos que a banda anterior mas que produziu um album muito bom, o sujeito estava sofrendo muito, suas musicas a cada dia ficava melhor mas a medida que sua fama aumentava sua vida afundava, eis que um amigo lhe estende a mão, esse amigo era George Harrison, guitarrista dos Beatles, Harrison resolve acolher o sujeito em sua casa por um tempo e foi ai que o amor nasce, o que eu acho de um cara que se apaixona pela mulher do amigo? Eu o acho um babaca, sério, cuidado com as amizades ein galera, Pé de pano aqui é mato! Enfim, o cara fica louco de amores pela mulher do amigo e vendo que o amigo deu brechas (o cara traia a mulher na cara dura, vish, é treta atras de treta) resolve conversar com a modelo, Pattie Boyd se mantem firme.
       
      Sem saber mais o que fazer continua com sua vida de musico, agora rebaixado a musico de acompanhamento de uma banda que também estava se separando, eis que surge a ideia de criar uma outra banda com membros conhecidos, assim surge a  "Eric and The Dynamos", que, como diz a lenda, por causa de um erro de pronunciamento vira "Derek and The Dominos", a banda tinha apenas dois compositores, um deles era o o próprio "God" da guitarra Britânica e com todos já imaginam quem seria a inspiração do album, sim, Pattie foi a musa inspiradora, só que o "Derek" tinha um problema, ele não poderia citar o nome dela nas músicas, foi ai que ele resolve chama-la de Layla e eis que surge o nome do album: "Layla And Other Assorted Love Songs", enquanto ia produzindo as musicas "Derek" continuava a sua investida enquanto o grande amigo ia dando espaço, numa dessas investidas ele resolve tocar uma das musicas do album:
       
       
      "What will you do when you get lonely
      and nobody´s waiting by your side?
      You've been running and hiding much too long
      You know it's just your foolish pride
      Layla
      You've got me on my knees, Layla
      Begging darling please, Layla
      Darling, won't you ease my worried mind?"
       
      Não precisa ser um especialista para saber que a Pattie ficou... vocês sabem, depois disso nem precisava de muito esforço, batalha ganha, Harrison começou a suspeitar que estava perdendo a mulher para o amigo e até o intimou para uma batalha guitarristica, como o amor vence o ódio "Derek" ganhou a partida e o coração da loira, era questão de tempo até que ela fugiria com ele. 
      Caramba, a história desse album daria um ótimo filme, melhor que ficar falando de vampiros, lobisomem e zumbis... Não entrarei mais em detalhes sobre o relacionamento deles, vamos direto para as musicas.
       
      O album tem 14 músicas, sendo elas:
       
      "I Looked Away"– 3:05
      "Bell Bottom Blues" – 5:02
      "Keep On Growing" – 6:21
      "Nobody Knows You When You're Down And Out"– 4:57
      "I Am Yours" – 3:34
      "Anyday" – 6:35
      "Key To The Highway" – 9:40
      "Tell the Truth"– 6:39
      "Why Does Love Got To Be So Sad?" – 4:41
      "Have You Ever Loved A Woman" – 6:52
      "Little Wing"– 5:33
      "It's Too Late" – 3:47
      "Layla" – 7:04
      "Thorn Tree In The Garden" – 2:53
       
      Bom, o cara estava inspiradíssimo, a unica que eu não curto muito é a "Thorn Tree In The Garden".

      Capa do album 
      Outras curiosidades:
       Bem, espero que todos gostem do post e escutem o album com calma, obrigado e vou me já andando!
      Próximo post fica a cargo do @Toush \o/\o/\o/
  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.