Chat
    As regras também valem aqui. O flood é parcialmente liberado mas não exagerem! Regras e punições na shout: http://unionforum.top/index.php?/topic/3532-v-10-regras-da-shout/#comment-73934
    Load More
    Use sua conta do leitor ou Fórum Union para mandar mensagens ou cadastre-se já!
Demmon

Ripper

24 posts neste tópico

Mestragem

Turno nº 01

...Ripper...

 

3:30 AM Mundo humano

City+Anime+Landscape+45.png

 

- Parece que temos mais um caso...

-Não diga, o que fez você perceber isso? Os dois corpos mutilados na sua frente!?

-Você fica bem estressadinho pela manha hein!?

- Desculpa, odeio ter que sair de casa e deixar minha família assim. Sinto que desde que começou essas mortes não tenho mais vida.

- Verdade, é o mesmo assassino pelo ao que tudo indica. Mesmas mutilações, buraco no peito, sangue para todo o lado. São quantos casos já!?

- É o quinto chamado, são dez vítimas ao todo já... Sem nem uma pista até o momento. Isso tudo em questão de semanas.

 

6 AM Soul Souciety

2707148.png?804

 

Raios de sol iluminavam toda a Sou souciety, uma cena linda de se ver e apreciar. Depois dos acontecimentos recentes muita coisa havia mudado la dentro, e as consequências dessas ações refletiam no comando de algumas divisões. Mas vida que seguia, todos os shinigamis trabalhavam para que a Soul Souciety se mantivesse funcional.

 

Ainda pela a manha Shiro / Kuro Tenente da Divisão 7ª (Nanabantai), Usagi Momoe tenente da da Divisão 5ª (Gobantai), Maekawa Kadso 3º Posto da Divisão 13ª (Juusanbantai). Recebem um recado para comparecerem imediatamente na Juunibantai, todos eles deviam parar seus afazeres para, caso necessário delegassem outro para terminar algum trabalho pendente. Mas fato era que tinha uma urgência para comparecer a divisão de pesquisa.

 

@ShinoNaro @Kadso @Fuyu

Kadso, Dracon e Fuyu curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Um Usagi ostentante de seu emblema de futukataichou e embebecido em sono lutava para não dormir em pé durante uma manhã na 5ª Divisão, onde observava um grupo de aspirantes a shinigami treinar kenjutsu, atividade um pouco entediante se comparada as missões que fazia anteriormente. Estava de pé desde antes do sol nascer, o que o irritava profundamente e o deixava com um humor acentuadamente pior, diga-se de passagem. Em dado momento, é obrigado a despertar e esbravejar a um dos alunos sobre sua insistente postura mal colocada, rigidez que considerava necessária para obter bons resultados. Dias como aquele já faziam parte da sua rotina desde o fim da guerra interna na Soul Society, que abalou por completo as estruturas enferrujadas daquele sistema. Por se juntar a rebelião, acabou por ser expulso da sua antiga divisão, embora sendo promovido a tenente de outra, o que, para ele, era uma segunda chance e um ato de complacência dos superiores, embora não os visse com o mesmo glamour de antes, ciente do quão negligentes eram com a ameaça iminente dos hollows. Por isso, encarava seu novo trabalho de orientador como uma forma de preparar a nova geração para o terrível perigo que estava por vir.

 

Contia um bocejo com a mão enquanto se preparava para assumir o centro do campo para começar a ensinar efetivamente aqueles jovens, quando, de repente, um mensageiro surge ao seu lado. Entreolhou-o e ouviu a mensagem que estava repassando; uma urgência, convocando-o ao departamento de pesquisa. - Bom, por pior que isso soe... pelo menos irei me livrar dessa chatice por um tempo. Muito bem, continuem treinando, terei de me ausentar agora, mas um outro superior estará logo a caminho! - Informou a sua turma. Convocaria o oficial mais próximo para comandar a aula e de imediato partiria para onde foi convocado.

Editado por Fuyu
Demmon e Kadso curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Awards

Depois de todo caos que literalmente atingiu a Soul Society, Shiro/Kuro estavam responsáveis pela sétima divisão. Isso basicamente conferia a eles todas as dificuldades e trabalhos que geralmente iriam para o capitão, mas sem os benefícios da patente. Era como ter só a parte ruim do trabalho do seu chefe. Estava de manhã cedo resolvendo pedidos de apaziguar confrontos entre divisões ou shinigamis após a guerra civil, o que era um dos deveres especiais da sua divisão.

 

- Haaah... A capitã se foi em um dos piores momentos de todo o Gotei 13... Mas não tinha jeito, considerando como as coisas terminaram naquela guerra; tantas mortes e sem conseguirmos evitar a declaração de guerra contra os humanos fullbringers. - Shiro murmurava enquanto trabalhava.

 

" É a nossa chance de conseguir a patente de capitão, ela sumir nos fez um favor. Desde que você não me atrapalhe, logo essa posição será minha! " - Kuro dizia.

 

- Fala isso, mas sou eu quem está fazendo todo o trabalho na divisão... Não que eu fosse deixar você resolver, pois só colocaria mais lenha no fogo. - Shiro resmungou em resposta.

 

Interrompendo aquela briga de uma personalidade com a outra, uma mensagem era recebida. Mais que uma mensagem, uma convocação para comparecer a décima segunda divisão.

 

- Aquela divisão é meio sombria... Durante a guerra eles não se envolveram muito, então estão basicamente intocados em questão de pessoal... Por que estão requisitando membros de outras divisões? - Shiro comentou, antes de chamar o segundo posto ou qualquer outro de parente alta que estivesse próximo, passando seus afazeres para ele.  Após isso resolvido, seguiria para o local que fora chamado.

 

" Espero que seja finalmente algo para me divertir. Não ter matado aquela tenente na guerra foi minha maior decepção em muito tempo, alguém tem que compensar. " - Kuro pensava, se referindo a sua luta contra a tenente da nona divisão.

 

 

Kadso e Demmon curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Após um pequeno período de inatividade em isolamento social para colocar os pensamentos em ordem, já era possível me encontrar em campos de treinamento da Juusanbantai auxiliando nos treinos mesmo na manhã. Isso era um pedido de Kaminari em uma visita que resultou em uma conversa sobre o atual estado de nossa divisão, futuro e os motivos de tamanha mudança. Eu não era oficialmente tenente da divisão, mas devido à fuga de Shion ao Mundo Humano, sobrou para Kaminari lidar com as responsabilidades de um taichou e eu que tinha o terceiro o posto tinha me tornado seu "tenente daiko".

 

Não achava de todo ruim. Eu amava a Juusanbantai e queria defender com unhas e dentes toda sua razão de existência, mas a rebelião na Soul Society tinha mostrado uma queda no prestígio da mesma. Hoje poucas pessoas procuravam ingressar nela e  muitas tinham intenção de sair, o que facilitava um pouco em meus mais novos afazeres, mesmo que me chateasse um pouco. Em contrapartida, não tinha ninguém para censurar meus "treinos" com as novas shinigamis do esquadrão.

 

_ Não, você está fazendo errado, deixa eu te mostrar como tem que fazer. Você tem que segurar sua zanpakutou assim. - Me colocava atrás de uma novata, mostrando como deveria empunhar sua espada corretamente.

 

_ Hei, Kadso-san. Por favor, me ajude também, estou com o mesmo problema que essa aí. - Pedia um jovem.

 

_ Agora não posso, estou ocupado com essa aqui. Tente sozinho nos observando. - Respondia ao rapaz antes de se voltar para a moça. - _ Agora, bem... acho que aqui nesse curto período e com tantas distrações não vai dar certo. Você vai precisar de reforço. Acabando aqui, você vai ter que ir pra minha casa para que eu te ensine como segurar no cabo. É, você entendeu.

 

Porém, o ritual de acasalamento é interrompido por uma mensagem para comparecer na Juunibantai rapidamente. - "Juunibantai? Não é a divisão daquele cara de óculos? Como é o nome dele mesmo? Ah, deixa pra lá." - Me lamentava internamente por ter que parar a bem sucedida (?) investida, mas também não achava de todo ruim fazer algo um pouco diferente, e afinal, também estava curioso sobre o pedido, motivo e de quem veio. - "Conversei com Kaminari há pouco tempo, será que ela tem algo a ver com isso?"

 

_ Bem, gatinha, preciso sair agora. A partir de agora você está no comando. Tome conta de todo o restante do treino.

 

_ Ah, mas você disse a pouco que eu não sabia segurar minha espada e ia precisar de reforço. Como eu tomo conta de tudo isso? Eu acabei de me tornar recruta!

 

_ Eu acredito no seu potencial, tenho fé em você. Passe lá em casa para me entregar o relatório de tudo e eu te passar mais instruções. Até mais!

 

E assim me encaminhava até o local requisitado.

 

@Demmon

Demmon curtiu isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Postado (editado)

Mestragem

Turno nº 02

...Missão...

 

Assim que todos chegavam à divisão de pesquisa, eram recebidos por um shinigami de máscara. – Bom dia. Sou Susumo, Por favor me acompanhem. – Sua voz tinha um tom de cansaço, isso sem contar as olheiras. – A algumas semanas tivemos vários incidentes no mundo humano..- Vocês andavam por um corredor claustrofóbico e de pouca iluminação. – Vários humanos estão sendo assassinados. O total de vitimas são dez até o momento. Temos um de nossos membros no mundo humano para algumas pesquisas....- Dava uma pausa momentânea como se estivesse falando o que não devia. – Enfim, ele acabou se deparando com essa situação e nos informou. A probabilidade disso ter relação direta com nossa pesquisa é bem alta. Dessa forma, sendo confirmada, vocês deveram ajudar a capturar o espécime vivo.- Chegavam a um laboratório. O ambiente era cheio de tubos e tanques transparentes, borbulhas saiam dos mesmos. Também existiam cabos e tubos por toda parte conectando uns nos outros, sendo impossível edificar a origem dos mesmos. – Segundo o relatório que foi enviado pelo shinigami, a atividade da provável criatura é entre meia noite e três da manhã. Isso dará bastante tempo a vocês para investigar o caso.- Ele vira para vocês com uma espécie de pistola. – Nos desenvolvemos esse equipamento, ele lança uma rede plasmática potente o suficiente para imobilizar Hollows.-  Ele segurava com dois dedos, como se estivesse desdenhado do equipamento. Esperava que um dos três pegasse a arma, para então continuar a falar. -  A não ser que seu inimigo seja nível capitão ou superior isso ira cuidar bem do serviço. Aconselho que pelo menos cansarem o espécime antes de disparar essa coisa. Só para ter certeza de sua eficiência mesmo...- Sentava em uma cadeira, de frente para uma tela gigante de computador. – Aah... antes que me esqueça, devido a alta carga gerada pelo equipamento vocês só tem um tiro. Então, pensem bem antes de atirar esse troço...-  Ele começa a digitar no teclado, meio que ignorando a presença de vocês. – O portal será aberto as 18 horas hoje, para vocês prosseguirem com a missão. Sei que é um momento conturbado para vocês, mas precisamos de Fukutaichous para isso. Organizem seus esquadrões para operarem perfeitamente em sua ausência. Isso foi uma ordem de cima... Maekawa, talvez isso tenha relação aos acontecimentos com sua Fukutaichou no passado. Foi um dos motivos, alem de sua força e boa relação com os Fullbrings para ter sido convocado, portanto, Ajude os Fukutaichous a cumprirem a missão. Obrigado, podem ir...- Continuava na sua digitação sem nem olhar para vocês. 

 

Tendo cargos altos, todos vocês terão doze horas para se organizarem e partirem mais tarde. Será também uma oportunidade para interagirem, e discutirem ideias. Mais tarde voltem ao Susumo, ele estará esperando vocês com aquela característica porta japonesa (que eu não sei o nome) para irem ao mundo Humano. 

 

@Kadso @Fuyu @ShinoNaro

Editado por Demmon
ShinoNaro e Kadso curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

De acordo com o pedido para comparecer na Juunibantai, era para chegar na divisão com urgência, e isso não foi nenhum problema. Tinham poucos, para não dizer quase nenhum "obstáculo" para me deter no percurso. Ao que tudo indicava, assim como muitos de meu esquadrão estavam em treino ou patrulha, o mesmo devia ser o caso das demais divisões na Seireitei, somado ao horário, tive raros cumprimentos que não passaram de acenos com a mão e cabeça.

 

Ao chegar no ponto indicado encontro dois rostos conhecidos que definitivamente não eram da Juunibantai. - _ Ah, olá, Impostor-chan! Como vai? - Cumprimentava com meu característico sorriso no rosto, e com os olhos semi fechados poderia ser difícil perceberem o tempo detido no emblema de fukutaichou de Momoe. - "Gobantai? Então foi isso que aconteceu." - Desde o término da rebelião não tinha notícias de Usagi, mas era grato pela ajuda que dele na infiltração para resgatar o membro da Yonbantai que era prisioneiro da Nibantai que era a própria divisão de Usagi, sem contar a ajuda posterior em batalha. Essa traição tinha lhe custado sua saída dessa divisão. Se ele era um devoto da divisão assim como eu sou da Juusanbantai, isso deve ter sido muito caro. Sentia muita simpatia por ele, até queria saber mais dele sobre isso, se tiver a oportunidade conversarei com ele sobre isso. Em seguida me viro para Shiro/Kuro. - _ E você é o Esquisitão. Tudo bem? - O rosto era conhecido, mas estivemos pouco tempo juntos, o suficiente para o achar esquisito, mas de confiança.

 

Com o trio convocado devidamente cumprimentado, o convocador finalmente dá as caras, ou quase. Um mascarado de nome Susumo. O sujeito parecia mais estranho que Shiro/Kuro, era de muitas palavras e ao mesmo tempo muita ação, ao menos indicava caminho, mostrava coisas, procurava outras, etc. Por outro lado, não parecia muito aberto para possíveis dúvidas, devia se julgar muito inteligente e com explicações impecáveis, mesmo que algumas coisas ditas parecessem enigmáticas. (Análise feita ao término de tudo, mas vamos por partes)

 

Somos conduzidos até um laboratório por um corredor mal iluminado. Nesse momento, um inconveniente acontece. Não temos controle de tudo e muitas vezes nosso corpo nos surpreende positiva ou negativamente, e dessa vez foi negativamente. Uma vontade incontrolável de peidar se apodera de mim, e antes num corredor que não parecia ser o local que nos fixaríamos por mais tempo do que em outro local, então, sutilmente, o máximo possível por não sair qualquer barulho, deixo meu gás metano para trás. Por sorte, a má iluminação ajuda a disfarçar minha ansiedade, e sem barulho ninguém podia me culpar, todos eram culpados e inocentes ali, e sem dúvidas nenhuma pelo cheiro que subiu, vítimas. - "Pelo menos esse aqui tá de máscara..." - Pensava em Susumo, e também tinha ouvido e entendido tudo que o mesmo dizia mesmo nesse momento de "aperto".

 

Chegamos num laboratório e Susumo continuava falando, as palavras agora tinham minha atenção dividida pelos aparatos todos do laboratório, mas ainda ouvia e entendia tudo, tanto que me viro com a mesma expressão para o tagarela quando ele diz o horário da atividade da criatura e levanto meu pulso esquerdo, simulando estar vendo o horário por um relógio que eu não tinha. Queria que ele entendesse a ironia do chamado de urgência nessas horas da manhã para uma missão na madrugada. Ele poderia convocar a qualquer horário, mas sublinhar urgência tinha se mostrado um exagero, e por um momento realmente acreditei que ele tinha entendido e agora estava irritado, pois tinha se virado com uma arma para nós. - _ Hei, peraí, não é pra tan... - Mas como se eu não estivesse falando ele continua e explica o que era essa arma. - "Juunibantai... não sei porque me surpreendo ainda, tsc..." - Exito um pouco para ver se algum dos dois pegaria a arma, mas não fizeram menção, então eu mesmo me adianto e a pego. No final, parece que foi a melhor decisão mesmo. De acordo com Susumo, só tínhamos um disparo e era aconselhado cansar o espécime antes de dá-lo, e ninguém melhor para cansá-los que os dois mais fortes ali, mesmo que eu não gostasse de admitir. De qualquer forma, não era minha propriedade e se fosse o caso, eu poderia passar para outro durante a missão ou mesmo antes.

 

As instruções para a missão continuam até chegar na parte enigmática. - "Relação com acontecimentos da Kaminari-chan no passado?! O que ele quer dizer com isso? E boa relação com fullbringers pode ajudar de que forma agora que estamos em guerra?" - Susumo não dava aberturas para dúvidas e logo após isso nos dispensa. - "Com isso já são dois idiotas que conheço da Juunibantai."

 

Saindo do laboratório me volto aos outros dois. - _ Alguma coisa contra eu levar a arma? Outra sugestão? - Aguardava a resposta antes de prosseguir. - _ Essa missão é bem misteriosa, como tudo da Juunibantai, até os membros, sentiram o peido que aquele Susumo soltou no corredor? Ele fede, por isso anda de máscara. Não sei porque eles precisam de membros de outras divisões para suas bizarrices. - "Curiosamente ele recrutou pessoas que estiveram no mesmo lado na rebelião, será uma coincidência?" - _ Bem, vou indo, é bom descansar, o período de atividade do que estamos atrás é da meia noite às três da manhã, não precisamos perder tempo aqui se vamos sair às 18:00 podemos acertar os detalhes durante essas seis horas com a investigação. Até mais!

 

Com isso volto para minha divisão. Ajeito o que precisava ajeitar para seu funcionamento que não vou detalhar porque o post já está maior do que eu queria. - "Relação com acontecimentos da Kaminari... será que eu devo ir falar com ela? E se ela não me contar e ainda me proibir de ir nessa missão? Afinal, nem é de nosso esquadrão. Melhor eu ver do que se trata e se precisar falo com ela quando regressar. Se for necessário..." - Tiro um cochilo, na verdade pretendia dormir, já que iríamos para o Mundo Humano as 18 horas e o período de atividade do que quer que seja era da meia noite às três da manhã.

 

17:30 já estava acordo e pronto para ir até o portal que levaria o trio ao Mundo Humano.

Fuyu e Demmon curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ao chegar na décima segunda divisão, Shiro foi recebido por um shinigami mascarado, e notou rostos conhecidos que também pareciam terem sido convocados ali. O dono de um desses rostos, se aproximou e falou com Usagi que era o outro, e depois com Shiro.

 

- Esquisitão...? Bem, bom dia... Lembro de ter te visto com a Kaminari-san. Desculpe, qual era seu nome mesmo? - Shiro respondeu, um pouco confuso, mas educado. Logo também se dirigia a Usagi. - Usagi-san, bom ver que está bem, depois de tudo o que houve por aqui. - Sorria ao ver que o conhecido de batalhas anteriores estava saudável.

 

- Bom dia, Susumo-san. Eu sou Shiro, tenente da Sétima Divisão. - Shiro se apresentou para o misterioso homem mascarado.

 

Após a breve apresentação, o homem já os foi guiando para dentro das instalações sinistras da décima segunda divisão. Começou a explicar a missão, sem justificar muito o motivo dos três terem sido chamados. O homem mencionou uma pesquisa que um dos membros deles estava desenvolvendo no mundo humano, apesar que disse isso sem intenção, e depois dizia que deveriam capturar o espécime que era responsável por assassinatos no mundo humano vivo, sem dar explicações sobre o que era o tal espécime. " Ele basicamente deixou claro que esses assassinatos são coisa dessa pesquisa que eles estão fazendo no mundo humano... Sério que ele está pedindo na cara dura para limparmos a sujeira da divisão deles? " - Shiro pensava boquiaberto com a cara de pau do sujeito.

 

A conversa prosseguia unilateralmente, e Susumo os apresentava uma arma para imobilizar a tal criatura. O conhecido de Kaminari, vulgo Kadso, agiu primeiro e pegou a arma. O homem continuou, e disse que precisavam de tenentes para realizar essa missão e que a ordem vinha de cima, sem dizer de onde. Depois de explicar o que queria, o homem os dispensava sem dar espaço para perguntas. Da mesma forma que o homem ignorou o espaço para perguntas, Shiro ignorou a dispensa e continuou lá para questionar. Afinal, Susumo não era um capitão ou um superior. E sinceramente, a divisão deles parecia ter cometido erros, e estava empurrando para eles.

 

- Como isso é claramente um problema da Décima Segunda Divisão, posso crer que o shinigami da sua divisão no Mundo Humano vai nos auxiliar, correto? O Tenente ou algum posto alto da Décima Segunda deveria ter essa obrigação, já que parece um problema de vocês, como eu já disse. Espero também explicações detalhadas sobre o tal espécime assassino de humanos. Por pedirem que tragamos ele vivo, obviamente é porque querem se utilizar de alguma forma da criatura, mesmo que seja somente para mais pesquisas. - Shiro estava claramente insatisfeito com como aquela conversa tinha sido tocada. Eles não eram subordinados da Décima Segunda Divisão, e muito menos recrutas e ainda assim estavam sendo tratados como tal. Independente do homem responder ou não, Shiro faria uma pequena reverência e sairia depois de falar o que tinha pra ser dito. " Heh, que raro você ter culhões pra falar algo decente. Deveríamos ter matado esse merdinha abusado, ainda mais querendo que tragámos a tal criatura viva? Vamos trazer o que sobrar dela. " - Kuro falava na cabeça de Shiro.

 

Ao saírem do laboratório, Kadso se dirigiu aos dois.

 

- Não me importo, por mim você pode ficar com essa arma. Não quero me envolver mais que o necessário com essa divisão. Te vejo depois. - Shiro ainda estava um pouco irritado, por isso também ignorou o comentário sobre peidos. Kadso então se despediu e seguiu seu caminho para aproveitar as horas livres até a missão começar.

 

- Usagi-san, tenho certeza que notou que é só uma missão de limpar a sujeira da divisão deles. E é curioso empurrarem isso pra gente, com a dificuldade de ter que trazer a criatura, seja lá o que for, ainda viva. Poderia ser uma tentativa de se livrarem dos shinigamis envolvidos na guerra civil de forma discreta ao dizer que fomos mortos em missão. Teremos que tomar um cuidado extra. - Shiro falou de forma séria com Usagi, e encerrou com o aviso para serem cuidadosos. - Irei me preparar, até mais tarde. - Se despediu e voltou para a Sétima Divisão.

 

Voltando para sua divisão, Shiro convocaria todos os oficiais da divisão que estivessem presentes. Explicaria que teria que ir ao mundo humano, e deixou cada um deles com as responsabilidades necessárias pra manter a divisão em ordem. Depois de resolver isso, Shiro iria descansar e se aprontar para ir ao local do portal. Chegaria com tempo de sobra, evitando atrasos.

 

 

 

 

 

 

 

 

Kadso, Fuyu e Demmon curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Passos céleres tocavam delicadamente o telhados dos muros da Soul Society, criando a imagem de uma sombra pairando pelos céus iluminados da cidade. Era Usagi, impulsionando-se o mais rápido que podia para onde foi convocado. Aqueles poucos segundos foram o suficiente para lhe despertar de seu tédio de poucos minutos antes. Graças a sua eficácia em encontrar um substituto, conseguiu deixar a 5ª Divisão sem nenhum problema. Não levou muito tempo para avistar a divisão de pesquisa, o que o fez diminuir o ritmo e chegar tranquilamente a sua porta de entrada, onde um mascarado aguardava-o junto a outros já conhecidos.

 

Tratava-se do fukutaichou Shiro e do oficial Kadso, companheiros de longa data de outras batalhas, fazia tempo que não os via pessoalmente, estava positivamente surpreso em reencontrá-los. Ofereceu um cumprimento formal e respeitoso a ambos, curvando-se com as mãos juntas. - É bom ver que seus esforços estão sendo reconhecidos pela divisão, Shiro. - Feitas as formalidades consideradas necessárias, poderia então se dirigir ao outro como realmente queria. - Isso é jeito de se referir a quem salvou sua pele da última vez? Mas, estou bem. E espero que você esteja se tornando um pouco mais tolerável com as mulheres. - Ironizou, com um leve sorriso. - Então, podemos ir?

 

Estavam sendo levados para uma sala em particular conectada pelo um corredor escurecido e espremido, permanecendo em silêncio, Usagi se perguntava sobre aquilo. - ''Nesse ponto, é óbvio que não é uma tarefa qualquer. Por que ele precisaria de dois tenentes e um oficial?  Pensar sobre, sem saber do que se trata, não me levará a nada, mas...'' - Parou quando ele começou a introduzir alguns pormenores sobre o caso, como o que estava acontecendo e porque teriam de ir até o mundo humano dar cabo de uma espécie não especificada, mas descontrolada. - Se um de seus pesquisadores está lá, por que não simplesmente manda ele solucionar esse caso? Ou contactar a D.I.C.E? Além do mas, como pretende nos dar esse trabalho sem especificar o que é essa pesquisa e a criatura? Nós temos o direito se saber se vamos ajudar. - Foi direto, não estava negando o trabalho, mas queria que as coisas fossem mais claras.

 

A conversa para. Momentaneamente, sua atenção se voltou para o laboratório em que acabara de chegar, incontáveis tubos sem começo ou fim entrelaçavam-se por todo o cenário, criando um ambiente quase que com vida própria. O cientista retorna ao seu relatório superficial dando as coordenadas básicas como horários e o modus operandi do ser, puxando em determinado momento um objeto misterioso, que parecia pertencer ao mundo humano, mas que prometia ser eficaz contra a criatura. A sugestão soou aos seus ouvidos como uma ofensa. Não era burro, tampouco cabeça dura, mas achava que o rapaz estava o subestimando ao sugerir que necessariamente precisariam daquilo para trazer a criatura imobilizada. Apenas fez um sinal negativo com o rosto e concordou com Kadso se apoderando dela. Antes de partir, porém, Shiro decide reiterar os pontos levantados por Usagi no corredor, os dois já haviam lidado com o desconhecido antes e sabiam como era perigoso; cruzou os braços e sorriu maliciosamente observando a reação do cientista, podia apostar que ele não esperava uma resistência.

 

Já fora do laboratório, reuniram-se para debater o apresentado. Kadso reivindicava a posse da arma, e Usagi não poderia ligar menos para ela. - Boa sorte com seu brinquedinho de um tiro só. Antes de ir, espere. Se você nos acompanhar nesse trabalho, talvez... talvez veja coisas que ainda não tenha visto, como nós vimos a algum tempo. Se isso acontecer, prometa que ficará entre nós, por um tempo. Disse num tom claro de alerta, antes de se despedir do oficial. Sobrando apenas ele e Shiro, sentia-se livre para falar sobre coisas que apenas eles tinham experienciado.

 

Hum, então você também percebeu. Normalmente, eu me negaria a agir como uma peça no tabuleiro desses cientistas malucos. Mas, talvez, essa seja a chance de descobrirmos mais sobre o que aconteceu naquele dia com a Kaminari. Você não se esqueceu, não é? Ainda está vívido na minha mente. - E deu um salto para cima do muro mais próximo. - Nos vemos daqui a algumas horas. - Partiu para sua divisão e acertou todos os detalhes para sua ausência, voltando ao laboratório na hora indicada para atravessar o senkaimon.

 

@Demmon

Kadso, ShinoNaro e Demmon curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Awards

Postado (editado)

Mestragem

Turno nº 03

...Borboletas amarelas são pressagio de morte...

 

O gás aquecido e apodrecido vindo das entranhas de Kadso foi limitado aos narizes de seus companheiros, já que Susumo tinha uma conveniente máscara. Aquele odor de morte proveniente da fenda do shinigami fazia os olhos de todos lacrimejarem perante a tamanha frouxidão. Susumo não dava brechas para os convocados fazerem perguntas. Usagi no corredor até tenta fazer algumas, mas não eram todas respondidas. – Desculpe, mas algumas informações não foram passadas para mim. Mas cortamos ligações com a DICE, se estão agindo de alguma forma não sei dizer. Mas de nossa parte não iremos de forma alguma contacta-los.- continuando seu caminho. Mas algo curioso acontecia no momento que respondia, ele olhava para os lados e tinha uma expressão de ansiedade, como se estivesse procurando alguém...

 

Ao final de sua explicação Shiro / Kuro se recusam a sair da sala, queria que suas dúvidas fossem sanadas, e com indignação força as respostas. – COMO OUSA ACUSAR JUUNIBANTAI DESSA FORMA!?- Ele levanta de sua cadeira, estava claramente enfurecido. – Isso afeta todos nós dá soul soucity, não só a Juunibantai! Que tipo de atitude nociva é essa vinda de um tenente!? Apontando o dedo e acusando a divisão de coisas que não fez!? Estamos em guerra precisamos da colaboração de uns dos outros para que possamos ser vitoriosos e você me vem com essa arrogância toda!?- Sua voz deixava de ser calma e sonolenta. – Posso te garantir uma coisa! Se essa coisa fosse realmente nossa, você nunca iria nem saber de sua existência! - Ele então saia da sala.  

 

[...]

 

0dcd243a5cba4a4eecb78241539d5fd9.jpg

 

O entardecer caia. Raios alaranjados tocavam o topo das construções, alterando toda a coloração da Soul Souciety. Logo que chegam ao local marcado para dar inicio a missão, o trio pode observar que Susumo não estava sozinho. Um outro shinigami de longos cabelos brancos e de postura elegante, estava o acompanhando. – Olá a todos...- Sua voz era suave, porem fria. Tão fria quanto a expressão em seu rosto. Esse era Tomoko Zan, talvez os tenentes presentes o conhecessem, pois era o Fukutaichou da Juunibantai. Ele assim como seu capitão quase nunca dava as caras, sempre estavam engajados em suas pesquisas e experimentos. – Chegou a meu conhecimento que meu imediato teve um breve desentendimento com vocês, peço desculpas por isso...- Sua expressão nem chegava a mudar. – Curve-se...-  Susumo não tinha expressão em seu rosto, seus olhos estavam sem vida alguma. E como havia sido ordenado o shinigami mascarado se curvava a vocês. – Tem algo a dizer!?- Tomoko perguntava. Me desculpe Fukutaichou, pelo meu comportamento.- Tomoko olhava para ele. – Ajoelhe-se...- Novamente seu subordinado acatava a ordem como se fosse uma marionete. – Espero que isso seja o suficiente para aceitar nossas desculpas. Ele está bem arrependido do modo que agiu... Tenho certeza que isso não ira influenciar a relação entre nossas divisões , assim como, no bom andamento dessa missão, que é de grande importância para o momento em que vivemos. - Fazia uma breve reverencia. – Nosso pesquisador estará esperando por vocês do outro lado. Sei que está tudo muito confuso, mas qualquer que sejam suas dúvidas, podem ser tratadas com ela... -

 

Outro deus da morte aparecia interrompendo a cena. Ele era de aprecia jovem, entorno de 16 anos, de pele morena e moicano roxo. - Fukutaichou Usagi! Fukutaichou Shiro! Por favor protejam a Hana, ela é muito distraída e temo por sua vida!- (Kadso era um zero a esquerda) Zan olha para o jovem friamente. – Tatsuo... Volte a seu posto.- Rapidamente o brilho em seus olhos sumia e o garoto recuava. – Com sua licença, devo voltar aos meus afazeres... - O Fukutaichou da Juunibantai também saia do local, Susumo aos poucos se levantava como um boneco, para acompanhar a dupla.

 

latest?cb=20120629231501&path-prefix=en

 

Passando pelo portal, vocês aparecem no mundo humano em cima de um alto prédio. Lá vocês podem ver todo o resplendor da cidade, conforme o sol terminava de se por. Para os mais entendidos e familiarizados com a região, conseguiam ver o Hospital de Sakurabashi, que estava bem próximo deles.  – Oohayooooou!!!- Uma jovem shinigame saltava a frente deles. Sua aparencia era de uma garotinha de no máximo 13 anos, tinha longos cabelos negros e uma franja.. – WOOOW! Quando o comando me disse que iriam enviar ajuda, não imaginaria que Fukutaichou Usagi e Fukutaichou Shiro viriam.- Sua voz era estridente e aguda. Olhava para Kadso. – e você é!?- Chegava bem próxima, olhando no fundo dos olhos de Maekawa. Ela então recuava. Falando com todos: – Prazer sou Yamamoto Hana! Pesquisadora especialista em células hollows. – Fazia um v com os dedos, enquanto uma estranha borboleta amarela pousava em seu ombro. A coloração nas asas da borboleta formava uma caveira visto de longe. – Então, como querem começar?!?- Hana parecia ser uma pessoa hiperativa.

 

[Texto não revisado ainda]

 

@Kadso @ShinoNaro @Fuyu

Editado por Demmon
Kadso, ShinoNaro e Fuyu curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O homem chamado Susumo respondeu os questionamentos de Shiro com uma agressividade e tanta.

 

" Todo esse nervosismo só deixa a situação ainda mais suspeita. Parece que alguma pressão também foi colocada nessa divisão. " - Shiro se surpreendeu ao ouvir a fúria do homem, e somente seguiu seu caminho como dito anteriormente.

 

Ao chegarem no local de encontro para irem ao Mundo Humano, logo notaram que Susumo não estava só. O homem de cabelos brancos os cumprimentou.

 

- Tomoko Zan-san... Olá. - Shiro por ter o mesmo cargo, já conhecia o homem devido aos encontros pelo Gotei. " Como imaginei, alguém de posição relevante na divisão deles apareceu para dar alguma satisfação... " - Concluiu.

 

Tomoko Zan disse que ficou sabendo da pequena confusão envolvendo Susumo, e pediu desculpas sem expressar muito arrependimento ou qualquer outro sentimento. Algo parecia estranho também em Susumo, Shiro só podia imaginar que algum tipo de punição bizarra tinha sido designada ao homem. " Apesar das atitudes dele, me sinto mal pelo Susumo-san... O que será que fizeram com ele...? " - Shiro pensava ao ouvir os pedidos de desculpa. - Já basta, sinto muito pelo desentendimento também. - A gentileza de Shiro acabou falando mais alto que sua chateação.

 

O tenente da décima segunda divisão prosseguiu, explicou que o pesquisador deles estaria do outro lado e poderia explicar mais sobre a situação. Logo depois, chegou mais um shinigami se dirigindo aos dois tenentes, Shiro e Usagi, para que protegessem alguém chamado Hana. Zan rapidamente pediu o silêncio do aparente subordinado, com uma ordem para ele voltar ao seu posto. - Eh... Farei o possível... - Shiro respondeu com um sorriso sem graça, sem entender quem era o garoto ou quem era Hana. 

 

Por fim, o trio seguia pelo portal até o Mundo Humano. Chegaram no alto de um prédio, de onde podiam ver a cidade e o sol se pondo. Foram recebidos por uma mini shigami animada, que já conhecia os tenentes provavelmente de vista.

 

- Então você é a Hana-san... Haha! Sou Shiro, Tenente da Sétima divisão e estou aqui para auxiliar na captura da tal criatura. - Shiro deu uma risada ao notar que talvez o jovem de antes estava preocupado por ela ser tão pequena. Shiro notou uma borboleta estranha pousar no ombro da shinigami, a medida que ela questionava como queriam começar. - Por que não começa nos explicando quando, como ou de onde surgiu a criatura? Não recebemos muita informação, então qualquer coisa poderia ser útil. E tenho que ser sincero, acredito piamente que a divisão de vocês tem relação com isso... Sabe, vocês são misteriosos e as outras divisões não sabem muito do que vocês fazem ou deixam de fazer nas suas pesquisas. - Shiro esclareceu em um tom calmo, não era a intenção procurar brigas, só resolver suas dúvidas.

 

" Essa pirralha é estranhamente empolgada pra alguém dessa divisão de esquisitões. Talvez ela mesma seja um experimento? Uma tentativa falha de criar um shinigami ou algo assim. Heh! E essa borboleta amarela? Não abaixe a guarda perto dela, no menor sinal de ameaça deixe que eu a mato. " - Kuro zombava da garota, e já pensava em eliminá-la. Shiro só coçou a cabeça ouvindo as palavras da sua contraparte.

 

 

 

Kadso, Demmon e Fuyu curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Postado (editado)

Terminando seus afazeres e preparando a divisão para sua ausência, Usagi pensava sobre a missão que estava prestes a embarcar. Havia acabado de fechar a porta da sala do capitão, após contatá-lo sobre o chamado (sem dar maiores detalhes) e começou a andar encarando o chão de madeira que produzia um som característico conforme seus passos. Não estava triste, de forma alguma, mas reflexivo. – “Aquela reação exagerada mais cedo... – Referia-se a resposta a Shiro – Isso deve estar deixando todos daquela divisão com nervos a flor da pele. Estou sendo idiota por me agarrar a essa esperança, mas, se eu tiver a chance de reencontra-los...arrancars!’’ – Se seus pensamentos estivessem sendo vocalizados, suas últimas palavras estariam carregadas de um tom notável de rancor.

 

 

Já era entardecer quando chegou no lugar em que o portal estava aberto, onde Susumu os aguardava acompanhado de outrem. A presença do tenente da divisão de pesquisa fora uma surpresa, inicialmente Usagi cogitou que ele estaria ali para se juntar ao trio, mas rapidamente ficou claro que suas intenções eram outras. Assim que o cumprimentou, as coisas começaram a ficar um pouco mais estranhas. Era perceptível que o mascarado parecia fora de si e não carregava vida em seus olhos, quando Tomoko começou a falar, a razão veio a tona. Usagi observou a cena apático, sua única reação foi cruzar os braços, incrédulo no que estava vendo. No momento em que o homem terminou de falar, ele soltou um suspiro de desconforto. – Isso é mesmo necessário? Levante-se. Ele apenas deu seu ponto de vista, assim como demos o nosso, nada mais. Todos estamos com a paciência esgotada depois do que nos aconteceu. – Sua voz era firme e rigorosa, como se estivesse dando um sermão no próprio tenente – Humilha-lo dessa forma não trará um pedido de desculpas sincero. – Ainda que aquela situação fosse favorável a massagear o ego de Usagi, ele havia, por autoconsciência, se colocado no lugar do rapaz; sabia que em outros tempos, poderia ter sido ele ali, sendo pavio curto como era. - Podemos partir? - Ele diz depois de ouvir as informações de Tomoko, já a caminho da porta, quando um outro shinigami visivelmente jovem surge no local, parecia preocupado com sua companheira, assentiu com a cabeça e deu um passo a dentro, atravessando o portal.

 

O portal abriu-se no topo de um dos inúmeros prédios da selva de concreto de Karakura, onde o tempo correspondia ao da Soul Society e proporcionava uma movimentação intensa de pessoas nas ruas tingidas de laranja, imersos em sua ignorância, Usagi se perguntava por um momento como era viver assim. Quebrando sua contemplação, uma shimigami irritantemente animada surgia do nada, aquela animação juvenil definitivamente não era agradável de se conviver. - Eu ficaria longe dele se fosse você, pela minha própria segurança. - Comentou ironicamente ao vê-la aproximar-se de Kadso, o mulherengo. Não sabia se o grisalho era chegado a uma loli, mas não duvidava de sua capacidade de surpreende-lo com seus gostos condenáveis. Ao término das saudações, uma suspeita borboleta amarela repousa sobre o ombro da garota, enquanto ela propunha uma forma de começar o trabalho. Não tinha um bom pressentimento sobre aquele animal. - Hana-san, não é? O que é esse animal junto a você? - Indagou olhando fixamente a criatura, tentando puxar de suas memórias se aquela espécia tinha sido estudada na acadêmia - De qualquer forma, temos muito tempo até que a criatura entre em seu período de atividade. Até lá, podemos investigar onde ocorreram os assassinatos e buscar por pistas, evidências ou algo do tipo. O que acham? - Propôs aos três. 

 

Editado por Fuyu
Demmon e Kadso curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Awards

As últimas palavras de Usagi antes de nos despedirmos não foram suficientemente perturbadoras para tirar meu sono, mas foram o bastante para ocupar minha cabeça antes de dormir e depois de acordado. É estranho ficar expectante por uma coisa que você não sabe o que é. No caso de acontecer, como saber se era sobre aquilo que Momoe tinha falado?

 

Para essa missão que envolvia a ida ao mundo humano, tinha optado por usar minhas botas da Oakley e meu Julliet. Nitidamente eu era o com mais estilo, melhor vestido do grupo, não era necessário votação.

 

Porém, antes de cruzarmos o portal que nos levaria ao mundo humano teve um outro "diálogo", se é que poderia chamar disso, entre os tenentes convocados e o convocador para a tarefa que resultou numa intervenção do fukutaichou da juunibantai para maiores e melhores explicações sobre a missão, mesmo que isso fosse dado apenas por uma loli (só saberia disso depois) e um pedido "formal" de desculpas em nome da divisão. - _ Tsc, e não é que vocês tem honra? - Soltava um comentário que poderia ser interpretado de diversas maneiras. Não era como se eu não estivesse interessado nos detalhes do trabalho, mas só por me terem dito que poderia ter algo a ver com Kaminari eu tinha me decidido a fazê-lo e não estava disposto a deixar transparecer qualquer receio em colaborar, como os outros dois fizeram.

 

Um outro sujeito surge, ou estava ali o tempo todo sem ser notado, e a ironia é que aparentemente ele não me nota, mas não me incomodo muito, afinal, por mais que ele não tenha pedido minha ajuda na segurança de Hana, eu definitivamente a protegeria melhor que os outros dois. - "Será que é por isso que precisamos de dois fukutaichous nessa missão?" - _ Pode deixar comigo que eu cuido dessa Hana! Ela é mulher, né? Digo, você disse no feminino, mas quero dizer, ela não é um traveco, né? - Não tive a resposta dessa pergunta de Tatsuo, mas a encontraria assim que cruzasse o Senkaimon.

 

O grupo é recepcionado calorosamente por uma shinigami que reconhece os fukutaichous, como era esperado e pergunta sobre mim, se aproximando e recebendo um alerta de Usagi. - "O que será que ele quis dizer com isso?" - _ Ah, fala sério! Você que é a desconhecida aqui, eu sou Maekawa Kadso, terceiro posto da Juusanbantai, entendeu? TER-CEI-RO. Não é possível que não me conheçam, eu sou muito melhor que muitos outros fukutaichous e mais importante que isso, quantos anos VOCÊ tem? - Se entre os humanos a aparência por muitas vezes enganava, isso era ainda mais frequente entre shinigamis, e alguém com a aparência de uma criança poderia até mesmo ser mais velha que eu, e dentro dos limites da lei, pegável sem a censura da sociedade. Cada um ali fazia a pergunta que lhe interessava. Tanto Shiro/Kuro quanto Usagi já tinham perguntado o essencial para se começar a missão, eu me beneficiaria dessas informações tanto quanto eles, então procurei me beneficiar de outra forma também.

 

OFF: por algum motivo estranho bugou tudo aqui e não consigo formatar esse post. Peço desculpas se ficar ruim de ler ou entender, principalmente ao mestre. Qualquer dúvida, sabe onde me encontrar, Chuchu <3
Ah, também já é de madrugada para mim, estou com sono e não revisei. Vou ver se consigo amanhã.

 

@Demmon

Fuyu e Demmon curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Postado (editado)

Mestragem

Turno nº 04

...Desespero...

 

- Não é educado perguntar a idade de uma dama! - O trio ficava surpreendido com o tal agente que tanto ouviram falar nessas últimas horas. A garotinha sorria vendo a reação de todos, mas Kadso a intrigava. –Terceiro ? Mais forte?- Ainda sorrindo falava Não parece verídico....- Muitas dúvidas cercavam essa missão, e aos poucos os Tenentes iam pedido explicações. Mas acima de tudo, todos queriam saber que diabo era aquela borboleta que ficava voando perto dela. – Hum!? Aaah sim, essa aqui é a minha Shikai! Shi no zenchō!-  Abraçava a borboleta jogando seu corpo de um lado para o outro. – Não é fofinhaaaaaaaa!!?!??!?!!?-  por um instante sua expressão ficava pouco perversa. – Só aconselho não tocarem nela...-

 

- Com certeza seria a melhor atitude a se tomar é irmos no local investigar... Ainda não fui lá ... :c- Respondia  Usagi. Agora olhando para Shiro enquanto ele falava. – Haaaãn, não explicaram nada para vocês!?- Colocava o dedo indicador na ponta do queixo fazendo uma pose pensativa. – Não me surpreende muito, para ser sincera. Nossa divisão anda limitando muitas informações sobre esse caso, entre outros também... Os boatos pelos corredores são que existem shinnigamis traindo a seireitei...-  Pela primeira vez ela estava seria. – Mas é claro que não é meu caso!- Piscadela com amor.   – Por ser especializada na área genética Hollow, me chamaram e me entregaram um relatório da Juusanbantai. Contando um contato de um espécime criado e/ou geneticamente modificado, que foi eliminado pela Kaminari-Fukutaichou. O arquivo não estava completo, vários trechos estavam apagados. Entretanto vocês estão lidando comigo!!- Fazia uma dancinha toda empolgada - Por todo o contexto do arquivo eu consegui fazer essas e outras conclusões. Não são nada cem porcento garantidas, mas acredito que cheguei bem próximo dessa porcentagem- Dava uma pausa pensando. – Talvez não devesse ter falando essas coisas confidenciais... MEU DEUS! Fukutaichou vai me matar! se eu estiver falando coisas indevidas aqui!?!?!?!?- A garota parecia atordoada em pensamentos, ficava murmurando palavras sem parar e chorando. Havia várias coisas que ela deixou de comentar, pelo fato de ter se distraído. O Trio deveria quebrar o ciclo de pensamentos e sentimentos de angústias da jovem garotinha, se quisessem continuar com o relato.

@Fuyu @Kadso @ShinoNaro

Gera perdoem a demora. Andei com vários problemas técnicos :c

Editado por Demmon
Fuyu, Kadso e ShinoNaro curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Com as apresentações feitas e os questionamentos também, a pequena shinigami começou a responder. A tal borboleta acabou se revelando ser a shikai da garota.

 

- Oh, então era isso. - Shiro comentou com um sorriso.

 

" Então ela já nos recebeu com a shikai ativada? E pelo comentário dela, o seu poder nos afetaria por contato direto? Me lembrarei disso, heh. " - Kuro não descartava a possibilidade de lutar contra a shinigami, e já ia reparando em detalhes para um conflito. 

 

Continuando a conversa, Hana concordava em terem que começar indo até o local dos ataques. Depois se dirigindo a Shiro, respondeu os motivos da divisão dela não ter dito quase nada para os três, que era devido aos conflitos internos do Gotei e as traições. Também disse ser especialista em pesquisa genética hollow e deu algumas explicações superficiais sobre algo que a Tenente Kaminari teria se envolvido na eliminação, e não parava de falar coisas que parecia que iriam se perder se ela continuasse. 

 

- Hana-chan? Então posso concluir que a criatura que a Kaminari-san eliminou tem ligação com a que estamos procurando? E seu campo de pesquisa, então a criatura é algum tipo de hollow que sofreu experimentos? - Shiro a interrompia. - E sobre essa criatura anterior, descobriram quem estava por trás dela? É possível que seja o mesmo culpado? - Emendou.

 

A medida que as perguntas fossem feitas e respondidas, Shiro iria acompanhar Hana caso ela começasse a guiá-los até a cena do crime.

Kadso, Fuyu e Demmon curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Postado (editado)

De seu próprio jeito hiperativo e descontraído, a pequena shinigami revelava a origem da borboleta amarela, que acabava não sendo a alternativa presumida por Usagi. O homem cruzou os braços e fitou a jovem e sua pequena cria, um pouco obstinado a acreditar que era realmente sua shikai. Mas, pensando na chance de não ser um blefe, também estava genuinamente curioso para saber o funcionamento dela, e qual o motivo da restrição ao toque. Haviam dúvidas mais pertinentes que aquela, então apenas guardou para si mesmo suas impressões, enquanto ouvia a nanica desembuchar sobre a misteriosa investigação.

 

Já estava claro que a Juunibantai pretendia manter aquilo o mais confidencial possível, o que levava Momoe a pensar que de fato estariam lidando com um experimento falho da divisão, e não era benéfico para ela ter sua reputação manchada com a informação vazando. A medida que foi ouvindo fora como se pequenas peças caíssem e se rearranjassem em sua mente, tentando criar um panorama do quadro. - ''Traidores, espécime geneticamente modificado, ocultação de fatos em arquivos, tenente Kaminari... As coisas começam a fazer um pouco mais de sentido.''  - Lembrava-se do desfecho de sua outra missão no mundo humano, onde houve muita semelhança com o que estava sendo relatado no momento.

 

''Uma especialista em genética hollow? Não é ilógico pensar que estamos a procura daquelas coisas mais uma vez, talvez precisem examina-las.'' - Concluiu, enquanto a garota começou a ter um ataque histérico pela sua língua grande. - Está tudo bem. - Disse altivamente - Você fez o correto em nos contar tudo isso, vai ajudar nas investigações e na forma como agiremos durante a missão. Além do mas, aquele magrela mascarado já havia nos passado coisas parecidas, você não vai se meter em encrenca. - Dito isto, começou a olhar para os arredores, tentando sentir algum rastro espiritual por perto - Conte-nos mais detalhes no caminho, não podemos perder tempo choramingando aqui, nosso tempo é apertado.

Editado por Fuyu
Demmon e Kadso curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Awards

"Dama?! Isso quer dizer que ela já possui idade para a cópula ou que é de família nobre? Mas o que alguém de família nobre estaria fazendo na juunibantai? Vamos continuar investigando." - O fato de ainda não saber muito sobre com quem estava lidando é motivo para me refrear, inclusive deixo passar a descrença da "dama" quanto a minha força. - _ Calma aí, não quis te irritar ao perguntar sua idade, muito pelo contrário. Ôh Lolizinha eu quero te ver contente, não abandona o bonde da gente, na Seireitei confesso tu tem moral, vieram de Rukongai pra sentar no grau. - A última frase era dita cantando e fazendo gestos com as mãos como se fosse um McDonald. Essa era mais uma clássica música, dessa vez com algumas modificações, improvisada para a situação.

 

Ainda antes de prosseguir com informações sobre a missão, a Loli revela que a borboleta, que até então eu não tinha dado muita importância era sua Shikai. - _ Humm... Lolizinha, e o que ela está fazendo exatamente agora, voando por aí? - Procurava pela zanpakutou de Hana enquanto ela jogava a borboleta de um lado para o outro, algo que também não tinha me atentado antes. Queria saber se a borboleta era uma transformação da zanpakutou ou se era uma habilidade externa à ela. - _ Não tocar? - A pergunta era mais para mim mesmo do que qualquer outra coisa, não passou de um pensamento dito em voz alto que foi prontamente ignorado pela Loli que se adiantava dando mais detalhes sobre a missão.

 

Ouvia tudo que ela tinha a dizer atentamente. Shinigamis traindo a Seireitei não era exatamente uma novidade, talvez esse seja o motivo de sermos recebidos por Hana e sua shikai (tanto ela pode ser uma traidora, apesar de dizer que não, como alguma cautela para conosco). O restante da informação nova se tratava das credencias de Hana e o envolvimento da espécime com Kaminari antes de substituir o falatório por um choratório (também com falas pra piorar). - "Por que Kaminari não me fala esse tipo de coisa? Tsc" - _ Como o Imp... Usagi-fukutaichou disse, já sabíamos disso tudo, aliás, teve um esquisitão de máscara que levou uma bronca de seu fukutaichou por não nos dar informação, então não se preocupe. - "Por um momento quase chamei o Impostor-chan de Impostor-chan, com traidores na Seireitei não é bom chamar ele assim perto de estranhos." - _  Agora voltando à missão, você é especialista em genética hollow? Não parece verídico. - Fazia a mesma cara de deboche que tinha recebido. Devolvia na mesma moeda o que tinha recebido da Loli. Isso tinha o intuito de trazer ela de volta a si e continuar com a explicação. Pelo pouco observado, ela era hiperativa, algum nível de deficit de atenção e poderia queria responder algo quando provocada. - _ A propósito... - Arrancava alguns fios de meu cabelo e rasgava uma pequena parte da manga de meu shuhakushou, enrolava os fios na parte rasgada e jogava na borboleta. - _ O que  exatamente aconteceria se encostássemos nela? - Queria saber o que causaria em algo orgânico e inorgânico que encostasse na borboleta, para ver se era venenosa ou algo do tipo, minha preferência para o teste seria uma folha ou um galho arrancado, mas em cima de um prédio não encontraria isso e não tinha certeza se teria outra chance de saber sobre isso.

 

Com o convite de Usagi, o trio parecia pronto para sair de cima do prédio e demais esclarecimentos seriam dados no caminho (se a Loli tivesse de recomposto). - _ Ah, Dama-chan, por curiosidade, que tipo de modificação foi encontrada nesse hollow?

 

@Demmon

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Mestragem

Turno nº 05

...investigação!?...

 

Os shinigames iam tentando acalmar a garotinha, reforçando a necessidade deles saberem de tudo sobre o que esta envolta dessa quest. Conforme ela ia escutando seus argumentos ela foi se acalmando e parando de chorar. – Vocês estão certos.... Até mesmo por isso espelhei elas por toda a parte.- Abria um sorriso depois dessa fala.

 

O trio era surpreendentemente eficientes como um todo, cada um pontuando assertivamente os questionamentos sobre os eventos que secundavam a missão até o momento. Fazendo com que suas perguntas individuais se completassem, e abrangessem todas (ou quase todas) as pontas soltas deixadas pelo mestre.  – Não pareço especialista?- colocava o dedo no queixo. Tudo bem, você parece que veio aqui de cotista mesmo....- Shiro a chama. – Acredito que tenha a possibilidade de ser algo relacionado ao o que aconteceu com a Kaminari-Fukutaichou. A verdade é que fui enviada para o mundo humano para procurar pistas no local da luta dela com a criatura. Porem, em minha estadia aqui, esses assassinatos começaram. Estive em algumas das cenas de crime, e fato é que não me parece um comportamento de um hollow normal. Me levando a crer que pode ser outro desses. Não não tenho cem por cento de certeza sobre isso...- as perguntas continuavam. – Não tive contato com essa criatura ainda, não sei exatamente o que possam ter feito com ela.- E para a terceira pergunta do shinigami – Todas as informações relacionadas ao culpado disso, estavam apagadas do relatório que me entregaram. Porem...- Ficava seria. – Só um grupo de indivíduos poderem ter feito algo do tipo, não imagino um só realizando tudo isso sozinho. Com toda minha experiencia na área não conseguiria fazer algo do tipo sem uma equipe... Para ser sincera, não sei nem se daria conta de fazer...-

 

 Enquanto isso parecia que kadso não estava dando a devida atenção a explicações. Com um intuito de fazer um teste sobre as habilidades da Shikai, fazia uma gambiarra e jogava na pobre borboleta. Que no seu bailar de asas desviava. – Ei! Você tem down garoto!?- Logo mais  Usagi interfere. Ele tinha receio de estarem perdendo muito tempo parados lá, então sugeria que começassem a se dirigirem para o local adiantando o trabalho. – Certo!- Ela abria um mapa da região holográfico. Nele tinha marcados com números vermelhos os locais onde tiveram os eventos. Definindo a rota, a garota puxava o grupo. Assim que saiam podiam ver no mínimo vinte borboletas amarelas, perseguindo o grupo.  – Foi você que tinha perguntando delas não é!?- Olhava para Kadso. – Elas são ótimas para monitorar o ambiente. ^^- Sem muitas explicações sobre o funcionamento, continuava a correr e saltar pelos prédios. Com o tempo elas (borboletas) voltam a sua dona, dando forma a uma Katana de punho também amarelo.

 

Algum tempo se passa e enfim chegavam ao local do assassinato, era um apartamento pequeno e bagunçado. Os deuses da mortem entram por sua janela no decimo andar. O ambiente estava escuro e azulado, graças as luzes de outro prédio. O clima era de dar calafrios, havia sangue seco por todo lado, faixas zebradas da polícia tambem estavam bem presentes. Hana, se transformava no local, estava vasculhando e anotando tudo que podia, estava bem concentrada. Tanto que talvez nem escutasse alguém conversar com ela, dependendo da entonação.

 

Usagi era o mais atento no momento e sentia uma presença espiritual do lado de fora do prédio. Ela não parecia ser ameaçadora, mas com certeza era uma anomalia, perante a qualquer ser normal. Conforme se aproximam dessa presença (caso decidam isso) outras três se manifestavam. E essas sim eram malignas... Estavam todos distantes uns dos outros. Noroeste estava a primeira presença não maligna, entorno de 4 quadras de distância. Ao sul a 8 quadras a segunda presença hostil. Nordeste terceira presença hostil a 6 quadras de distância. E por ultimo a 12 quadras a Leste de sua posição a última manifestação sobrenatural hostil aparecia.

 

@Kadso @Fuyu @ShinoNaro

Kadso e ShinoNaro curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pela resposta recebida de Hana, a coisa que eles estavam atrás parecia ser a mesma enfrentada por Kaminari.

 

- Se for mesmo a mesma criatura, isso é preocupante... Será uma produção em massa dessa tal coisa? - Shiro fazia uma pergunta retórica. - E quem seria esse tal grupo? Os tais Espadas? - Adicionou uma dúvida.

 

Prosseguindo depois de responder as perguntas, Hana abria um mapa holográfico para então seguirem para o local do crime.

 

" Essas borboletas também servem para monitoramento de campo? " -  Kuro continuava atento as dicas sobre a shikai da garota.

 

Chegaram então ao prédio onde um dos assassinatos teria ocorrido, era um lugar bem sombrio, que daria calafrios a qualquer pessoa normal.

 

- Que brutal, imagino como a vítima deve ter sofrido. - Shiro comentava enquanto olhava pelo lugar, com uma expressão de tristeza.

 

" Heh, parece que vai ser um inimigo divertido de se brincar. " - Já Kuro se empolgava.

 

__________________________________________________________

Spoiler

Como só foi mencionado que o Usagi que notaria as presenças, não reagirei a elas.

 

Fuyu, Kadso e Demmon curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

"Cotista? Down? Quem essa pirralha pensa que é para falar assim?"Uma veia saltava de minha testa enquanto prosseguia com a missão. Hana tinha se mostrado mais irritante do que parecia, mas em prol da missão engulo em seco no momento, deixando apenas transparecer minha raiva na expressão por um breve período. Pela primeira vez senti uma vontade de bater nela, mas isso com certeza traria consequências para a missão, querendo ou não, a Lolizinha era importante. A expressão é desfeita após Hana explicar uma das funcionalidades de sua Shikai. - _ Monitorar? Tsc... - Não era algo para desdenhar, estava prestando atenção ao que era dito por Hana, mas também queria contrariá-la. - "Estou mesmo discutindo com essa  criança? Que ponto que eu cheguei." - Encerrava meu pensamento com um facepalm, nenhum dos presentes imaginavam o motivo.

 

Finalmente chegamos ao local do assassinato, entramos no décimo andar de um apartamento por uma janela. O ambiente não era dos mais agradáveis e a pouca iluminação contribuía para isso. Cada um do grupo fazia sua parte. Coloco minha mão esquerda no punho de minha zanpakutou e sussurro. - _ Apareça, Hikarihime! Espero que isso facilite seu trabalho, Dama-chan. - A luz principal de cada cômodo do apartamento se acende. Ainda era um cenário de um assassinato, porém agora iluminado, esperava que com isso fosse mais fácil ver e recolher qualquer pista. Não me importava se isso pudesse de alguma forma chamar a atenção de outros moradores próximos que pudessem ver, afinal, eles não iam ver nada e poderiam considerar algo normal, uma inspeção investigativa e não poderiam considerar a entrada de suspeitos num apartamento (obviamente tem alguma segurança um apartamento que tem um prédio com pelo menos 10 andares) sem algum alarde e nem que fosse tão estúpidos para chamarem a atenção.

 

Deixo Hana onde estava e vou procurar por algo suspeito em outro cômodo, quarto e banheiro. - "Que tipo de criatura a Kaminari-fukutaichou foi se meter? E saiu viva... bem, não sei o motivo da surpresa, ela é bem forte,  fukutaichou."

 

Spoiler

Se Esconda/Apareça, Hikarihime

A luz do ambiente pode ser roubada, total ou parcial. Por exemplo, um local com 3 lâmpadas pode ter apenas uma apagada, duas, ou as três. O inverso também pode acontecer, sendo devolvida as luzes do local total ou parcial


Como o Shiro disse, ignorei as presenças nesse turno.

Editado por Kadso
Demmon e Fuyu curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A jovem acrescentava mais algumas informações que, embora fossem meros detalhes, ajudariam na investigação. Mas, ao passo que ouvir aquele falatório era importante, Usagi não era alguém dotado de muita paciência, e ficar ali parado já lhe estava enchendo o saco, além de estarem perdendo tempo. Ao sugerir que tomassem medidas práticas, a pequena tomou em mãos um mapa holográfico, Momoe fitou-o atentamente, em especial os pontos vermelhos que denotavam o local dos assassinatos. Sem dizer mais uma palavra o grupo seguiu a nanica cidade a dentro, sobrevoando a selva de pedra escoltados por um panapaná de borboletas amarelas; o que criava uma imagem muito bonita, caso perguntassem ao shinigami.

 

Não levou muito tempo para chegar a primeira parada, um cubículo dos encaixotados para humanos que chamavam de apartamento. Usagi pousou silenciosamente sobre a janela e adentrou logo em seguida, varrendo cada milímetro do lugar com os olhos em busca de pistas. Apesar da sua concentração, uma presença ao longe roubou toda sua atenção, e aparentemente ele havia sido o primeiro a nota-la. - Estão sentindo isso? Essa manifestação... não é de algo maligno, definitivamente. Mas é algo estranho... Irei verifica-la. - Caminhou até a janela, olhando para o lado de fora em direção a presença - Ei, Kadso, pode vir comigo? - Sugeriu já que seu companheiro já havia liberado a zanpakutou, estaria preparado para algum imprevisto. Aceitando ou não, Usagi voaria em direção a presença, mas não se revelaria para ela, queria identificar visualmente o que ou quem era antes de tomar outras medidas. 

 

@Demmon

 

Demmon e Kadso curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Awards

Mestragem

Turno nº 06

...E Agora!?...

 

 

Já estando no local, a busca de informações sobre o caso não paravam por parte de Shiro – Produção em massa!?- Pensava com muito cuidado. – Acho muito complexo para ser realizado, porém, talvez possa ser possível... Espero muito que não seja o caso, pois, seria uma guerra. E levando em conta a situação delicada que estamos vivendo, seria o pior cenário possível...- Estava bem seria – Não tenho quaisquer informações sobre esse grupo. Estou apenas supondo, que exista um. Por ser algo muito difícil de ser feito, essas criaturas. Existir um grupo realizando esses experimentos é o mais logico para mim. Pois, uma pessoa só seria quase impossível de fazer isso sozinha. Talvez alguém no nível do capitão... Mas isso seria bem improvável...- A garota parecia o Batman em uma cena de crime. Investigava tudo nos mínimos detalhes. Kadso pela primeira vez se mostrava útil como a lanterna que era, dando à luz ao ambiente. Hanna estava tão imersa na investigação que era como se estivesse sozinha ali. Não escutava absolutamente nada que era dito.

 

Paralelo a isso, a presença surgia. Usagi que estava mais sensitivo a isso no momento percebia o sutil rastro de energia. Comunicava a todos e pedia para que Kadso o acompanhasse. Ambos shinigamis saiam do apertado apartamento voando em direção da presença. A alguns prédios de distanciam podiam avistar um humano, ou pelo menos parecia ser um. Vestido de moletom vermelho, seu capuz cobria o rosto, impossibilitando sua identificação no momento. Nesse mesmo instante (agora siiiiim) outras três se manifestavam. E essas sim eram malignas... Estavam todos distantes uns dos outros. Noroeste estava a primeira presença não maligna, entorno de 4 quadras de distância. Ao Sul a 8 quadras a segunda presença hostil. Nordeste terceira presença hostil a 6 quadras de distância. E por último a 12 quadras a Leste de sua posição a última manifestação sobrenatural hostil aparecia.

 

O homem encapuzado em meio a um flash verde sumia de seus olhos. Sua pressão espiritual aumentava em muito, comparada a antes. O rastro verde indicava que estava indo a Nordeste da sua posição atual.  

 

Essas presenças malignas podiam ser sentidas por Shiro também, pois eram bem pesadas. Hanna parecia nem ter notado nada, estava ainda investigando respingos de sangue na parede. – Isso não é nada bom... Está batendo em muito com o relatório da Kaminari-fukutaichou...- Ela falava sozinha. – Pelo que estou vendo aqui, não existia um terceiro no ambiente, assim como as outras vítimas. O que sugere que um matou o outro... Segundo a Fukutaichou, a criatura tinha modus operandis de um parasita. No caso em questão ele entrou em um de seus subordinados, o controlando para atacar... quando a coisa ficou feia para o estado do físico subordinado, a criatura saiu de seu corpo. Talvez os humanos normais não tenham tanta resistência para aguentar um ser desses em seus corpos...- Ignorava completamente as presenças malignas.

 

@Kadso @Fuyu @ShinoNaro

Editado por Demmon
ShinoNaro e Kadso curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Hana comentava sobre a possibilidade de produção em massa, além de emendar que não sabia realmente quem seria o tal grupo, que era só suposição. E até adicionou que alguém no nível do capitão poderia estar envolvido em algo desse tamanho. Provavelmente se referia ao seu próprio capitão; seria o próprio ou alguém tão inteligente quanto? Shiro pensava ao ouvir.

 

Usagi ao sentir alguma coisa, disse que iria verificar, pedindo e levando Kadso com ele.

 

- E lá se foram eles... Estranho uma presença aparecer logo quando chegamos no local do crime, pode ser uma armadilha... - Shiro comentou consigo mesmo ao observá-los indo.

 

Tempo depois, Shiro também começou a notar as presenças suspeitas que vinham de fora. Olhou para Hana para ver como ela estava reagindo, mas aparentemente ela nem notou. Quando Shiro pensou em dizer algo, a shinigami começou a falar sobre o que descobria na cena do crime.

 

- Parasitas?! Então as presenças lá fora podem não ser nada além de vítimas sendo controladas e isso nem é a pior parte... No caso de um combate, se Usagi e Kadso ferirem seus inimigos, eles podem virar alvos dos parasitas! - Shiro rapidamente começou a se preocupar muito com seus companheiros, já pensando em como poderia ajudar. - Hana-san, temos que nos reunir com Usagi-san e Kadso-san! Por mais que pareça que tenham várias ameaças separadas, é melhor lidarmos com uma de cada vez, unidos e não separados. Se por algum acaso um parasita nos possuir sem os outros estarem cientes, poderíamos ser assassinados pelas costas! - Shiro falaria em alto e bom tom para Hana prestar atenção.

 

" Não seja idiota, é nossa chance de nos afastarmos desse bando de imbecis e irmos nos divertir sozinhos! Com inimigos em várias direções, as opções são muitas. Me deixe assumir e ir brincar. " - Kuro sugeria uma opção contrária para Shiro.

 

Shiro somente ignorou, estava bem incomodado com um inimigo que poderia ser um parasita. Esperaria alguma resposta de Hana, e depois seguiria atrás de Usagi e Kadso, ficando atento ao seu redor para caso alguma das presenças se aproximasse.

 

Demmon, Kadso e Fuyu curtiram isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Movido pela atração pelo ser desconhecido, Usagi correu pelo céu anoitecido de Karakura, com suas íris direcionadas ao alvo tão inertes quanto os olhos de um gavião em sua presa. Parou ao primeiro vislumbre, mantendo a distância máxima possível, e imediatamente escondeu-se por trás de um poste perto, sinalizando para que Kadso fizesse o mesmo. - ''Um humano?'' - Indagou-se, intrigado com as vestes tipicamente usadas apenas no mundo humano, o que descartava a ideia de ser um hollow ou arrancar. Entretanto, como se tivesse dado um tapa em si mesmo, Usagi ''acordou'' para novas ideias. - ''Não... não posso subestima-lo, você não é como os outros, seria precipitado tentar lê-lo pensando de modo convencional.'' - E mais uma vez sinalizou a Kadso com os dedos, dessa vez para se aproximar um pouco mais. - ''Dessa distância será difícil ver sua aparência encapuzado dessa forma.'' - Queria constatar se era realmente humano como aparentava, mas ao menor sinal de aproximação ele desapareceu, ao passo em que três presenças hostis se revelaram aos arredores.

 

Pensando rápido, o shinigami içou-se ao céu e se preparou para seguir novamente o encapuzado. - Me parece suspeito demais tantas presenças malignas se revelarem ao mesmo tempo e tão distantes umas das outras, parece ter sido feito pra nos separar... O que acha? Irei continuar seguindo-o. Shiro e a garota devem chegar aqui logo. - E seguiu em alta velocidade pelas ruas, não queria usar reiatsu de forma alguma para não ser detectado, parando novamente a uma distância considerável para se manter oculto e observar o que se desenrolaria com o encontro das duas presenças.

Kadso curtiu isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Awards

Fazer minha própria investigação não tinha trazido nada de útil para a tarefa, então, ao convite de Usagi, o acompanho até a presença que ele tinha sentido.

 

Aos sinais de Usagi, eu fazia exatamente o que ele pedia, não por ser o  lanterna do grupo, porque lanterna era a Hana que com certeza não era nem a terceira em sua divisão, mas por Usagi ser superior. Me escondia enquanto observava o ser responsável pela reiatsu emanada, parecia um humano vestido com um moletom vermelho, e também ao sinal de Usagi, tentava uma aproximação, porém o ser encapuzado tinha partido para outra direção, fazendo Momoe correr em sua direção depois de contar suas suspeitas, sem ao menos dar tempo de eu retrucar sua ideia ou sugerir algo.

 

"Tsc... Impostor-chan, você mesmo disse que isso parece feito para nos separar e se afasta assim?! O que eu devo fazer? Esperar Shiro e Hana ou seguir o Impostor-chan? Parando para pensar, esse ser parece que quer ser seguido, primeiro nos mostrando sua localização, e mesmo indo para outro lugar, ele aumentou sua pressão espiritual, não faz questão de se esconder. O problema é que isso pode atrair os responsáveis por essas novas reiatsus... se contar que também pode ser uma armadilha... tsc"

 

Assumindo que Usagi tinha suprimido sua reiatsu, se perdesse ele agora poderíamos ter problemas. Dessa forma, o sigo, era fácil, ele tinha seguido o encapuzado que tinha aumentado sua pressão espiritual. Se Shiro/Kuro e Hana fossem espertos, entenderiam isso e nos seguiriam. Reprimo minha reiatsu também e o sigo, não via motivos para esconde-la se era para Shiro e  Hana me encontrar, mas sem saber o que Usagi queria e não atrapalhá-lo, faço o mesmo que ele.

 

@Demmon

Demmon curtiu isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora

  • Quem Está Navegando   0 membros estão online

    Nenhum usuário registrado visualizando esta página.