Jump to content
×
×
  • Create New...

[AVENTURA MARITIMA] - Calmaria


Macar
 Share
Followers 1

Recommended Posts

CALMARIA

 

Em jogos estratégicos o movimento de recuo não é tão mal visto, isso se o jogador não for orgulhoso. Essa verdade se aplica também na vida, a Marinha afim de evitar perdas maiores e dificultar a recuperação resolve recuar, o gosto amargo da derrota tornava qualquer comida intragável e a moral de todos estavam quase a níveis negativos.

 

Os participantes da guerra foram dispensados de outros serviços para que aproveitassem o tempo para "lamber as feridas", nesse contexto Charlize ocupava a mente projetando brinquedos robóticos numa oficina que funcionava dentro de um Galley (embarcação movido principalmente a remos).

 

A oficina era presidida por um senhor de baixa estatura e de face carrancuda. Ao contrário do que sua cara transmitia, ele era bem tranquilo e deixava qualquer um usar a oficina para projetar ou construir qualquer coisa, nesse momento ele estava trabalhando num motor de baixo consumo para embarcações da Marinha.

 

O mecânico estava tentando melhorar a ideia aplicada em Galley, os remos eram movidos por motores que consumiam combustível para fazer o movimento de de empurar, levantar, puxar e descer - DROGA! - Diz ao mesmo tempo que soca a mesa - Hunf, não tem sendido continuar nisso por agora, vou subir e tomar um ar! - O sujeito sobe para o convés, deixando Charlize sozinha. 

 

O projeto do motor estava em cima da mesa, qualquer um com interesse poderia dar uma olhada...

 

***

@Azraelcomeçamos a aventura marítima!

  • Like 1

biS7GtR.png

Link to post
Share on other sites
  • Replies 11
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

CALMARIA   Em jogos estratégicos o movimento de recuo não é tão mal visto, isso se o jogador não for orgulhoso. Essa verdade se aplica também na vida, a Marinha afim de evitar perdas maiores e dificultar a recuperação resolve recuar, o gosto amargo da derrota tornava qualquer comida intragável e a moral de todos estavam quase a níveis negativos.   Os participantes da guerra foram dispensados de outros serviços para que aproveitassem o tempo para "lamber as feridas", nesse con

Após vários fiascos dentro da Marinha, Charlize Therone refletia se deveria ficar realmente naquela organização, entretanto, logo via outra possibilidade em continuar pelo menos seu treinamento em robótica, trabalhando em pequenos robôs de brinquedo, que desde o momento ao qual começou a singrar os mares, não teve tempo  de sequer tentar construir um deles. Agora, porém, já estavam bem avançada na confecção de uma ave, quando aquele senhor bondoso, simplesmente desistia de tentar mexer no motor

Charlize gasta um bom tempo analisando o projeto de seu companheiro de profissão. O desenho do motor era bem rudimentar, não havia anotações a respeito de combustível usado, apenas o desenho das peças móveis que o compunham e uma representação do motor montado. Abaixo dos desenhos estavam anotadas as medidas que cada peça teria que ter para que o encaixe fosse perfeito, uma dessas anotações estava rasurada.   O sujeito enfim retorna para a oficina e vendo que a Charlize estava analisan

Posted (edited)

Após vários fiascos dentro da Marinha, Charlize Therone refletia se deveria ficar realmente naquela organização, entretanto, logo via outra possibilidade em continuar pelo menos seu treinamento em robótica, trabalhando em pequenos robôs de brinquedo, que desde o momento ao qual começou a singrar os mares, não teve tempo  de sequer tentar construir um deles. Agora, porém, já estavam bem avançada na confecção de uma ave, quando aquele senhor bondoso, simplesmente desistia de tentar mexer no motor à gasolina, ao qual estava trabalhando.

 

- Tscccc... - A garota balançava a cabeça em sinal de negativo, mas respeitava aquele senhor, pois foi o único que à tratou bem, e lhe deu aquela oficina para trabalhar. - Sim, vá descansar...

 

Entretanto, a curiosidade era tanta que logo que ele saiu dali, Charlize Therone, sorrateiramente deslizou pelo local, e foi em direção ao equipamento, lá verificou tudo, colhendo primeiramente as informações importantes do seu funcionamento. Afinal, qual seria o combustível utilizado, e como seria o processo de rotação que levava o mecanismo a funcionar, girando a roda. E com isso faria os remos funcionarem na embarcação mecanizada. O primeiro procedimento seria, então, catalogar todos os mecânicos, para que não fossem perdidos nenhum deles. Contudo, isso não era tudo, pois tinha conseguido arranjar um caderno, seria, portanto, seu instrumento para as anotações e desenhos. Isso mesmo, ela relataria tudo nesse objeto, minuciosamente, cada peça e parafuso. Afinal, não queria perder nenhuma delas, detalhando também como montaria e os equipamentos que utilizaria para estudar, o mecanismo complexo, ao qual o senhor trabalhava tão arduamente. Queria, no entanto, ter sorte na sua labuta, e poder, com isso ajudar o seu companheiro de profissão. "Ou talvez, ele estivesse mexendo só por curiosidade mesmo?"

 

 

@Macar

Edited by Azrael
  • Like 1
Link to post
Share on other sites
  • 2 weeks later...

Charlize gasta um bom tempo analisando o projeto de seu companheiro de profissão. O desenho do motor era bem rudimentar, não havia anotações a respeito de combustível usado, apenas o desenho das peças móveis que o compunham e uma representação do motor montado. Abaixo dos desenhos estavam anotadas as medidas que cada peça teria que ter para que o encaixe fosse perfeito, uma dessas anotações estava rasurada.

 

O sujeito enfim retorna para a oficina e vendo que a Charlize estava analisando os desenhos resolve se aproximar sem alarmar sua colega: - O que achou? Não estou satisfeito com esse projeto e estou tentando melhora-lo... - Diz rispidamente. De alguma forma o senhor havia conseguido se mover sem ser detectado pela Charlize, por sorte o homem não tinha intenções hostis: - Me desculpe se lhe assustei, é que não queria que perdesse a concentração... E então, o que me diz? Creio que por conta do design o motor consome mais combustível do que o necessário... - O semblante do idoso, que antes era frio e severo, se mostrava mais ameno a medida que ia explicando o que ele queria melhorar: - Se conseguirmos melhorar o consumo, aumentaremos a autonomia das embarcações e a Marinha poderá se mover com mais segurança pelos Calm Belts! 

 

***

Enquanto os dois conversavam na oficina, do lado de fora (no convés do navio) uma pequena comoção se formava. Dois marinheiros discutiam a respeito dos últimos acontecimentos:

- Inúteis?!? Como você pode dizer isso? É claro que a Marinha precisa de inventores... você tem merda na cabeça?!?

Você que tem merda, está mais claro do que nunca que a Marinha precisa mais de soldados... Ao invés de gastar recursos com invenções inúteis é melhor gastar em campos de treinamentos! 

Sei o porquê fala isso, você não tem capacidade de criar nada... Pra falar a verdade você não presta nem para segurar uma espada!

O que você disse?!? Vai se arrepender!

***

Nesse momento um marinheiro entra na oficina e chama pelo ancião - Aarome, rápido... aqueles dois começaram a brigar de novo!!! - O Ancião fecha a cara e como num passe de mágica, some. Quem imaginaria que o mecânico fosse capaz de executar o momento Soru? Rapidamente o idoso se aproxima dos dois arruaceiros e lhe acertam a bengala enegrecida na cabeça dos dois: - Estão loucos?!? Já estou cansado de vocês dois! - A dupla para de brigar mas o ancião não satisfeito chuta os dois para fora do navio: - Se quiserem ficar aqui comporte-se como seres racionais! Essa palhaçada de vocês me tiraram do foco de novo... DE NOVO!!! - O idoso estava com o rosto vermelho e sua pressão arterial sobe bruscamente, sua ira era sentida por todos os tripulantes mas antes de fazer outro movimento o sujeito cai desmaiado. Uma medica se aproxima rapidamente e lhe dar um comprimido: - Aarome, engula isso... Você sabe que na sua idade não pode exagerar! - Aarome faz como ordenado, engole o comprimido e com auxilio da Dra. se dirige para os quartos.

 

***

@Azrael

  • Like 1

biS7GtR.png

Link to post
Share on other sites

A marinheira fazia os desenhos da máquina, e analisava cuidadosamente o processo, quando era surpreendida pelo senhor que estava anteriormente tentando como ele mesmo disse, aprimorá-la.  Entretanto, pega desprevenida só teve tempo de levantar e fazer a flexão de sentido. Porém, não estava assustada ou nada do tipo, mais surpresa por não ter notado nada.

 

-Bem, podemos aprimorar as correias, trocar as engrenagens por menores quando o motor já estiver ligado! - Charlize Therone raciocinava como faria para aprimorar o motor. Em virtude de não saber qual o combustível, só poderia teorizar como faria para auxiliar o comandante. - Um sistema de marchas talvez para diminuir o atrito quando ele já estivesse em uma velocidade boa para rodar?

 

Entretanto, logo seu pensamento era interrompido por gritos, e sons do que parecia ser uma briga. Assim que começava a confusão, o senhor sumia da sua frente, desaparecendo da sua frente. Curiosa, porém, a garota ficava dividida em ir atrás, e ver com isso a briga, ou continuar ali mesmo trabalhando no motor. Devido as circunstâncias preferiria ficar arrumando o equipamento, colocando à ideia em pratica de colocar um sistema de marchas. Além disso, com a sua experiência em robótica tentaria anexar algum chip nele, talvez até uma ignição eletrônica. Afim de melhorar ou maximizar a porcentagem de combustível e comburente, para que o equipamento funcionasse de forma equilibrada, para isso implantaria um chip eletrônico na máquina. O qual seria o regulador da entrada de combustível e comburente, e o cérebro do motor.

 

@Macar

  • Like 1
Link to post
Share on other sites

Aarome, por estar muito fraco, decide permanecer deitado. O velho estava chateado por ter se deixado levar: - "Aqueles imprestáveis..." - Na verdade sua chateação maior era com ele mesmo: - "Me excedi demais, agora o projeto vai atrasar... de novo!"  - A enfermeira percebendo o humor de Aaron resolve puxar uma conversa: - Sei que não quer ouvir isso mas você não pode ceder ao seu ímpeto, sem contar que trabalhar por horas seguidas lhe faz mal também. Já pensou em procurar um ajudante ou treinar pessoas inexperientes? É uma forma do Sr. se manter são e relevante! 

 

Aaron fica furioso mas no fim entende o que a enfermeira estava lhe dizendo: - Nunca pensei que diria isso mas você está certa, tenho que trabalhar com o que tenho... Agora onde eu irei encontrar alguém para treinar?!? - A enfermeira lhe dá um tapinha na cabeça: - E aquela garota que estava conversando com o Sr. na oficina? Já se esqueceu dela? Achei que o Sr. era apenas cardiopata, pelo visto tens problemas de memória também... - O Sr. encara a enfermeira: - Não tem nada melhor pra fazer não? Se você fosse minha neta eu já teria lhe dado uma coronhada! - A enfermeira se retira do quarto sorrindo.

 

***

Charlize passa o resto do dia na oficina trabalhando na implantação de um chip para automatizar algumas funções e melhorar o consumo de combustível. Com isso ela nem percebe que já havia se passado mais de 10 horas. Por ser de manhã, Aaron (revigorado pela noite de sono) resolve voltar para a oficina e acaba encontrando Charlize debruçada sobre os projetos. Ele fica na entrada observando, mas sua curiosidade acaba lhe tomando conta: - "Essa garota... parece que virou a noite..."  - O idoso resolve se aproximar com o movimento Soru. Seus olhos brilham no momento que avistam as anotações da jovem inventora: - "Ela tem experiência com robótica?!? Isso é mecânica avançada!" - Com suas mãos trêmulas, Aaron resolve interromper o raciocínio da jovem Gochou: - Criança, você poderia me explicar o que seria todos esses rabiscos? 

 

***

@Azrael

  • Like 1

biS7GtR.png

Link to post
Share on other sites

A marinheira começa a trabalhar no mecanismo para o motor, e logo resolve colocar alguns itens de robótica nele para aperfeiçoar a entrada de combustível e comburente, colocando para isso um chip eletrônico, afim de regular a entrada dos dois propelentes. Entretanto, isso não era tudo, pois ela queria colocar outro mecanismo para regular a velocidade dele, e com isso diminuir o atrito nas correias. 

 

- Eu só resolvi implementar o mesmo instrumento que utilizei nos robôs, na bomba... - Ela começava a mostrar os desenhos que tinha feito, logicamente eram chips rudimentares, como os primeiros chip para computadores. - Criando um cérebro primitivo para o equipamento, afim de regular a entrada de combustível e comburente...

 

A garota ficava esperando o senhor responder, mantendo a postura ereta, e o sinal de continência. Todavia, assim que possível voltava a trabalhar na máquina, desta vez criando outro sistema, essa com múltiplas correias e engrenagens, uma maior para a primeira marcha e outras menores referente as marchas subsequentes. Com o intuito de ir diminuindo o atrito, sem deixar de impulsionar o motor, e aumentar a velocidade.

 

@Macar
 

Edited by Azrael
Link to post
Share on other sites
Posted (edited)

- Hum... interessante! - Diz ao mesmo tempo que alisa a barba trançada. - Como você chegou nessa habilidade com robótica? E se a gente deixar tudo automático, deixando para o operador se preocupar apenas com o trajeto e com a inicialização e interrupção? Já sei, enquanto você trabalha no chip, eu me encarrego da parte mecânica... O que você já projetou melhorou e muito o motor, agora vou para a parte mais divertida! - Nesse momento, Aarome pega um martelo pesado e o levanta: - Forjar as peças! 

 

***

No fundo da oficina havia uma pilha de aço e uma forja alimentada por lenha e um sistema de ventilação, Aarome estava animado: - Não sei o motivo mas acho isso tão relaxante, o calor da forja, o barulho do martelo moldando o metal... Sabe, obrigado, você é a única nesse navio (fora a enfermeira) que não é uma imprestável. Se quiser posso te ensinar uns truques na arte de torcer o metal... O que me diz? - Pergunta com os olhos arregalados...

 

***

Assim que anoitece um sujeito se aproxima da embarcação, seu rosto estava escondido por deixado de um capuz mas pela suas roupas presumia-se que era alguém da Marinha. O som do martelo contra o aço acabou lhe chamando atenção: - Deve ser por aqui... - O sujeito entra na oficina e encontra Charlize e Aarome trabalhando. O sujeito, assim que entra, se apresenta: - Boa noite, parece que estão empolgados... Gosto disso, já faz muito tempo que não o vejo assim Aarome, como que está o coração? - O ancião fecha a cara e retruca - Como ele deveria estar? Pulsando, certo? O que você quer dessa vez? Estou ocupado, não poderei forjar nada pra você agora! 

 

O sujeito levanta a mão, interrompendo a fala de Aarome. Nesse momento ele teria o capuz e mostra o seu rosto: - No momento não estamos precisando de armas, estamos precisando de mão de obra... Você, Charlize certo? Fique sabendo de seus feitos na guerra e que suas habilidades eram além de seu cargo... Estamos reunindo talentos, a Sra. está está interessada em ingressar na INICIATIVA TRIDENTE? 

 

***

@Azrael

 

Edited by Macar
  • Like 1

biS7GtR.png

Link to post
Share on other sites

A garota lembrava de imediato de Dolph-san, ao ver aquela forja alimentada por madeira, ela ficava ainda mais satisfeita, e logo se o seu rosto não estava demonstrando, a sua alma estava, por sinal muito feliz com tudo. Ela lembrava daquele momento, ao qual forjava à sua primeira arma, uma katana, e dos ensinamentos, daquele senhor caridoso. No entanto, aquilo parecia tão distante, à anos atrás, não a poucos meses, entretanto, ela mantinha o mesmo ar interessado e complementado da vez anterior. A parte mais interessante de um chip eletrônico primitivo, é que ele poderia ser construído facilmente, por um sistema de linha e caminhos, que simplesmente poderia ser construída, por cima de uma material especial, mas que era bastante abundante, o silício. A arquitetura dele, era o importante, e cada chip tinha um tipo de utilidade, por isso os caminhos poderiam ser diferentes, mas ao mesmo tempo, o conceito era igual, estimulado pela eletricidade, os caminhos ligavam-se de forma ordenada, estimulados por um dispositivo que simplesmente captava o excesso ou falta de comburente. Ou seja, de acordo com a pressão exercida pelo gás, que pressionava o mecanismo criando eletricidade através de uma bobina, fazendo com que um dos caminhos no chip simplesmente fosse acionado, assim fazendo com que o mecanismo mecânico regula-se a entrada de comburente. Já à falta fazia com que o dispositivo simplesmente entrasse para dentro do motor relaxando-o, como em um pistão de carro, fazendo com que houvesse a falta de eletricidade, e com isso acionasse outro caminho no chip, ou simplesmente interrompia o caminho, fazendo com que fosse liberado outro mecanismo que simplesmente liberava à entrada de comburente (ou ar).

 

- Sim, Senhor, quero aprender à arte de torcer o metal... - Ela ficava bem animada com aquilo, e concordava com tudo, trabalhando com empenho. Todavia depois de horas labutando, eis que uma figura estranha aparecia no barco. Logo, ele adentrava o recinto, e aparentemente provocava o sensei. Neste momento, Charlize Therone ficava injuriada, mas mantinha a calma.
 

O que parecia ser um garoto interrompia, o mestre Aarome. A Gochou ficava ainda mais nervosa, e ia ficar na frente do senhor, quando era surpreendida pela pergunta do garoto. 

 

-Iniciativa Tridente, o que é isso? - A pergunta saia dos seus lábios meio que por instinto, enquanto esperava a resposta do estranho sujeito, que tinha livre trânsito, no navio da Marinha.  Além disso, conseguiu interromper o seu superior, Aarome. No final, ficara tão surpresa e achara aquilo tão estranho, que simplesmente perguntou, sem pestanejar.

 

@Macar

Edited by Azrael
  • Like 1
Link to post
Share on other sites

O sujeito de olhos esbranquiçados sorri se mostrando satisfeito com a pergunta: - É um grupo tático da Marinha criado pelo mestre Aaron, Aarome faz alguns trabalhos pra ele... Enfim, os últimos acontecimentos nos deixaram estarrecidos e por isso estamos mudando nossa forma de atuação! - O garoto se aproxima de uma cadeira e se senta: - Desculpa, estou um pouco cansado... vocês tem água? - Aarome agilmente trás um jarro com água e oferece para o rapaz ao mesmo tempo que indaga: - Quer dizer que Aaron resolveu agir com mais firmeza? Falei pra ele que se ele quisesse mudar as coisas, política não iria ser o suficiente! - O rapaz sorri e contrapõem: - A mudança surgindo de dentro pra fora é mais tranquila, o problema é que o alto escalão é muito arrogante. Eles agem como se a Marinha ainda fosse a força mais poderosa dos mares. Não caímos ainda pois os nossos inimigos estão divididos, isso era o que acreditávamos mas no último evento os piratas se uniram com os revolucionários... A Cipher Pol só interessa nos assuntos ligados aos tenryuubitos, e no fim, a população fica aqui no fogo cruzado...

 

O garoto se hidrata e volta a falar: - Charlize, Aaron me pediu para vim pessoalmente lhe convidar. Sabemos que você não gosta de resolver as coisas na base da violência, também não gostamos, para nós a violência é o último recurso. Como você é uma inventora hábil e uma excelente lutadora, pretendemos lhe oferecer o cargo de inventora do grupo. E para evitar problemas com o alto escalão, agiremos como um grupo secreto! - Nesse momento o rapaz se levanta, estende a mão em direção a Charlize e pergunta: - Aceita nossa proposta? - Aarome fica nervoso e bate com as mãos na mesa: - Que absurdo! Aaron te mandou aqui para roubar minha aprendiz??? - O garoto se assusta com o impacto e lhe responde: - Não estamos roubando ninguém, você também está sendo convidado a fazer parte do grupo. Alguém do seu calibre será melhor aproveitado na TRIDENTE! O cargo de inventor chefe é seu, e a Charlize será sua ajudante chefe!

 

Aarome cai na gargalhada: - HYAAAAAHAHAHAHA... Aquele cabeça de ovo caipira acha que pode me comprar?!? POIS ELE ESTÁ CERTO! Eu aceito! HYAAAHAHAHA! - Aarome gargalhava. O garoto volta sua atenção para Charlize e aguarda a resposta!

 

***

@Azrael

  • Like 1

biS7GtR.png

Link to post
Share on other sites

A moça escuta tudo que o garoto tem a dizer e fica satisfeita com a iniciativa, chamada pelo nome de Tridente. Além disso, havia o fato dela não estar muito confortável na posição ao qual ocupava, pois não tinha muita relevância, e por sinal, ela cometera muitos erros. Afinal, não sentia-se satisfeita em somente cumprir as ordens do alto escalão,  que sempre à colocava em enrascadas. Entretanto, isso era águas passadas, por isso pretendia entrar nesta nova empreitada.

 

-Sim, eu aceito ser Aprendiz ajudante de Aarome... - Charlize Therone ficava satisfeita com tudo que estava acontecendo agora, e pela primeira vez sentia-se parte de algo importante, não só um peão na mão da Marinha. 

 

Porém, o que teria que fazer a partir de agora, já que as diretrizes passadas para ela tinham sido bastante claras, ser à inventora do grupo, o que estava "Ok", a lutadora, bem neste fato ficava surpreendida. Entretanto, realmente tinha ficado bem mais forte, desde à primeira vez que entrou nesta empreitada nos mares dos "Blues". Desde , então, participou de várias missões, e seu corpo que antes era de certa forma flácido. Agora, mostrava músculos salientes, e ela tinha até aprendido, por incrível que pareça, o tal do "Haki do Armamento". Mas, a pulga ainda continuava em sua mente, à incomodando.

 

- O Senhor Aaron, qual será o próximo passo dele? - Ela indagava, agora mais preocupada, do que feliz, além de mostrar o ar sério, dos fatos que estavam ocorrendo bem na sua frente. -O senhor também disse que, ele vai tomar alguma ação mais enérgica, qual seria ela? E qual é seu nome? Não lembro de ter dito ele. - Charlize Therone ficava incomodada com o assunto. Afinal, ela não tinha todas as respostas, no fim esperava que esse grupo fosse mais participativo. - Vocês têm algum plano em mente? Ou alguma missão para agora? 

 

Charlize Therone, então esperava a resposta do senhor. No fim, era uma moça forte e determinada, sempre tomando as atitudes mais ponderadas, e as vezes mostrava ser impulsiva. Entretanto, como inventora estava mais feliz por ter à possibilidade de também aprender com o Mestre Aarome, que parecia ter grande conhecimento de tecnologia, ou mecanismos práticos. Ela sentia mais confiança também pelo fato do comandante do navio, ao qual estava, ter conhecimento sobre as pessoas, do tal grupo Tridente.

 

@Macar
 

Edited by Azrael
  • Like 1
Link to post
Share on other sites

O rapaz sorri satisfeito. Sobre as indagações feitas por Charlize, ele responde sem pestanejar: - Vejo que está animada, e isso é ótimo! Deixe me apresentar: me chamo Henry. A ação energética é reagir de forma tempestiva (resposta rápida). Nossa primeira missão: Resgatar os marinheiros que ficaram presos em Maggiore! - Aarome fica estarrecido: - VO-VOCÊS ESTÃO LOUCOS?!? Isso é suicídio! - Henry levanta a mão e interrompe o ancião novamente: - É  por isso que teremos que teremos cautela, não iremos invadir a ilha como Marinheiros e sim como mercadores ou como circo itinerante, Aaron irá nos dizer com calma. Só tenho a certeza que iremos para Maggiore em dois grupos: o nosso grupo será o responsável por coletar informações e proteger a retaguarda, o grupo de Aaron fará o resgate em si.

 

Henry passou o dia explicando como as coisas iriam ocorrer e quais suas ideias para ajudar na coleta de dados sobre Maggiore, Aarome estava mais tranquilo após a explicação.

***

No dia seguinte o trio (Aarome, Charlize e Henry) partem rumo ao Calm Belt, de certo o grupo iria se reunir em alguma ilha que não consta no mapa.

 

***

Aventura finalizada.

 

  • Like 1

biS7GtR.png

Link to post
Share on other sites
  • 2 weeks later...

Aventura finalizada

 

Pontos: 20

Dinheiro: 35.625.000fW8CP3e.png

 

O mestre ganha 5 pentagramas.

 

@Macar @Azrael

 

 

QzZDJgI.png

 

 

Link to post
Share on other sites
  • Dracon locked this topic
Guest
This topic is now closed to further replies.
 Share
  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.