Jump to content
×
×
  • Create New...

[Khórus] Night Parade


Hemurin
 Share
Followers 0

Recommended Posts

Night Parade

  ♣ ♠

turno

 

Algumas semanas após da sua última missão em Khórus, Leonard aguardava uma resposta do Senado sobre o financiamento do mega projeto relacionado a energia solar (para resumir ao máximo o vídeo de 30 minutos que enviou). Não tendo recebido ao menos um ‘ok’, o cientista passou os dias ansioso e impaciente, duvidando até mesmo se não tinha sido propositalmente ignorado, cogitando enviar a mesma mensagem mais 42 vezes caso fosse necessário (e abrir uma denúncia em algum órgão público por conta dessa omissão). Como não estava na bagunça do Brasil, tinha que seguir as regras da região.

 

Infelizmente o parlamento de Khórus tinha uma longa fila de projetos que deveriam ser discutidos, com protocolos específicos a depender do nível de recursos a serem investidos. E no caso do projeto de Leonard, precisaria de uma apresentação para oficializar a possibilidade da discussão, com a presença obrigatória de boa parte do senado, beirando a 80%. A partir daí, ele seria votado em diversas camadas até se obter uma resposta. Um pouco burocrático, não?

 

Nesse meio tempo, o quase-autobot ocupou-se de algumas tarefas gerenciais pendentes, como a manutenção de alguns sistemas e ferramentas do prédio-fachada da Spades, além da entrada da sua nova pupila na organização, Katharina, que agora o acompanhava para todo lado.

 

aXlDD1p.png

 

Neste momento, os dois estavam em um dos últimos andares do suntuoso edifício da Spades, em uma espécie de pub sci-fi, com uma grande janela voltada para a cidade, que mostrava nada mais que uma imensidão de luzes e outros prédios que cruzavam a noite como resultado de um lugar com avançado nível de tecnologia. Sentavam lado a lado, ambos de frente para a janela e de costas para o balcão.

 

- Leonard, tem certeza que não vai pedir nada? Uma água ou talvez um pouco de óleo para passar nas articulações da armadura? - Katharina perguntou em uma infeliz tentativa de puxar assunto, mostrando um sorriso amarelo. A verdade é que ela precisava abrir caminho para outro tipo de conversa, e não sabia muito bem como abordar o tema, tendo em vista que acabara de entrar na organização e já estava bisbilhotando por aí.

 

Nem ela sabia se isso seria suficiente para puxar Leonard de seus pensamentos. Já tinha aprendido apenas por observação (e algumas ignoradas que recebeu ao longo desse tempo) que o cientista conseguia viajar para outro universo, contemplando qualquer coisa por alguns segundos, como a parede, um canudo ou um garfo. Enchendo os pulmões de ar numa tentativa de se encher de coragem, a loira seguiu.

 

- Erm erm… Então, estava dando uma olhada naquele material sobre a marinha que você conseguiu, e há algo estranho nele. Tem um lugar específico que não possui nenhuma informação no banco de dados sobre número de membros e função do prédio. Não só isso, como a localização também é bem diferente das outras…

 

Esperando captar a atenção do sniper, a novata corava levemente, mostrando sua vergonha por ter vasculhado sem perguntar se poderia fazer isso. Ela só estava em busca de alguma tarefa nova para quebrar um pouco a rotina de manutenção e conserto de coisas, e aproveitou enquanto o físico estava em seu estado de contemplação para fuçar por aí. Para o azar de Katharina, uma dupla se aproximou da mesa onde os dois estavam. Um deles fez uma referência para Leonard e seguiu com o falatório:

 

- Ás de Ouros, senhor. Conforme você pediu, nós observamos a rotina do senador Hanzo Weiss. Ele quase não comparece ao Senado, e sempre está presente em algum evento social, bebendo, se divertindo, e, erm, hm... Para falar a verdade, ele não parece trabalhar em momento algum. - O responsável pelo relato não sabia se deveria deixar sua opinião pelo meio, ao mesmo tempo recebia um uma cotovelada nas costelas do seu colega.

 

- Matt, não estamos na marinha para esse tipo de tratamento. - Ralhava o parceiro. - Para complementar, aparentemente Weiss adoeceu e está internado desde ontem. Sem mais informações sobre ele. - Concluiu o segundo, aguardando as próximas instruções.

 

- Hm… É verdade, Filix. Desculpe, sen… Leonard. Devemos continuar com essa missão?

 

Nos últimos dias, o ás incumbiu Matt e Filix, dois novatos da Spades, de observar os políticos que podiam estar travando o projeto. Periodicamente eles traziam algumas informações sobre a rotina inútil de algum deles. Katharina olhava para ambos, esperando que Leonard os dispensasse e deixasse essa questão de lado por um tempo. Ela não queria chatear o mentor, e acabou não compartilhando o que achava da situação. No fim, sabia que talvez o andamento disso pudesse levar meses, e até mesmo anos, a não ser que a Spades tentasse forçar alguma coisa por baixo dos panos.

 

Os novatos ficavam desconfortáveis na presença do obscuro, mostrando certo nervosismo. Talvez uns drinks pudessem resolver, mas até onde se sabe, não seria um comportamento comum do cientista. Não se sabe se é por conta do alto nível na organização, do jeito quieto de ser ou das suas experiências anteriores, mas Reinhardt acaba causando essa sensação nesses dois, de forma consciente ou não. Até Katharina tomou um susto inicial ao descobrir a hierarquia do seu mentor quando foi inserida na vida de caçadora de recompensas, mas foi algo que conseguiu se acostumar com a convivência, hoje nem se incomoda.

 

Independente de como se sentem, os três encaram o ás aguardando alguma resposta.

 

--------------

 

- Usei o finalzinho do que rolou na aventura anterior pra mudar o rumo das coisas. Como eventualmente aquele pedaço pode virar algum evento/campanha, não devo desenvolver mais do que isso. Vamos conversando caso isso interfira no desenvolvimento do personagem em algum momento.

 

- Qualquer dúvida, me procura no Discord.

 

- @Keel Lorenz

  • Like 3
Link to post
Share on other sites
  • Replies 7
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Top Posters In This Topic

Popular Posts

Night Parade ♥ ♦ ♣ ♠ 1º turno   Algumas semanas após da sua última missão em Khórus, Leonard aguardava uma resposta do Senado sobre o financiamento do mega projeto relacionado a energia solar (para resumir ao máximo o vídeo de 30 minutos que enviou). Não tendo recebido ao menos um ‘ok’, o cientista passou os dias ansioso e impaciente, duvidando até mesmo se não tinha sido propositalmente ignorado, cogitando enviar a mesma mensagem mais 42 vezes caso fosse necessário (e abrir

Night Parade ♥ ♦ ♣ ♠ 2º turno   Mais tranquila com a atenção de Leonard, Katharina ouviu bem a resposta de do mentor e sentiu ainda mais curiosidade sobre a base misteriosa da marinha - e agora era sua vez de fazer silêncio, enquanto tentava encontrar uma linha de raciocínio para continuar a conversa. Sobre Weiss, o Reinhardt tinha razão para acreditar que era minimamente suspeito um bem-nascido do senado ficar doente do nada e passar mais do que 2 horas em um hospital. Os ou

Gostaria de ter lidado mais com os assuntos acerca do projeto energético e da promoção do novo departamento de pesquisa e tecnologia da Spades. Todavia, o tamanho da missão para qual havia sido convocado era grande. Grande demais. Não apenas sentiu-se compelido por conta de seu dever para com a “guilda” dos caçadores, mas também por motivos próprios. Por mais que isso parecesse mudar relativamente rápido devido aos seus recém-formados posicionamentos políticos, tendia não se meter demais em assu

Gostaria de ter lidado mais com os assuntos acerca do projeto energético e da promoção do novo departamento de pesquisa e tecnologia da Spades. Todavia, o tamanho da missão para qual havia sido convocado era grande. Grande demais. Não apenas sentiu-se compelido por conta de seu dever para com a “guilda” dos caçadores, mas também por motivos próprios. Por mais que isso parecesse mudar relativamente rápido devido aos seus recém-formados posicionamentos políticos, tendia não se meter demais em assuntos que não eram da sua conta, a não ser que pagassem. Obviamente, afinal ainda era um mercenário por necessidade. A caça às recompensas pagava as contas, diga-se de passagem, bastante caras, dos seus experimentos excêntricos. Além do mais, ser o responsável - ou um dos responsáveis - pela captura de um item tão visado quanto um Road Poneglyph… Era uma proposta irrecusável. Que, aliás, mostrou-se valer muito mais do que poderia imaginar. O acúmulo de outros feitos prévios deveria ter contribuído para sua promoção a Ás de Ouros, mas julgava que, em maior parte, era devido ao seu sucesso em escapar com a peça arqueológica por entre os dedos de alguém tão implacável quanto a almirante Mugen.

 

Após voltar de Gardênia, finalmente em Khórus, pode voltar seu foco para o outro investimento que havia feito. Claro, ter acesso àquelas quantidades obscenas de energia era de seu interesse experimental. No entanto, ter uma missão como a operação em Gardênia em seu histórico, pelo menos na época, simplesmente pareceu representar um potencial retorno muitíssimo maior. Com sua volta, começou a julgar essas coisas de forma diferente, pois o impacto, não apenas técnico-científico, mas também político-global, que a ilha passaria a ter caso um aparato daqueles fosse concluído com sucesso não seria nada insignificante. Pelo contrário, talvez fosse assustador para os inimigos da liberdade naquele mundo. Obviamente, pois o aparato também era uma arma, e o Governo Mundial deveria pensar duas vezes antes de tentar quaisquer ataques de natureza mais brusca do que a instalação de bases por debaixo dos panos em Khórus. E isso, claro, significava que aquele solo tão fértil para as produções do caçador ficaria ainda mais seguro. Não mais correria riscos de ter a terra tão facilmente tomada pelos dragões celestiais e ser obrigado a fugir novamente.

 

Ainda que os resultados de suas empreitadas até então tivessem uma taxa de sucesso bastante alta, Leonard ainda estava ansioso. Nem ao menos terem confirmado se haviam recebido a mensagem ou não era dos golpes mais fatais e fáceis de se acertar em alguém como Reinhardt. Mas, é como dizem: mente vazia, oficina do diabo. Leonard procurou manter-se ocupado ao máximo desde seu retorno. Além de seus deveres básicos, como cuidar da manutenção do enorme Quartel General Spades e treinar Katharina, a primeira integrante do seu novo departamento, Leonard ainda conseguiu ocupar sua mente com outros assuntos. Não apenas dedicou-se a treinos extensivos quanto às suas aptidões físicas, mentais e místicas, mas também à atualização de seus aparatos. Visivelmente, um dos maiores beneficiados foram suas habilidades de navegação, que não apenas ganharam um “Machina” atualizado, como também passaram a trabalhar em sinergia com suas capacidades de inventor. Bem, talvez isso seja a parte que mais tenha mudado de cara, já que os poderes de sua Akuma no Mi também tinham avançado grandemente, mas em contrapartida não tinham mudado muito seu aspecto original.

 

Spoiler

 

 

Junto com Leonard e Katharina naquele pub, o Tesserato pairava um pouco acima e à frente do inventor. Como a garota já bem parecia estar habituada, Reinhardt estava completamente imerso em pensamentos. Para ajudar, comunicava-se com ondas gravitacionais invisíveis com seu novo computador e obra-prima, enviando dados e recebendo imagens no display holográfico de seu capacete sci-fi. Para Katharina, Leonard poderia parecer estar perdido, fixado em itens, e possivelmente assuntos, inúteis. No entanto, o caçador raramente gastava neurônios com pensamentos inúteis. Quer dizer, pelo menos do ponto de vista dele. Na realidade, coisas muito triviais não conseguiam manter seu foco por muito tempo. Genuinamente não tendo ouvido a primeira fala da garota, o rapaz estava perdido pensando acerca das bases marines em Khórus. O interesse final do governo era óbvio: a ilha e suas riquezas. Entretanto, Leonard não conseguia exatamente enxergar qual seria o meio para tomar o controle. Por isso, visualizava incessantemente os dados puxados do Tesserato, na esperança de que talvez tivesse algum insight diante dos padrões invisíveis deixados pelo comando marine. Porém, o caçador fui subitamente puxado para a superfície de seus pensamentos, quando pode ouvir a voz da garota proferindo palavras que ressoavam com o assunto geral de seus pensamentos

 

- Hmm? - balbuciou, voltando seu olhar para ela, ainda um pouco atordoado - Perdão? - desculpou-se, reconhecendo que ela havia dito algo mais cedo, mas àquela altura já havia sido soterrado em sua memória recente pela torrente de informações que revisava - Ah sim… - por razões de constrangimento, acabou optando por não deixar que ela repetisse a frase anterior, retomando no assunto atual e procurando deixar aquilo para trás - Sem dúvidas, este ponto cego parece prejudicar muito a visão do panorama geral. Prejudicar até demais. As funções das bases não parecem se complementar tão bem… - voltou seu olhar ao cubo misterioso que pairava adiante - Talvez esta seja a peça crucial que falta - disse, pensativo, até que foi interrompido pela chegada de dois de seus enviados.

 

A maioria das pessoas não parecia entender como a teia econômica daquele lugar funcionava. A coisa realmente parecia funcionar como com qualquer político normal: por baixo dos panos, o governo acabava bancando todas as regalias do político. Entretanto, o governo khorusiano não era tão encarregado de tarefas ao ponto de ter um orçamento tão abundante, que os pequenos vazamentos pudessem dar quantias significantes aos seus integrantes. Não que não acontecessem, mas dificilmente o nível de vida dos plutocratas seria mantida sem fonte de renda própria. Dai o nome “plutocrata”, afinal. Era aí que a falta de trabalho deveria confundir as pessoas. Assim como as grandes máquinas haviam substituído boa parte do trabalho braçal que os humanos faziam, mesmo em terras menos avançadas, em solo khorusiano o trabalho intelectual também já deveria ter sido há muito tempo amparado por computadores. Sem dúvidas parecia um tanto injusto, que um herdeiro pudesse comprar ou mandar desenvolver aquilo que seria responsável por fazer a sua parte dentro da cadeia produtiva montada por seus antepassados. Quanto mais dinheiro ganhasse, mais dessas máquinas poderia comprar e mais elementos teria executando a sua e até outras funções. Dinheiro já naturalmente chamava mais dinheiro e, naquela situação então, a taxa com que os fundos cresciam deviam ser maiores ainda. Era possível que o senador Weiss nem precisasse saber alocar seus recursos para lucrar com isso, afinal deveriam haver máquinas que fizessem esse trabalho para ele, melhor até do que a média das pessoas. Prático? Definitivamente. Mas talvez deixasse o patrimônio um tanto desprotegido. A qualquer situação em que as máquinas não conseguirem reagir direito, ele poderia perder tudo. Era por isso que, mais do que nunca, os herdeiros pareciam destruir a fortuna de seus pais como se não fosse nada. Enquanto isso, os mal-nascidos tinham que começar a escalada do absoluto zero: trocando apenas o trabalho que seus corpos eram capazes de dispender para, quem sabe, um dia comprar uma máquina que aumentasse suas produções. E, então, usar esses resultados para comprar cada vez mais ajuda. Não era fácil e muita coisa poderia acontecer no meio do caminho. Leonard sabia muito bem disso, já que havia procurado traçar seu caminho daquela forma: trocando as habilidades de caça que havia desenvolvido por dinheiro, e dinheiro por ferramentas para produzir cada vez mais.

 

- Entendo - voltaria sua face para Matt - O comportamento bate com a linha de base esperada de um dos plutocratas dos clãs de bem-nascidos - Leonard claramente não parecia se importar com o fato de darem ou não opiniões pessoais. Não era um marinheiro para se importar com isso. Naquela troca, eles eram partes livres, afinal - Um bem-nascido doente é algo preocupante, no entanto - prosseguiu, retirando seu capacete e colocando-o sobre o balcão atrás de si. Levou o dorso do indicador aos lábios, encarando o chão em expressão pensativa - É difícil imaginar algum agente natural que pudesse deixar um dos ricos dessa ilha incapacitado, dado a gama de recursos disponíveis nessa terra. Mesmo a idade ou os maus tratos ao corpo com substâncias podem ser efetivamente combatidos com a tecnologia daqui... - voltou seus olhos para Filix com uma expressão facial afiada.

 

Para qualquer um que abominava o controle do Governo Mundial, o tal projeto era uma saída excelente. Como arma, poderia não ser uma solução definitiva. No entanto, um feito técnico-científico daquele nível certamente deveria assustar os infantis Tenryuubitos e mantê-los um pouco mais distantes com seus cães marinheiros. Para Leonard, a única hipótese capaz de explicar o comportamento de Hanzo era a tolice de trabalhar junto com a marinha. Não era incomum que burgueses achassem possível comprar os benefícios dados pelo sangue nobre. Era uma ideia tola, ainda assim. Afinal, no sistema de nobreza, ou você pertence a alguma linhagem importante ou não. Ponto final. Não há dinheiro, virtude ou poder que compre isso. 

 

- Talvez… - Leonard cerrou seus olhos em direção aos rapazes - Uma queima de arquivo? - finalizaria, alternando o olhar para os três com um sorriso afiado e ligeiramente convencido.

 

Era uma boa hipótese, afinal. Mas, como qualquer hipótese, fosse boa ou ruim, deveria passar pelo crivo das testagens para emergir como uma teoria sólida, ou mais idealmente,  quem sabe até como uma verdade incontestável. O plano já estava traçado: aquele tinha sido o impulso que necessitava para investigar a base marine, o ponto escuro irritante no seu modelo mental de Khórus. Entretanto, queria investigar um pouco mais do que é que havia acontecido com Hanzo Weiss. Certamente, o agente responsável por adoecer um bem-nascido não deveria ser algo nada comum. Como julgava que era muito difícil internar um senador, acreditava que certamente o patógeno ou veneno deveria ter sido desenvolvido artificialmente em algum lugar. Se fosse o caso, marcas da manufatura poderiam ter sido deixadas. Não fosse de feitio da marinha, seu interesse para com Weiss talvez terminasse ali mesmo. Porém, teria que investigar mais à fundo antes. 

 

Já estava pensando sobre quem enviaria para espionar os registros e prontuários médicos do senador, bem como quem enviaria para arrumar algum médico de confiança da Spades que fosse capaz de desvendar o caso clínico. Haviam essas e mais algumas funções a serem cumpridas. No entanto, não conhecia, ou não se lembrava, de todas as perícias dos três caçadores ali. Por exemplo, sabia que Katharina era boa inventora, mas não sabia se tinha perícia em combate.

 

- Antes de qualquer coisa, porém, preciso que me digam quais são suas habilidades - o caçador diria, girando seu banquinho para ficar de frente ao balcão, enquanto estendia seu braço lateralmente na direção dos bancos livres, convidando os outros para também se sentassem - No que são especialistas? No que são ruins? Se tem perícia em combate ou não. Esse tipo de coisa - prosseguiria, lançando um sorriso simpático aos três - Você também, Katharina. Sei do que é capaz como uma inventora, mas não sei do que mais é capaz. Ou incapaz - passeou os olhos, procurando pelo barman e esticando o braço para chamá-lo, quando o achasse - Por que não bebemos um pouco enquanto discutimos isso? - sugeriria, amigável em contraste à aura soturna que muitos julgavam ter - Me surpreenda com o melhor drink doce que tiver, sim? - dirigiria-se ao barman com uma cara mais animada, já que fazia tempo que não bebia.

 

Realmente não era dos tipos que bebia sempre. Mas dada a ocasião que julgava especial, a maquinação de uma nova e empolgante missão, a pequena comemoração lhe parecia mais do que justificada. E, sim, drink doce, porque ainda era viadinho e não gostava de coisa amarga e de heterotop tipo cerveja.

 

@Hemurin

  • Like 1
Link to post
Share on other sites

Night Parade

  ♣ ♠

2º turno

 

Mais tranquila com a atenção de Leonard, Katharina ouviu bem a resposta de do mentor e sentiu ainda mais curiosidade sobre a base misteriosa da marinha - e agora era sua vez de fazer silêncio, enquanto tentava encontrar uma linha de raciocínio para continuar a conversa. Sobre Weiss, o Reinhardt tinha razão para acreditar que era minimamente suspeito um bem-nascido do senado ficar doente do nada e passar mais do que 2 horas em um hospital. Os outros dois, levemente surpresos com o desenrolar da socialização, sentaram-se de costas para a grande janela e de frente para os dois que já estavam na mesa.

 

- Também achei muito suspeito, por isso invadi os sistemas do hospital para acompanhar o caso. - Filix abriu levemente o seu sobretudo, dando pra ver um teclado e várias telinhas espalhadas pela parte interna da vestimenta, o que explica o movimento estranho no seu bolso desde que chegou, era a sua mão mexendo rapidamente em um teclado. - De acordo com a última versão do prontuário, ele está com algum vírus desconhecido, eles estão fazendo um cruzamento com o banco de dados para encontrar o mais parecido. Os sintomas são 39ºC de febre, dor de cabeça intensa, dor muscular e mal estar geral, sangramentos no nariz, gengiva e olhos. Permanecerá isolado até descobrirem mais informações. Estava estável há 3 horas atrás.

 

- Aaa, Leonard! No tempo que você passou fora, eu treinei um pouco do meu karatê-nerd, veja só! - Katharine levantou-se da cadeira e tentou executar um chute no ar, mas se atrapalhou no movimento, perdeu o equilíbrio, bateu a testa na mesa e foi ao chão como um saco de batata, uma demonstração clara de sua total falta de capacidade combativa. Descrentes com o acontecido, todos se sentiram melhor com a aproximação do garçom - tratava-se de uma androide fofíssima. Aparentemente a androide bugou com a cena, ou estava tendo outro tipo de problema, já que ficava investindo na mesa como se tentasse ultrapassar um obstáculo . 

 

dU0mslp.png

 

- Natá-á-á-ália, por gentileza, qual é o seu TEC pedi-i-i-ido?TEC Não servimos TEC bebidas alcoólicas para menores de 21 ano-o-o-os. TEC - Infelizmente a androide parecia estar falhando, já que no pequeno crachá estava escrito Rita, não Natália. Além disso, sua voz robótica estava travando e sofria alguma interferência. Impaciente, Katharina meteu um tapa na cabeça da androide, o que não necessariamente resolveu o problema, mas adiantou o lado dela. - Voltarei em bre-e-e-eve com as bebi-i-i-idas.

 

- Não se preocupem, a manutenção desses garçons está agendada para a próxima semana. A atualização na segurança do prédio interferiu no sistema deles, por algum motivo. - falou Katherine, voltando ao lugar que estava sentada antes da queda, tentando aliviar a estranheza do momento. Infelizmente sua testa estacava marcada com uma mancha vermelha da pancada. - De qualquer forma, o prédio da marine sem informações fica no submundo, o que é muito estranho. Não há estruturas do governo no submundo, por motivos óbvios. Não tem nenhuma informação atrelada a ela, me pergunto se é proposital ou um erro do sistema. Os outros prédios parecem ser bem comuns: uma é responsável pelo recrutamento, outra centraliza o comando, outra é responsável por pesquisa e desenvolvimento - que eles estão bem atrasados. Os projetos dessa base de pesquisa são bem... Ultrapassados. Enfim...

 

- Não sou o melhor combatente possível, mas consigo me virar. No geral, uso minhas habilidades para me infiltrar nos servidores e sistemas, ou protegê-los, não para lutas diretas. - Filix, o rapaz do casaco tec, deu um tapinha na cintura, mostrando uma espécie de revólver, mas deixando claro que sua luta era outra.

 

- Com o meu sabre, não devo ter dificuldades em uma luta corpo a corpo. Distância que me gera problemas. Passei por algumas modificações, então tenho algumas cartas na manga.  - copiando o parceiro, Matt deu um tapa no objeto que deveria ser seu sabre, mas aparentemente só tinha o pegador. Nesse movimento, a manga do seu casaco levantou um pouco, expondo o que deveria ser a pele do seu braço, mas estava coberta de metal. Pelo barulho que o sabre fez em contato com a perna, ela deveria ser uma prótese metálica também.

 

Com acesso do histórico de missões dos dois, Leonard veria que Matt costuma pegar missões para rastrear criminosos de baixa e média complexidade, normalmente nas zonas menos problemáticas do submundo de Khórus. Já Filix é contratado para realizar ataques virtuais, e eventualmente para resolver os ataques - algumas vezes os que ele mesmo realiza. Ambos possuem uma boa taxa de sucesso em suas missões, ainda que não muito complexas, beirando a 85%.

 

Por fim, as bebidas nunca chegaram. Natália, que na verdade era Rita, estava na frente do androide gerente, sem reconhecer que tinha que reportar o pedido para as bebidas serem feitas. Pelo som que fazia, ela estava desligando o sistema para recarregar as baterias - um claro sinal de que os caçadores talvez ficassem sem os drinks.

 

- Há uma atualização no prontuário do Weiss. Hm... Estranho. O quadro agravou e ele foi realocado para a Unidade de Terapia Intensiva. Dificuldades para respirar e sonolência. Isso ocorreu há 5 minutos. Continuam sem respostas sobre o vírus.

 

Um tempo depois, Ophelia, a androide gerente, foi pegar o pedido novamente e pediu desculpas pelo ocorrido. Não só Rita, mas todos os outros garçons não estavam funcionando muito bem. Ao menos, o grupo foi bonificado com bebidas grátis, e o drink trazido foi a ChernoGlow - um líquido verde neon adocicado que promete alterar até mesmo a cor da urina, um sucesso das festinhas jovens. Agora cabia a eles beber ou não.

 

------------------

 

@Keel Lorenz Qualquer coisa, só perguntar no discord! ^w^/

  • Like 2
Link to post
Share on other sites
  • 2 weeks later...

Apoiando seu queixo sobre o dorso da mão, enquanto esperava pelo coquetel, Leonard sorriu discretamente ao perceber que Filix não estava tão atrás assim. Apesar da sua posição anterior, ele já havia se questionado acerca da estranheza de um bem-nascido doente e um vírus desconhecido para a medicina khorusiana. Ainda havia, claro, outras possibilidades que podiam explicar a mais provável origem do vírus. Talvez alguma das bases marines fossem capazes de sintetizar vírus artificiais, poderosos o suficiente para burlar os tratamentos disponíveis na ilha. Contudo, ainda havia a possibilidade de terem coletado o patógeno em alguma ilha de ambiente extremo e exótico, como Beast World. Bom, também havia a possibilidade do próprio senador ter viajado a um desses lugares em algum tipo de safari insano de bilionário sem noção.

 

- Interessante… - Leonard disse, após cerrar os olhos conforme ouvia os sintomas - Bom, a informação de se tratar de um vírus desconhecido certamente confirma a hipótese de que o patógeno não circula por estas terras. Pelo menos não até agora - o rapaz recuou o queixo do apoio e voltou a uma postura normal na cadeira, pendendo a cabeça para o lado conforme ponderava as possibilidades em voz alta - Se for algum tipo de mutação nova, acho pouco provável que o caso 0 seja justamente o senador Weiss. Visto os tratamentos e vacinas que os bem-nascidos devem receber, acho difícil que um vírus circulante consiga encontrar o ambiente adequado no organismo de alguém como… Huh… vossa excelência para se multiplicar e sofrer uma mutação. Seria muita coincidência - prosseguiu, em tom um tanto irônico. - Filix-kun, também preciso saber se outras pessoas apresentam esse vírus desconhecido e sintomas parecidos ou idênticos. Depois procure em mais hospitais. Dependendo da resposta para essa pesquisa, sua verdadeira origem pode ficar mais óbvia - voltou a apoiar o cotovelo na mesa, colocando a mão sobre a boca com um olhar perdido e pensativo - Ah… - em um leve sobressalto, voltando à postura normal lembrou-se de outro fator relevante - Também gostaria de saber se Hanzo Weiss recentemente fez alguma viagem para fora da ilha. Só para excluir a possibilidade de ele ter sido picado por algum mosquito radioativo em Beast World - ergueu as sobrancelhas, novamente irônico.

 

Naturalmente, já distante do oceano de pensamentos no qual costumava mergulhar a ponto de se isolar dos arredores, Leonard prestou atenção em Katharina. Ainda um pouco distraído, claro, demorou alguns instantes para entender do que se tratava. Porém, assim que a garota caiu, imediatamente se levantou, preocupado se ela havia se machucado. Se aceitasse, estenderia-lhe a mão para ajudar a se levantar.

 

- Bom, acho que isso responde minha pergunta anterior - iniciaria, assim que ela se recompusesse - Katharina-san, acho que você acabará  ficando aqui, na sede Spades dando suporte - penderia a cabeça adiante, olhando para Katharina, esperando que ela entendesse o porquê de não poder ir para campo.

 

A aproximação da androide, por algum motivo, conseguiu captar o foco excêntrico do caçador. Discretamente, expirou de forma enfadada, lembrando-se das diversas manutenções que ainda deviam ter para fazer. Dadas suas habilidades em Inventor e sua genialidade, não devia ser um trabalho muito difícil, mas ainda era volumoso e certamente tomava tempo. Tempo precioso no qual poderia estar saciando suas outras curiosidades mais importantes.

 

- Na realidade, faz bastante sentido que as bases sejam escondidas e, essa em específico, seja lá qual for o segredo que ela esconde, esteja no submundo - voltou à sua expressão pensativa com olhos ao além - O Governo Mundial não tem presença aqui como gostaria de ter e, pelo que eu saiba, a cultura dos próprios bem-nascidos é bastante anti-governo mundial e anti-tenryuubito. Não duvido, porém, que um ou outro plutocratas sonhe com a ideia de que o sangue azul possa ser comprado em um sistema como o dos Dragões Celestiais - ergueu a sobrancelha, pendendo a cabeça, numa expressão de quem não botaria a mão no fogo por alguns dos herdeiros mais tolos - Quanto a última base obscura, não acho que há muito a ser feito além de investigar pessoalmente. Até é possível pensar que a pesquisa ultrapassada seja apenas uma fachada para algo mais importante. Entretanto, acredito que seja bem pouco provável, já que se realmente fosse algo importante, eles certamente tratariam com maior sigilo e esconderiam as pesquisas no submundo, onde os olhos de qualquer organização teriam mais dificuldade de enxergar.

 

Voltou, então, seu olhar para os dois que estavam prestes a explicar suas especialidades.

 

- Entendo, Filix-san. Nesse caso, acho que será melhor ficar aqui com Katharina para dar suporte à distância, além de fazer as pesquisas que eu pedir na rede de Khórus - acariciou o queixo, balançando a cabeça positivamente algumas vezes - A não ser que me diga que para o hacking seria melhor estar conectado diretamente à rede do inimigo. Se for o caso, terei que reconsiderar - continuou balançando a cabeça positivamente, mas pendendo-a em ar de ponderação - Quanto a você, Matt, a abordagem não deverá ter segredos. Irá para o campo… Para onde? Bem, isso dependerá do que Katharina tem a dizer - voltaria-se para a garota - Katharina-san, de 0 a 10, o quanto de certeza você tem de que os projetos dessa base de pesquisa são todos ultrapassados? De que não há mais nada debaixo dos panos? - fitaria a garota por alguns instantes com um pouco mais de intensidade.

 

Dados os antecedentes de Matt e Filix, recebidos via Tesserato e Dark Disturbance, acreditou que eles deveriam estar à altura da missão. Quer dizer, pelo menos nas funções para as quais os delegaria. Afinal, infiltrar-se secretamente num hospital particular para conseguir mais dados diretamente do servidor deles não era uma tarefa de alta complexidade. Aliás, Filix já parecia conseguir lidar com isso muito bem. Especificamente quanto a Matt talvez não fosse muito prudente levá-lo à tal base secreta. Filix, no entanto, facilmente poderia ajudar em ataques virtuais remotamente. Quem sabe talvez até fosse capaz de fazer isso diretamente da segurança do QG da Spades, junto com Katharina. Em sua mente, cogitava que seria necessário procurar por mais um elemento: alguém que entendesse da parte biológica da coisa. Poderia ficar junto de Filix e Katharina mesmo, para interpretar os dados dos exames e prontuários que Filix viesse a conseguir.

 

Entortando a boca, Leonard eventualmente se contentou com o fato de que sua ideia de uns drinks para descontrair iria por água abaixo. Uma pena, ele realmente estava afim de beber algo bem docinho e bem gay. Aparentemente, não seria hoje. Àquela altura, havia se desanimado um pouco. Todavia, um novo pronunciamento de Filix foi mais do que o suficiente para fazê-lo esquecer quase que completamente disso. O mistério acerca do vírus era simplesmente interessante demais para seu intelecto.

 

- Hmm… Isso não é bom - disse, alcançando seu capacete com uma das mãos e se preparando para levantar - A morte de um senador não seria nada bom. Acredito que seja um sinal para nos apressarmos.

 

Estava querendo se levantar, mas pode ver uma figura familiar se aproximar. 

 

“Ophelia?!” - pensou consigo, surpreso - “A Kog realmente não está facilitando pra ninguém… Até o pessoal do Elsword tá ficando desempregado”

 

Distraiu-se momentaneamente com a garçonete cibernética e a chegada da bebida suspeita. Ainda que estivesse com vontade de um alcoolzinho e de ver sua urina ficar verde, novamente os interesses de pesquisa de Leonard pareciam entrar na frente. Começou a cogitar se aquela bebida super suspeita não prejudicaria seu raciocínio, já que estava prestes a sair.

 

- Acho melhor ninguém beber isso - disse, lembrando de Goiânia, com um olhar um tanto consternado e fixo na coisa - A coisa até brilha. Deve ser pior que aqueles corotinho azul que parece limpa-vidro - finalizou, afastando seu copo.

 

Finalmente voltando ao assunto importante do senador, decidiu se levantar.

 

- Bom, nosso tempo é curto. Delegarei as funções oficialmente agora - iniciou, apoiando o capacete em sua cintura sob o peso de uma de suas mãos - Katharina-san, você deverá ficar aqui no QG da Spades. Você providenciará suporte computacional de forma remota para aqueles em campo. Permaneça sempre conectada com o Tesserato via intranet da ilha - prosseguiu, elevando a palma livre para receber o cubo flutuante, que se aproximaria para pairar sobre a mesma - Filix-san, a princípio você também deve ficar aqui e auxiliar com quaisquer necessidades cibernéticas que tivermos em campo. Quero que você e Katharina trabalhem juntos, fazendo eventuais ataques cibernéticos ou coletando informações. No entanto, caso alguns dados sejam difíceis de obter, haverá a possibilidade de você ser enviado a campo para coletá-los diretamente do servidor do alvo - prosseguiria, fitando ele em específico e assentindo firmemente com a cabeça - Katharina, você e Filix também estarão encarregados de encontrar o último membro de nosso grupo. Procurem por algum médico confiável de Rank S, no mínimo. Pode ser aqui da base mesmo. Ele não precisará sair dela, apenas deverá interpretar os dados mais técnicos obtidos por vocês da rede de hospitais. Nada demais. Apenas me mandem os dados antes de recrutar alguém ou não. E, Ah... Não se esqueçam de procurar por novos pacientes também - prosseguiria, voltado para os dois - Matt-san, quanto a você, as ordens são mais simples. A princípio, deverá me acompanhar em campo. No entanto, dependendo da situação do prédio de pesquisa marine na superfície, posso acaber te enviando para lá. Se não possuir nenhum dispositivo de comunicação, peça a Filix ou Katharina que te arrumem alguma forma de se comunicar com eles - diria de forma bastante firme e decidida, já levando a segunda mão para o capacete e o re-equipando - Tesserato - disse firme, para o cubo que misteriosamente brilhou à ordem - Passe as informações necessárias e estabeleça uma via de contato com Filix e Katharina. Quero uma vídeo-conferência ativa por toda a duração da missão. Será importante que troquemos informações constantemente, já que eles dois também serão uma parte do cérebro da missão.

 

- Entendido - o cubo se pronunciou em tom soturno, já fazendo os devidos cálculos para erguer o programa necessário para estabelecer uma via de comunicação segura com os dois.

 

Após o cubo se aproximar e trocar as informações com Filix e Katharina, voltaria para o lado de Leonard, que àquela altura preparava-se para se dirigir para o lado de fora do QG Spades, junto com Matt.

 

***

 

 

@Hemurin É nóis

Link to post
Share on other sites
  • 2 weeks later...

Night Parade

  ♣ ♠

3º turno

 

Uma vez que esteve a par dos eventos que ocorreram em Khórus após a expulsão de Althea, graças as informações acessadas com os privilégios de sua posição, Leonard tinha ciência de que as atividades da marinha na ilha praticamente se extinguiram com o domínio da falecida yonkou. E após a Spades entrar com mais força na região (que deu a liberdade que faltava para aquela bela fuçada), muito pouco havia do governo mundial e marinheiros por ali, já que eles se adiantaram no favor de esvaziar as instalações e dar no pé. Os prédios estavam inutilizados até então, aguardando os projetos do governo de Khórus para dar o devido tratamento.

 

A partir do momento que o ás deu as próximas ordens, os três já sabiam que estavam sendo recrutados para uma nova missão, então só se ajeitaram na cadeira ouvindo as novas instruções. Todos esperavam que o obscuro montasse o quebra-cabeças e tivesse o insight que faltava, mas infelizmente ele era um físico, não um vidente. E havia lacunas em toda essa história para que ela ganhasse algum sentido do nada.

 

- Leonard-senpai, tenho 100% de certeza. Eu mesma olhei todos os projetos, e eles são medianos para os padrões daqui. Antes da ilha ser da yonkou, você acha que a marinha ia perder tempo desenvolvendo apenas rifles e canhões? - Katharine perguntou, tentando deixar claro o seu ponto. - Acho no mínimo suspeito que a marinha não se aproveitasse de Khórus. A sensação que eu tenho é que eles transferiram os projetos mais importantes para outras ilhas e deixaram as coisas simples por aqui para não ficar óbvio que fizeram isso... Seria uma forma de ganhar tempo pra tirar o que quer que fosse.

 

- Só terei problemas caso a rede deles seja local, aí vou ter que ir até lá para me conectar. Vou ver o que consigo fazer daqui com a localização que Katharine passar e aviso para vocês. Até confirmar isso, vou tentar puxar a lista de convidados que compareceram nos 15 eventos que Weiss foi nos últimos três dias e continuar a acompanhar as atualizações do hospital. - Filix respondeu, chegando num ponto que conversava mais consigo mesmo do que com o restante.

 

O prédio suspeito da marinha no submundo poderia ou não ter alguma relação com o vírus. Como ainda havia pouquíssima informação, pelo menos tinham algo para começar a trabalhar. Era difícil iniciar a investigação diretamente pelo patógeno sem saber como ele funcionava - devido aos milhões de eventos sociais que Weiss participava, precisavam saber pelo menos como se deu a transmissão e o tempo de incubação para reduzir o universo de possibilidades, ou seria como procurar agulha em palheiro. Matt já estava com a mão ao redor da taça quando o megalomaníaco pediu para ninguém beber daquele líquido verde com aparência radioativa, deixando o rapaz levemente triste porque estava evidente que queria provar. Filix parecia concentrado nos seus afazeres, então nem se preocupou com a bebida.

 

- Vou arranjar alguém na ala hospitalar aqui da Spades. Como não é permitido gritar lá, Filix, acho melhor a gente continuar trabalhando aqui. Mando a localização pra vocês no caminho. - Katharine disse aquilo revirando os olhos, como se fazer bagunça em um hospital fosse uma coisa normal que deveria ser aceita com naturalidade. O hacker apenas deu um aceno rápido em concordância, mal parando o que estava fazendo. - Como estamos falando de uma arma biológica em potencial, vamos manter isso só entre a gente por enquanto?

 

Após aquela pergunta, Reinhardt, Matt e Katharine se dirigiram até o elevador, deixando apenas Filix trabalhando na mesa. O trio entrou numa espécie de domo de vidro, a mulher apertou o botão referente ao andar com as instalações médicas e Leonard para a saída mais próxima, e todos ficaram ouvindo uma musiquinha enquanto se locomoviam tanto vertical quando horizontalmente pelo prédio.

 

- Estou enviando a localização para vocês, qualquer coisa falem comigo. - antes de Katharina terminar de falar, um barulho estourou do comunicador de pulso que Matt carregava, deixando claro que tinha recebido a informação. Ela se despediu ao chegar no seu andar, restando apenas os dois homens.

 

O clima nesse período era frio por estarem no inverno, que se estenderia até o fim do próximo mês de acordo com o planejamento climático da ilha. Então, ao chegarem no exterior do QG da Spades, se depararam com o céu noturno das 23h de Khórus, e dava pra ver o vapor da respiração dos dois contrastando com os 4 graus do lugar. Matt se dirigiu até uma espécie de transporte de última geração, mas parou para falar com o cientista antes de entrar.

 

- Talvez seja bom dar uma olhada nos dos prédios da marinha aqui perto antes de ir direto para o do submundo, não? Por desencargo de consciência. É o tempo que Filix diz se conseguiu alguma coisa de forma remota ou se vai precisar ir com a gente. Aqui perto temos um prédio que servia de centro de treinamento de novos recrutas e outro que funcionava como uma espécie de centro de comando. Se cada um visitar um, conseguimos fazer isso em menos de meia hora. O que acha, senhor? - Matt não era exatamente um gênio, o que explicava seu silêncio durante a conversa anterior, mas tinha um raciocínio bem prático quanto ao que tinha que fazer. Parecia uma boa ideia e já excluía a possibilidade no caso de chegarem lá no c# de Khórus e não encontrarem nada. Ele também entrou no veículo e abriu o acesso ao outro lado, uma evidência clara de que estava oferecendo uma carona a Leonard.

 

O Tesseract, maravilhoso como era, já tinha estabelecido uma conexão de sucesso entre os membros da equipe. Filix usava uma quantidade absurda de programas para se defender desse tipo de coisa, já que confundiu com um ataque, o que acabou levando um tempinho maior pro cubo. Então ele invadiu o sistema de garçonete-androide Nathália, por gentileza Rita e manteve a comunicação por ali, ao mesmo tempo que desconectava ela do servidor central e fazia a manutenção. Essa informação seria passada a Leonard caso perguntasse.

 

Restava a Leonard decidir se iam direto para o submundo ou vasculhavam por ali até ter uma resposta do hacker.

 

-----

 

- @Keel Lorenz Demorou, mas saiu! Planejei liberar no feriado, mas tive uma crise de enxaqueca e não rolou. 💔

- Mudei a formatação porque a fonte anterior com essa mistura de cores estava me dando gatilho. Mas o verde se refere as falas de Katharina, o roxo é Filix e o laranja, Matt. As vezes nem eu lembro quem disse o que, então vou manter assim.

- Se tiver alguma dúvida, me chama no Discord. Revisei rapidamente pra liberar logo e pode ser que tenha passado alguma coisa sem sentido.

 

  • Like 1
Link to post
Share on other sites
  • 2 weeks later...

- Hmm… Entendo - Leonard responderia a Katharina - Então eles aparentam estar fugindo da ilha há algum tempo… Bem, isso explicaria o porquê de terem deixado o projeto de Shichibukai, Davy Jones, para cuidar das coisas por aqui. Não queriam se expor - Leonard finalizaria, acariciando o queixo com uma expressão intrigada.

 

Os movimentos do Almirante de Frota ainda lhe pareciam um tanto elusivos, no entanto. Claro, aquela linha de pensamento lhe tranquilizava um pouco. Afinal, aparentemente havia neutralizado Davy Jones, provavelmente o maior símbolo da presença Marine em Khórus. Se fosse o caso, era de se imaginar que apenas pequenos focos de resistências ainda restassem em solo khorusiano. Contudo, ainda mais com aquele suposto atentado a um senador, Leonard ainda tinha seus receios. O obscuro e sempre cauteloso Almirante de Frota da Marinha definitivamente não parecia ser do tipo de indivíduo que dava pontos sem dar nó. Bem, era visível só pela forma como suas peças se moviam pelo grande tabuleiro da Grande Linha. 

 

Leonard sabia que teria de ir mais fundo em toda aquela história, independentemente de Hanzo Weiss. Certamente seria conveniente se a infecção estivesse ligada à marinha, já que os demais senadores teriam medo de se envolver com o Governo Mundial. No entanto, seu maior foco ali era a influência da Spades e, principalmente, as costas do Ás de Espadas. Não podia deixá-las expostas sob hipótese alguma. Faria de tudo por Garret, não só porque ele era a razão da liberdade e do financiamento extravagante de suas pesquisas, mas também porque já vinha nutrindo um certo afeto por ele desde os acontecimentos em Mass Hysteria. Quando soube que sua morte naquela ocasião havia sido falsificada, sua admiração não pode senão crescer mais ainda.

 

- Façam isso - o caçador ressurgiria, dirigindo-se para Katharina e Filix - Confio em vocês para lidar com essa parte da operação - prosseguiria, observando os dois assentindo com a cabeça - Mas me deixem a par de suas situações via comunicador. Principalmente se seus cursos de ação mudarem drasticamente - Leonard penderia o corpo na direção dos dois - Não sabemos por quais meios os inimigos poderiam nos atacar, afinal. É bom que fiquemos a par da situação de todos - prosseguiria, com um ar bastante soturno - E, sim, Katharina. É melhor não divulgarmos nada por enquanto. Ainda que seja baixa a probabilidade, não gostaria de correr o risco dar um alarme falso ao Ás de Espadas sobre algo tão sério quanto uma arma biológica. Sem contar o pânico desnecessário que isso geraria - finalizaria, amargo em relação aos esquemas nefastos da marinha.

 

Após adentrar no elevador e escutar sua música familiar, não pode deixar de pensar em como a trilogia original era um clássico mas, ainda assim, os memes das prequels eram muito superiores. Em seguida, teve sua linha de raciocínio um tanto inútil quebrada pelo sons de Matt e do Tesserato, recebendo os dados enviados por Kat um seguido do outro. 

 

- Argh… Igualmente - respondeu Katharina, acariciando as têmporas pela dor de ouvido.

 

Já no exterior do QG, Leonard se depararia com um veículo curioso. Então aquele era o tal do gol bolinha? Bom, fazia sentido. Não parecia ser muito espaçoso, mas né, fazer o quê? Era o que tinha pra hoje, já que até mesmo o gol bolinha estava uns 90 mil. Fora isso, Leonard também tinha reparado na forma prática de pensar de Matt. Muitos poderiam não valorizá-lo por não parecer dos mais inteligentes. No entanto, sendo Leonard alguém tão teórico e pouco prático, sabia muito bem dar valor naquele tipo de pessoa para que pudesse compensar suas próprias falhas.

 

- Me parece uma excelente ideia, Matt-kun - Leonard diria, pouco antes de tocar na porta para entrar no carro - Pode ser que encontremos alguma pista que nos ajude nestes prédios - finalizaria, já pronto para seguirem para vasculhar as localidades na superfície.

 

Naturalmente, mesmo nas vias aéreas públicas de Khórus, Leonard estaria com a guarda e seus sentidos elevados. Ainda que fosse um logia, atentados poderiam acontecer a qualquer momento. Até por isso, desde que houvesse chegado no pátio onde o carro estava estacionado, momentaneamente escanearia a estrutura do veículo com The True Sight e seus conhecimentos de Inventor em busca de indícios de sabotagens. Com o Tesserato, via Dark Disturbance, faria uma varredura no hardware e software da máquina. Não achava que iria encontrar algo ali, porém, tinha que ser cuidadoso. Não só porque Matt era muito mais vulnerável, mas também porque mesmo a imunidade logia poderia ser contornada pelos meios certos.

 

Ao longo do caminho e durante as checagens nos prédios também se manteria atento. Não só para reagir a possíveis hostilidades nos lugares ou no meio do caminho, mas também para que visualizasse eventuais pistas nos lugares. Também teria cuidado e indicaria que Matt também o tivesse, já que poderiam topar com marinheiros ou corsários a qualquer momento.

 

***

 

Spoiler

The True Sight
Rank: S
Descrição: Por toda sua extensão, especialmente no visor ao centro da face, existem sensores capazes de analisar e mapear o ambiente ao redor do usuário. Sendo assim, no interior de seu capacete está localizada uma tela holográfica, a qual exibe as diversas informações coletadas a respeito da armadura e do meio. O visor em questão pode ampliar imagens - para fins de disparos de precisão - exibir a visão em diversos comprimentos de onda, fornecer sonar, radar e, por fim, uma espécie de visão especial em wireframes. A última, em específico, nada mais é do que uma forma muito simplificada de visualizar o ambiente, mas que em contrapartida oferece a possibilidade de ver através de matéria opaca. Entretanto, ainda com este fator vantajoso, essa modalidade de visão não possibilita identificar seres-vivos através destes materiais, tornando-a em uma ferramenta bastante situacional.

 

Nome da Técnica: Dark Disturbance
Tipo de Técnica: Profissão - Inventor | Ankoku Ankoku no Mi
Descrição: Graças à matéria negra de seu corpo, Leonard é capaz de facilmente sentir mesmo as mais sutis ondas gravitacionais se propagando no ambiente. Então, aliado às suas habilidades de inventor, torna-se capaz de intuitivamente interpretar os dados carregados nessas ondas. Da mesma forma, ao fazer a matéria negra em seu corpo fluir de maneiras específicas, também torna-se capaz de emitir dados através desse raro tipo de onda. Em outras palavras, Leonard pode se comunicar de forma muito mais intuitiva e prática com seus computadores, sem depender de meios verbais - como comandos de voz - ou textuais - como a digitação. Porém, somente se estiverem equipados para receber e enviar esse tipo de onda. Como qualquer outro tipo de comunicação sem fio, a transmissão de dados não é instantânea. De acordo com a agilidade do usuário, a mensagem leva tempo até ser transmitida por completo, aumentando o tempo de resposta caso seja esperado um retorno após o envio inicial.

 

Gravitational Transducer
Rank: S
Descrição: Devido às grandes quantidades de massa envolvidas na estrutura do computador, o Tesseract é capaz fazê-las fluir de forma específica para irradiar ou captar ondas gravitacionais para se comunicar com o exterior. Graças às similaridades entre o corpo de Leonard e do Tesserato, é possível estabelecer uma via direta de comunicação entre os dois. É a partir desse mecanismo que o Tesseract sente a matéria, como o ar vibrando ao seu redor, para ouvir ou intencionalmente vibra a mesma para poder falar. É também através desse mecanismo que o cubo regula as resultantes entre as forças gravitacionais e anti-gravitacionais envolvidas em seu corpo para poder flutuar e se mover.

 

 

Tesseract's Cosmic Neural Net
Rank: S
Descrição: Percebendo as semelhanças entre a teia cósmica - descoberta em estudos astronômicos - com a estrutura neuronal dos seres-vivos sencientes, Leonard utilizou matéria negra - um elemento essencial nas interações que formam esses filamentos - para criar um cérebro artificial, que mimetiza esse padrão em menor escala. Dotado de uma Inteligência Artificial Forte, como qualquer computador, o Tesserato é uma ferramenta extremamente versátil. É capaz desde as tarefas mais simples, como as de secretário, até mesmo as mais complexas, como o processamento dos dados experimentais produzidos por Leonard.

 

Electromagnetic Transducer
Rank: S
Descrição: Graças às propriedades especiais com que foram forjadas, as partículas exóticas da armadura do Tesseract são capazes de vibrar mediante o recebimento de tanto ondas eletromagnéticas, quanto ondas gravitacionais. Sendo assim, ao que um estímulo gravitacional vibra sua constituição, torna-se capaz de emitir o estímulo eletromagnético correspondente. Da mesma forma, graças à sua elevada massa, ao que vibra mediante estímulos eletromagnéticos, também poderá ser capaz de emitir o estímulo gravitacional correspondente. Portanto, caso não seja intencionalmente inibido, este mecanismo torna possível estabelecer conexões de via dupla com aparelhos eletrônicos comuns. Além disso, é por meio dele que Tesserato é capaz de visualizar as ondas eletromagnéticas do ambiente, como a luz, para estabelecer sua visão. 

 

@Hemurin Demorou mais saiu. Ansioso pra fazer uma cena futura, voando em meio aos arranha-céus e os carros  :3

  • Like 1
Link to post
Share on other sites
  • 3 weeks later...

Night Parade

  ♣ ♠

4º turno

 

A viagem foi curtinha e tranquila, mesmo com todo aquele trânsito, prédios, luzes e transportes chamativos que seguiam um fluxo que parecia, ao mesmo tempo, ter e não ter ordem. O transporte de Matt aparentemente era uma versão pocket e barata, não contando nem mesmo com um radiozinho para distrai-los. A sensação de simular o ambiente lotado de estímulos podia desencadear uma crise de ansiedade em qualquer um, mas o Ás conseguiu esboçar um padrão com sua mente aguçada e paciência de ouro, formulando o seguinte diagrama dos arredores:

 

XqWhyl0.png

 

O único problema é que as ondas eletromagnéticas não eram nada sutis dado o nível de tecnologia da região, então ele estava sendo metralhado com a imensa quantidade de informação que preenchia cada pedaço do seu ser. O transporte em que estava parecia em ótimo estado na análise que fez. Um leve desconforto se instalava no lado direito da sua cabeça, por conta do nível de esforço para filtrar tudo aquilo, mas a cada piscar de olhos, conseguia uma enxurrada de informações novas: grupos de compartilhamento de nudes do bairro com fotos assustadoramente picantes, vídeos aleatórios, DRs de casais e fofocas por telefone, novas ideias de negócios, noticiário da rádio, programas sensacionalistas de TV, rage quit em joguinhos online, compras... Enfim, o horário de ouro para a safadeza dos nobres aos arredores.

 

Uma informação chamou a atenção de Leonard (além das nudes), era a notícia de um jornal: "Hanzo Weiss, senador e fundador de uma das maiores empresas do ramo farmacêutico de Khórus, está hospitalizado devido a uma doença desconhecida. Entramos em contato com o Hospital Geral de Khórus, mas não obtivemos respostas até o término dessa noticia. A família do Senador não quis se manifestar. Weiss foi responsável por projetos de..."

 

- Bem, é aqui. - comentou Matt parando o transporte gol besourinho, uma evolução do gol bolinha, próximo da escadaria principal do Prédio 1, liberando a porta para que Leonard saísse. - Vou seguir para o segundo prédio, nos falamos pelo comunicador.

 

Star wars architecture sci-fi building 3D - TurboSquid 1642236

 

Como esperado, tratava-se de um prédio abandonado e escuro. Além do péssimo estado, parecia ter sido saqueado diversas vezes, mesmo estando numa área nobre - sinal claro de que a segurança do lugar não era uma prioridade. Faltavam diversas janelas, havia vidro quebrado e bastante sujeira por todo local, o pouco jardim estava descuidado e repleto de ervas daninhas, as portas tinham sido descuidadamente arrombadas e as paredes externas pareciam tortas. Uma coisa era óbvia: o nível de deterioração estava alto demais para o tempo em que ele ficou em desuso. Pelos arquivos, tratava-se de um antigo centro de comando da marinha, um lugar que recebia e passava ordens para dentro e para fora da ilha, quando ela ainda tinha algum tipo de atividade na região. A proximidade com o senado ofereceu uma posição estratégica e privilegiada nos dias de glória dessa construção.

 

O megalomaníaco não captou nada que chamasse atenção vindo de dentro do prédio, fazendo a varredura pela estrutura. Notou que o pé-direito era extremamente alto e havia três andares e diversos buracos espalhados sobre o piso devido a alguns pedaços que desabaram. Ele podia imaginar que o menor barulho poderia ecoar pela estrutura, visto que se tratava de um imenso espaço agora vazio e silencioso. O local também não parecia ter energia ou estar conectado a nada - se havia um elevador, estava morto há bastante tempo. No último andar, tinha uma sala relativamente conservada. Após um rápido barulho de estática, Leonard ouviu a voz de Filix:

 

- Não sei se vocês sabem, mas a internação de Weiss não é mais segredo. Em breve o hospital estará lutando contra invasores que vão querer informações para vender para a mídia.

 

- Boa parte dos nossos médicos foram acompanhar o caso, aparentemente doença desconhecida é uma coisa alarmante aqui em Khórus. Arranjei um interno pra ajudar a gente, mas... - Katharina sussurava bem pertinho do comunicador, quase um ASMR. - Eu acho que ele é meio idiota e a mestra também porque errou meu nome diversas vezes na mestragem anterior. Vou procurar outra pessoa para dispensá-lo, mas estou com um mal pressentimento.

 

O Reinhardt estava parado na frente do prédio, olhando para a escadaria desgastada. O barulho que ouvia vinha do exterior e do trânsito, a antiga construção da marinha parecia ter o interior tão silencioso quanto abandonado.

 

***

@Keel Lorenz SAIU [email protected]@I!!!

Link to post
Share on other sites
Spoiler

 

 

Mesmo que a viagem fosse curta ao extrapolar a posição aproximada do prédio marine mais próximo, logo que alçaram voo do prédio Spades, Leonard ainda assim pediu licença para Matt. Tinha algo que queria fazer e, por isso, pediu que o rapaz mantivesse sua rota normal, independente do que Leonard fosse fazer a seguir. 

 

Subitamente virando pura matéria negra, Leonard simplesmente se deixou cair através do bando e assoalho do carro. Naturalmente, no fundo de sua mente estava a tarefa de acompanhar o gol besourinho durante o trajeto. No entanto, àquela altura estava muito mais interessado na paisagem nunca dormente da ilha, a geradora daquele caos de estímulos antes sentidos.

 

A sensação era extasiante. As luzes voadoras, os paredões gigantescos de prédios reluzentes. Uma sensação quase nostálgica, como se reouvesse memórias de um futuro perdido. De todos os lugares em que estivera desde que começou a viajar, nunca tinha sentido tamanho pertencimento. Era como se fosse um estrangeiro, ou até extraterrestre, recém-retornado à casa.  Entendia que muitos não conseguiam ver a beleza naquele cenário cyberpunk. Mas não ele. Leonard também via além daquele cenário deslumbrante, em que estrelas cadentes cintilavam, pairando e viajando por todos os sentidos. E, mesmo diante dos defeitos, não conseguia desistir daquela opção de futuro. Simplesmente, não conseguia se desvencilhar das promessas e esperanças que ela carregava.

 

Também voando pelos céus de Khórus, Machina, o responsável por sifonar a miríade de ondas eletromagnéticas e converter em ondas gravitacionais, para que seu criador pudesse sentir, tinha apenas uma pergunta em mente:

 

Afinal, é ‘Zap zum zum zum, Vô comê teu vô’, ou ‘Zap zum zum zum, No cometa eu vou?’” - prosseguiu, confuso com os sinais recebidos - “Eis mais um dos grandes mistérios da humanidade…” - finalizou, tentando prever quantos Terabytes de dados teriam que ser processados para obter a resposta.

 

Eventualmente percebendo a enxurrada de dados que o Tesserato lhe repassava, Leonard tentou não se focar demais naquilo. Era trabalho do cubo receber e filtrar as ondas eletromagnéticas, como um bom robô, traduzindo apenas o relevante em ondas gravitacionais. No entanto, dada a paisagem que acabara de perceber desejar há tantos anos sem saber, assim que percebeu o status Ok do carro, acabou ignorando a maior parte das informações inúteis recebidas para lá.

 

Antes que pudesse se desligar totalmente, no entanto, uma transmissão acabou chamando sua atenção por acaso. Era público que Weiss estava misteriosamente doente. E, para piorar, nenhum dos envolvidos quis se pronunciar. Ou seja, haviam acabado de admitir que não faziam a mínima ideia do que estava acontecendo, ou então que havia algum segredo que o público não deveria saber. Qualquer que fosse a alternativa correta, não as julgava como prudentes.

 

Ao perceber que estavam chegando ao destino, antes que o veículo parasse, Leonard voou para dentro do carro. Com sua forma imaterial, atravessaria a lataria, colocando-se em postura sentada a alguns milímetros do banco. Simultaneamente voltando à forma física e deixando de flutuar para tocar o estofado do assento, responderia Matt:

 

- Perfeito. Se algo acontecer, imediatamente me avise, Matt-kun - diria em tom simpático, logo em seguida - Não sabemos o que esperar desses prédios… velhos - finalizaria, após uma breve pausa a encarar a estrutura aparentemente abandonada.

 

Já no interior, diante do demasiado desgaste da estrutura, Leonard só conseguiu pensar em uma coisa: queima de arquivo. Era de se esperar que saques acontecessem ao que a manutenção do prédio - inclusive as rondas de segurança - cessasse. Entretanto, mesmo assim, parecia que só isso não era suficiente para adiantar tanto a velhice da construção. E uma das explicações mais plausíveis que conseguia pensar era de algum evento destrutivo que acelerasse a degradação do lugar e, consequentemente, das pistas. 

 

A localização privilegiada também deixava tamanho descaso para com o prédio um tanto suspeito. Quiçá a falta de policiamento quanto a invasões fosse proposital? Afinal, queimas de arquivo geralmente eram feitas às pressas, na iminência do desmantelamento do esquema. Recebe-se notícias de que os inimigos estão chegando e, então, inicia-se a destruição dos ativos comprometedores. Vendo por esse lado, os saques também deveriam ser intencionais. Ou, pelo menos, intencionalmente permitidos. Era como se, nos últimos tempo, tentassem ter certeza de que todas as pontas soltas haviam sido eliminadas. Entretanto, como em grandes tumbas antigas, câmaras secretas podiam passar despercebidas aos olhos dos saqueadores, mas não aos dos arqueólogos. Tendo isso em mente, Leonard utilizaria The True Sight, especificamente a visão de wireframes, para analisar a estrutura do prédio em maiores detalhes. Aliando a planta esquemática 3D em seu visor com seus conhecimentos de inventor - e consequentemente, de construtor - tentaria encontrar pontos-chave que pudessem esconder segredos. Antes de deixar o prédio, certificaria-se de ter visitado todos esses possíveis pontos. Para agilizar o processo, utilizaria de seu voo e corpo imaterial para atravessar obstáculos como paredes e pisos mais facilmente. Assim, economizaria tempo na visita a todos os pontos, por não ter que tomar desvios, como voltar atrás para tomar uma certa escada ou passagem. Sendo aquele o antigo prédio de comando, julgava ser merecedor de um pente fino.

 

- Sim, pude ouvir a notícia há alguns instantes - em meio às buscas nas forma espectral, Leonard aproveitaria-se do seu corpo amorfo para se distorcer e tomar uma posição conveniente para responder em direção ao Tesserato, para que pudesse captar sua voz e transmiti-la para a call com os subordinados - Talvez seja prudente enviar nosso pessoal para proteger o local. A Spades tem parte na defesa e policiamento da ilha, afinal - Leonard ponderou, exalando levemente o ar diante de mais um pepino para resolver - Tesserato, contate o Ás de Espadas em meu nome e o informe acerca dos riscos que o hospital corre. Diga que estou investigando a situação e que invasores poderiam prejudicar os interesses da organização em desvendar esse caso misterioso com exclusividade. Peça permissão para emitirmos recompensas em nome da organização pela tarefa e enviar caçadores para o local - Leonard retomaria com ar bastante diligente, falando enquanto fazia a varredura - Notifique-me via ondas gravitacionais se o Ás de Espada não responder ou estiver indisponível - finalizaria, retornando à forma humanóide, mas ainda em transformação elemental completa.

 

Preferia que o Ás de Espadas estivesse a par das ações que tomaria naquela situação atípica. No entanto, caso ele não estivesse disponível ou não respondesse, teria que seguir com as ordens de qualquer forma.

 

- Tesserato, quero que averigue o banco de dados de caçadores da Spades e cruze os dados para separar os candidatos mais adequados à tarefa - retomaria, conversando em conferência para que os outros subordinados também ouvissem - Nem muito fracos e nem muito fortes. Quero que adeque ao máximo ao nível de risco da missão que deverão enfrentar: eventuais civis causando caos e tentando invadir o lugar. Mas também selecione alguns caçadores um pouco mais experientes, para caso o inimigo oculto tente alguma gracinha - prosseguiria, procurando ser um tanto meticuloso para que a coisa não saísse tanto do controle no hospital.

 

- Entendido - responderia o cubo, categórico.

 

- Filix-kun, da lista que o Tesserato lhe fornecer, quero que selecione uns 50 caçadores para o contingente, além de uns 3 ou 4 mais experientes para o comando - voltando-se para o rapaz, tomaria um tom mais severo de ordem - Transmita minha voz para os selecionados se necessário. Huhum… - daria uma breve pausa, com leves tossidas para limpar a voz - Eu, Leonard von Reinhardt, o Ás de Ouros, ordeno que se dirijam imediatamente ao hospital em que o Senador Hanzo Weiss está para fazer sua guarda. Posicionem-se às entradas e dividam-se em rondas de vigia. Até segunda ordem, vocês devem permitir que os funcionários trabalhem normalmente, mas devem impedir que pessoas que não precisem estar ali, como jornalistas ou intrometidos, por exemplo, invadam ou causem caos. Os comandantes da operação deverão reportar a Filix, que por sua vez reportará a mim e repassará futuras ordens minhas. Garanto que assim que a situação se acalmar, recompensas pelos serviços serão emitidas - em tom sóbrio e com pausas convenientes para cortes e edições, finalizaria as falas recém-planejadas. Queria que Filix pudesse gravá-las para o caso de caçadores que requisitassem maior autenticidade acerca de quem era o caçador de patente superior que emitia as ordens.

 

Lembrando-se brevemente do que  Katharina havia dito, um pequeno clique ocorreu na mente do caçador.

 

- Sobre a situação com os médicos, Katharina-san - ressurgiria de forma um tanto súbita, logo que a ideia lhe viesse em mente - Acredito que nos seja bastante conveniente que médicos da organização tenham tomado a iniciativa de averiguar o caso. Basta repassar que ordeno que reportem suas descobertas para você. Então, você e o interno poderão selecionar as informações que forem relevantes para me repassar.

 

Naturalmente, caso ela requisitasse, também faria uma gravação no estilo da que havia fornecido a Filix. Assim, mesmo os médicos-caçadores mais cautelosos poderiam se tratar de algo sério e não apenas uma fraude de um recém-iniciado na organização.

 

Terminado o pente-fino no antigo prédio da marinha, Leonard se dirigiria para as escadarias do lado de fora. Pelo comunicador, avisaria Matt que havia terminado e combinaria um ponto de encontro. Caso fosse mais conveniente, voaria junto com o cubo até o lugar. Em meio a isso, ouviria atentamente ao relatório de Matt acerca do prédio que havia visitado.

 

***

 

Spoiler

The True Sight
Rank: S
Descrição: Por toda sua extensão, especialmente no visor ao centro da face, existem sensores capazes de analisar e mapear o ambiente ao redor do usuário. Sendo assim, no interior de seu capacete está localizada uma tela holográfica, a qual exibe as diversas informações coletadas a respeito da armadura e do meio. O visor em questão pode ampliar imagens - para fins de disparos de precisão - exibir a visão em diversos comprimentos de onda, fornecer sonar, radar e, por fim, uma espécie de visão especial em wireframes. A última, em específico, nada mais é do que uma forma muito simplificada de visualizar o ambiente, mas que em contrapartida oferece a possibilidade de ver através de matéria opaca. Entretanto, ainda com este fator vantajoso, essa modalidade de visão não possibilita identificar seres-vivos através destes materiais, tornando-a em uma ferramenta bastante situacional.

 

 

Inventor: Rank S* [200]

 

Genialidade*:
Descrição: Possuindo uma enorme capacidade mental, a genialidade de Leonard se manifesta através de um intelecto de primeiríssima grandeza e de um vasto conhecimento inerente relativo às diversas áreas do conhecimento humano. Dessa forma, Leonard pode dominar diversas disciplinas com um esforço muito menor do que pessoas comuns. Por isso, no aprendizado da profissão de inventor, Leonard é sempre considerado um rank acima do rank equivalente aos pontos de experiência que investiu. Leonard também possui conhecimento teórico a respeito de todas as áreas de estudo. Entretanto, não é plenamente capacitado em aplicar a teoria que conhece em técnicas ou habilidades práticas da profissão até que, de fato, invista pontos de experiência na determinada profissão. Descontos são válidos apenas até o Rank S em inventor.

 

Ankoku Ankoku no Mi
Rank: S [800]
Descrição: Essa fruta do tipo logia garante ao seu usuário a capacidade de criar, controlar e se transformar em Matéria Escura à sua vontade, transformando-o no Humano de Matéria Negra (暗黒物質人間 - Ankoku Busshitsu Ningen). Tratando-se de um elemento da natureza extremamente exótico ao mundo humano, diz-se a princípio que suas propriedades são completamente estranhas e talvez até inúteis. Afinal, este material é supostamente incapaz de afetar diretamente quaisquer tipos de partículas ou materiais mundanos. Todavia, por ainda exercer força gravitacional sobre os elementos recorrentes no mundo humano, diz-se que o usuário dessa fruta é, na prática, capaz de criar e manipular gravidade à sua vontade. Portanto, sendo esse material intangível a elementos que não interferem nos poderes de uma Akuma no Mi, estes podem acabar sendo interpretados como rajadas de energia aparentemente inofensivas, mas que na realidade possuem um significativo poder gravitacional. Além disso, por não interagir com a luz a princípio, deve-se ressaltar que a Matéria Negra também é invisível em menores concentrações. Entretanto, ainda assim, quando concentrada o suficiente, essa matéria exótica necessariamente se tornará visível, em uma espécie de aura arroxeada e repleta de ‘estrelas’ brilhantes. Por fim, uma última propriedade sua a ser mencionada é a sua capacidade de criar passagens através de um espaço ilimitado, o bulk, por onde usuário poderá transportar, armazenar e evocar coisas.

 

 

Nome da Arma: Tesseract
Rank: S
Aparência: Trata-se de um simples cubo oco, de material translúcido, extremamente resistente e denso. Ascendendo a um nível tecnológico em que os próprios átomos são forjados para exibir as propriedades tecnológicas desejadas, a armadura externa do cubo é feita de um aglomerado maciço de partículas exóticas que só podem ser originadas sob as condições extremas do interior de Ruined Star. Tendo Exotic Matter pura como origem, suas faces criam uma influência antigravitacional poderosa o suficiente para aprisionar no interior do cubo vastas quantidades de Matéria Negra, mesmo que seja intangível. Entretanto, a função do cristal exótico não é apenas conter o imaterial, mas também mediar a comunicação com o curioso construto em seu interior: um computador de Matéria Negra. Apesar de sua função primária ser o processamento de dados em níveis superiores aos computadores de rank inferior, a intangibilidade do hardware e a armadura densa tornam o computador em um item bastante resistente a danos e até mesmo apto a ser utilizado como uma arma de impacto. A princípio, Leonard aproveita-se da extrema massa contida no objeto para manuseá-lo com seus poderes gravitacionais como se fosse uma pequena bola de demolição. Entretanto, olhares mais aguçados poderão perceber que as utilidades puramente destrutivas, de longe, não são as únicas qualidades do item.
Padrão comportamental: Apesar de ter recebido todos os dados acerca de Deus Ex Machina, a grande mudança na capacidade de processamento acabou não deixando a personalidade básica inafetada. Tesseract parece significativamente menos ingênuo e muito mais lacônico e introspectivo. Todavia, por vezes, ainda nota-se um pouco do antigo cubo, que era bastante entusiasmado com o mundo ao seu redor, de forma muito semelhante ao seu criador, porém significativamente mais ingênuo. 

Mecanismos:

Spoiler

 

Tesseract's Cosmic Neural Net
Rank: S
Descrição: Percebendo as semelhanças entre a teia cósmica - descoberta em estudos astronômicos - com a estrutura neuronal dos seres-vivos sencientes, Leonard utilizou matéria negra - um elemento essencial nas interações que formam esses filamentos - para criar um cérebro artificial, que mimetiza esse padrão em menor escala. Dotado de uma Inteligência Artificial Forte, como qualquer computador, o Tesserato é uma ferramenta extremamente versátil. É capaz desde as tarefas mais simples, como as de secretário, até mesmo as mais complexas, como o processamento dos dados experimentais produzidos por Leonard.

Gravitational Transducer
Rank: S
Descrição: Devido às grandes quantidades de massa envolvidas na estrutura do computador, o Tesseract é capaz fazê-las fluir de forma específica para irradiar ou captar ondas gravitacionais para se comunicar com o exterior. Graças às similaridades entre o corpo de Leonard e do Tesserato, é possível estabelecer uma via direta de comunicação entre os dois. É a partir desse mecanismo que o Tesseract sente a matéria, como o ar vibrando ao seu redor, para ouvir ou intencionalmente vibra a mesma para poder falar. É também através desse mecanismo que o cubo regula as resultantes entre as forças gravitacionais e anti-gravitacionais envolvidas em seu corpo para poder flutuar e se mover.

Electromagnetic Transducer
Rank: S
Descrição: Graças às propriedades especiais com que foram forjadas, as partículas exóticas da armadura do Tesseract são capazes de vibrar mediante o recebimento de tanto ondas eletromagnéticas, quanto ondas gravitacionais. Sendo assim, ao que um estímulo gravitacional vibra sua constituição, torna-se capaz de emitir o estímulo eletromagnético correspondente. Da mesma forma, graças à sua elevada massa, ao que vibra mediante estímulos eletromagnéticos, também poderá ser capaz de emitir o estímulo gravitacional correspondente. Portanto, caso não seja intencionalmente inibido, este mecanismo torna possível estabelecer conexões de via dupla com aparelhos eletrônicos comuns. Além disso, é por meio dele que Tesserato é capaz de visualizar as ondas eletromagnéticas do ambiente, como a luz, para estabelecer sua visão. 

 

 

 

@Hemurin Vm lahhh 😎

  • Like 1
Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share
  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.